Lesões musculoesqueléticas em praticantes de judô

Autores

  • Ana Laura Gil Manzato Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Instituto Integrado de Saúde
  • Hugo Parra de Camargo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Instituto Integrado de Saúde
  • Dayana das Graças Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Instituto Integrado de Saúde
  • Paula Felippe Martinez Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Instituto Integrado de Saúde
  • Silvio Assis de Oliveira Júnior Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Instituto Integrado de Saúde

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/16325024022017

Palavras-chave:

Artes Marciais, Traumatismos em Atletas, Epidemiologia

Resumo

A prática de judô integra situações variadas de contato físico e exigências específicas, tornando-o uma modalidade competitiva e com alto índice de lesões musculoesqueléticas (LME). Este estudo transversal teve por objetivo descrever a epidemiologia de LME e analisar a relação entre diferentes características e a ocorrência de lesão em judocas. A casuística integrou 111 participantes de ambos os sexos. Para tomar informações sobre lesões, utilizou-se um inquérito de morbidade referida. Para análise estatística, foi empregado o teste de Goodman de proporções multinomiais. A relação entre fatores associados com LME foi avaliada por meio de regressão logística. Foram relatados 135 LME, com prevalência de 65% (72 esportistas), totalizando 1,22 LME/atleta. A maioria dos relatos foi constituída por lesões articulares decorrentes de traumas (n=50 casos, 37%), sendo que entorse de tornozelo (25,2%) e luxação de ombro (17,8%) foram os casos com maior frequência. Entre as lesões ósseas, verificou-se maior proporção de casos graves (25 casos; 18,5%). Sexo e carga horária semanal constituíram-se como as principais características preditivas para ocorrência de LME no judô (p<0,001). Conclui-se que as lesões articulares traumáticas em tornozelo e ombro foram as principais LME no judô. Sexo masculino e maior carga horária semanal constituíram-se como as principais características preditivas de lesão entre judocas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-06-01

Como Citar

Manzato, A. L. G., Camargo, H. P. de, Graças, D. das, Martinez, P. F., & Oliveira Júnior, S. A. de. (2017). Lesões musculoesqueléticas em praticantes de judô. Fisioterapia E Pesquisa, 24(2), 127-134. https://doi.org/10.1590/1809-2950/16325024022017

Edição

Seção

Pesquisa Original