Desequilíbrios musculares entre flexores dorsais e plantares do tornozelo após tratamento conservador e acelerado da ruptura do tendão calcâneo

Autores

  • Alexandre Mayer Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Escola de Educação Física
  • Viviane Bortoluzzi Frasson Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Rafael Ott Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Hospital São Lucas; Serviço de Ortopedia e Traumatologia
  • Rafael de Oliveira Fortuna Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Hospital São Lucas; Serviço de Ortopedia e Traumatologia
  • Marco Aurélio Vaz Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Escola de Educação Física

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502010000200003

Palavras-chave:

Músculo esquelético, Ruptura^i1^sreabilita, Tendão do calcâneo^i1^sles, Torque

Resumo

A ruptura do tendão calcâneo (TC) reduz a sobrecarga mecânica dos flexores plantares (FP) do tornozelo. Essa alteração muda o equilíbrio natural entre os FP e flexores dorsais (FD) do tornozelo. O objetivo do estudo foi avaliar as razões isocinéticas concêntricas convencionais de torque de pacientes submetidos a tratamento cirúrgico de ruptura aguda do TC após dois protocolos diferentes de reabilitação. Após procedimento cirúrgico para reconstrução do TC, a amostra foi dividida de forma intencional em dois grupos: conservador (GC, 11 homens, 41,3±7,9 anos) e grupo acelerado (GA, 13 homens, 43,5±13,7 anos). O GC permaneceu com imobilização gessada no tornozelo por seis semanas (tratamento tradicional), enquanto o GA usou uma órtese robofoot em posição neutra e, após duas semanas, iniciou mobilização e apoio precoce do tornozelo, com reabilitação por seis semanas. Após 3 meses de pós-operatório, a razão do torque concêntrico máximo dos FD pelos FP do tornozelo foi avaliada por dinamômetro isocinético. As razões de torque do lado operado se mantiveram superiores às do lado saudável mesmo após 3 meses de pós-operatório (p<0,05). Não foi encontrada diferença no equilíbrio muscular entre os grupos. Pode-se concluir que os dois grupos requerem um período mais longo de reabilitação para recuperar o equilíbrio natural do tornozelo no lado operado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-06-01

Como Citar

Mayer, A., Frasson, V. B., Ott, R., Fortuna, R. de O., & Vaz, M. A. (2010). Desequilíbrios musculares entre flexores dorsais e plantares do tornozelo após tratamento conservador e acelerado da ruptura do tendão calcâneo . Fisioterapia E Pesquisa, 17(2), 108-113. https://doi.org/10.1590/S1809-29502010000200003

Edição

Seção

Pesquisa Original