Influência da fisioterapia aquática no controle de tronco na síndrome de pusher: estudo de caso

Autores

  • Cristiane Helita Zorél Meneghetti Uniararas
  • Carina Basqueira Uniararas
  • Caroline Fioramonte Uniararas
  • Luiz Carlos Ferracini Júnior Uniararas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000300014

Palavras-chave:

Hidroterapia, Fotogrametria, Postura, Síndrome de pusher

Resumo

A síndrome de pusher, ou do não-alinhamento, é uma alteração do controle postural observada em pacientes com lesões encefálicas, que apresentam uma inclinação do tronco contralateral à lesão. O estudo visou analisar a influência da fisioterapia aquática no controle de tronco em um paciente de 78 anos com síndrome de pusher. Para o diagnóstico da síndrome foi utilizada a escala de avaliação do sintoma de empurrar (SCP, Scale for contraversive pushing). A simetria do tronco foi avaliada por fotogrametria, medindo-se, nas fotografias do paciente tiradas antes e depois do tratamento, os ângulos de alinhamento da cabeça, dos ombros e do tronco. A fisioterapia aquática consistiu em duas sessôes semanais de uma hora durante dois meses, totalizando 16 sessões, empregando os métodos Bad Ragaz e Halliwick, para fortalecimento da musculatura do tronco e dos membros superiores, respectivamente. Na avaliação após a intervenção, foi observada importante redução dos ângulos de inclinação da cabeça (de 31,7º para 10,6º), dos ombros (de 10,3º para 1,7º) e do tronco (de 9,6º para 3,0º). O programa de fisioterapia aquática, portanto, propiciou ao participante com a síndrome de pusher sensível melhora na simetria e alinhamento do tronco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-01

Como Citar

Meneghetti, C. H. Z., Basqueira, C., Fioramonte, C., & Ferracini Júnior, L. C. (2009). Influência da fisioterapia aquática no controle de tronco na síndrome de pusher: estudo de caso . Fisioterapia E Pesquisa, 16(3), 269-273. https://doi.org/10.1590/S1809-29502009000300014

Edição

Seção

Relato de Casos