Avaliação do ácido lático em indivíduos com hemiparesia pós-acidente vascular encefálico após estimulação elétrica para fortalecimento muscular

Autores

  • Fernanda Ishida Corrêa Uninove
  • João Carlos Ferrari Corrêa Uninove; Programa de Mestrado em Ciências da Reabilitação
  • André de Almeida Tessarolo Uninove
  • André de Souza Melo Uninove
  • Luciana Maria Malosá Sampaio Uninove; Programa de Mestrado em Ciências da Reabilitação
  • Maricilia Silva Costa Universidade do Vale do Paraíba; Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento
  • Cláudia Santos Oliveira Uninove

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000200015

Palavras-chave:

Acidose láctica, Fadiga muscular, Paresia, Terapia por estimulação elétrica

Resumo

O fortalecimento da musculatura parética promove melhora da capacidade funcional, o que pode ser obtido pela estimulação elétrica funcional (EEF), porém são necessários parâmetros específicos para evitar fadiga muscular. Este estudo visou verificar, em indivíduos com hemiparesia pós-AVE, o tempo de repouso (time off) necessário para reabsorção do ácido lático durante a EEF, de modo a evitar a fadiga - detectada por lactacidemia (concentração excessiva de ácido lático). Foram coletadas amostras de sangue de 18 indivíduos portadores de hemiparesia em sete momentos, antes, durante e após a EEF. A corrente quadrada bifásica, de 50 Hz, foi usada com time on de 10 segundos (s) e o time off variou de 10 s (protocolo 1) a 30 s (protocolo 2), sobre o ponto motor do músculo tibial anterior. Na análise do sangue coletado, não foi encontrada diferença estatisticamente significante (p>;0,05) entre os dois protocolos; tampouco foi registrada diferença no período imediatamente pós-terapia. Pode-se pois afirmar que a ferramenta utilizada para mensurar lactacidemia não se mostrou eficaz na detecção da fadiga muscular, inviabilizando verificar o tempo ideal de repouso (time off), sendo necessários mais estudos em busca de protocolos seguros. Sugere-se a continuidade deste estudo, com alteração do músculo e atividade funcional eliciada pela estimulação elétrica, bem como uma ferramenta alternativa na mensuração e detecção da fadiga muscular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Como Citar

Corrêa, F. I., Corrêa, J. C. F., Tessarolo, A. de A., Melo, A. de S., Sampaio, L. M. M., Costa, M. S., & Oliveira, C. S. (2009). Avaliação do ácido lático em indivíduos com hemiparesia pós-acidente vascular encefálico após estimulação elétrica para fortalecimento muscular . Fisioterapia E Pesquisa, 16(2), 178-182. https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000200015

Edição

Seção

Pesquisa Original