Fatores de risco físicos e organizacionais associados a distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho na indústria têxtil

Autores

  • Adriana Cristina de Souza Melzer Universidade Estadual de Campinas; Depto. de Medicina Preventiva e Social; Faculdade de Ciências Médicas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502008000100004

Palavras-chave:

Engenharia humana, Indústria têxtil, Fatores de risco, Transtornos traumáticos cumulativos

Resumo

Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) atingem trabalhadores de diversas ocupações e constituem um dos maiores problemas de saúde em muitos países. Este estudo foi realizado em dois setores de fiação de uma mesma indústria têxtil, sendo um deles tecnologicamente mais moderno. Os objetivos foram identificar os fatores de risco físicos e organizacionais associados aos DORT nos dois setores e determinar a prevalência de sintomas de dor entre esses trabalhadores. Tendo como referencial a análise ergonômica, foram observadas as atividades de trabalho de 12 indivíduos; e 50 trabalhadores responderam a um questionário. Os fatores de risco físico identificados foram os seguintes: posturas inadequadas de ombro, trabalho na posição em pé, repetitividade de movimentos e aspectos ambientais desfavoráveis. Os fatores organizacionais identificados foram: ritmo intenso de trabalho, fragmentação e invariabilidade das tarefas, inexistência de pausas e impossibilidade de comunicação com os colegas. Foi encontrada prevalência de 60% e 76% de dor nos dois setores estudados, respectivamente. As conclusões mostram que investimentos em tecnologia que não acompanham mudanças na organização e nas condições de trabalho resultam na manutenção ou no agravamento das situações de risco reconhecidamente associadas aos DORT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Como Citar

Melzer, A. C. de S. (2008). Fatores de risco físicos e organizacionais associados a distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho na indústria têxtil . Fisioterapia E Pesquisa, 15(1), 19-25. https://doi.org/10.1590/S1809-29502008000100004

Edição

Seção

Pesquisa Original