Desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral participantes de tratamento multidisciplinar

Autores

  • Alex Carrer Borges Dias Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • Joyce Cristina Freitas Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • Cibelle Kayenne Martins Roberto Formiga Universidade Estadual de Goiás
  • Fabiana Pavan Viana Pontifícia Universidade Católica de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502010000300007

Palavras-chave:

Atividade motora^i1^sfisiolo, Crianças com deficiência^i1^screscimento e desenvolvime, Paralisia cerebral

Resumo

A paralisia cerebral (PC) é um conjunto de desordens posturais e do movimento que causam limitações funcionais; é atribuída a distúrbios não-progressivos, porém mutáveis, decorrentes de lesão do cérebro imaturo. Os objetivos do estudo foram identificar as dimensões funcionais comprometidas e observar a evolução da função motora grossa de crianças com PC submetidas a tratamento multidisciplinar em um intervalo de quatro meses. A amostra foi composta por 27 crianças com PC (média de idade 7,6 anos) que freqüentavam a Associação Pestalozzi de Goiânia, GO. O nível de comprometimento das crianças foi atribuído segundo o sistema de classificação da função motora grossa GMFCS (Gross motor function classification system); a medida de função motora grossa GMFM (Gross motor function measure) foi aplicada no início do estudo e após quatro meses. Os resultados mostram que 55,6% das crianças estavam nos níveis IV e V do GMFCS; foi verificada evolução da função motora grossa em todas as dimensões avaliadas pela GMFM, exceto na postura sentada - sugerindo que as transferências de postura e a locomoção devem ser focalizadas no tratamento multidisciplinar dessas crianças com CP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-09-01

Como Citar

Dias, A. C. B., Freitas, J. C., Formiga, C. K. M. R., & Viana, F. P. (2010). Desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral participantes de tratamento multidisciplinar . Fisioterapia E Pesquisa, 17(3), 225-229. https://doi.org/10.1590/S1809-29502010000300007

Edição

Seção

Editorial