Avaliação de fragilidade, funcionalidade e medo de cair em idosos atendidos em um serviço ambulatorial de Geriatria e Gerontologia

Autores

  • Silvia Lanziotti Azevedo da Silva Universidade Federal de Minas Gerais; Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional; Programa de Pós-Graduação - em Ciências da Reabilitação
  • Renata Alvarenga Vieira UFJF; Faculdade de Medicina; Depto. de Fisioterapia
  • Paula Arantes Universidade Federal de Minas Gerais; Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional; Programa de Pós-Graduação - em Ciências da Reabilitação
  • Rosângela Corrêa Dias UFMG; EEFFTO; Depto. de Fisioterapia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000200005

Palavras-chave:

Avaliação geriátrica, Idoso fragilizado

Resumo

A síndrome da fragilidade é uma condição associada ao envelhecimento, com desfechos de saúde nos idosos como quedas, medo de cair e incapacidade. Os objetivos deste estudo foram determinar a freqüência de fragilidade e verificar a existência de correlação desta com quedas, medo de cair e funcionalidade, em 30 idosos (média de 75,7±7,6 anos) cadastrados em um serviço interdisciplinar de Geriatria e Gerontologia. Foram avaliados quanto à fragilidade, por características sugeridas pela literatura, e quanto aos desfechos quedas, funcionalidade e medo de cair. A análise descritiva identificou 20% de idosos frágeis, 46,7% pré-frágeis e 33,3% não-frágeis. Foram encontradas diferenças significativas entre os grupos frágeis e pré-frágeis e frágeis e não-frágeis em relação à funcionalidade mensurada pela escala de Lawton (p=0,000) e medo de cair, avaliada pela escala internacional de eficácia de quedas (FES-I, na sigla em inglês). Foi encontrada correlação significativa e moderada entre a pontuação na FES-I e o número de quedas; e correlação significativa, moderada e inversa, entre as pontuações da FES-I e de Lawton. A freqüência de fragilidade foi maior na amostra do estudo do que a encontrada em estudos prévios; e foram encontradas diferenças significativas entre os grupos de idosos, de acordo com as características de fragilidade, indicando que os mais frágeis apresentavam maior incapacidade para atividades de vida diária e mais medo de cair.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Como Citar

Silva, S. L. A. da, Vieira, R. A., Arantes, P., & Dias, R. C. (2009). Avaliação de fragilidade, funcionalidade e medo de cair em idosos atendidos em um serviço ambulatorial de Geriatria e Gerontologia . Fisioterapia E Pesquisa, 16(2), 120-125. https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000200005

Edição

Seção

Pesquisa Original