Mapeamento demográfico e caracterização do perfil de assistência fisioterapêutica oferecida nas unidades de terapia intensiva neonatais do Rio de Janeiro (RJ)

Autores

  • Vanessa da Silva Neves Moreira Arakaki Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Isabelle Leandro Gimenez Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Raquel Miranda Correa Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Rosana Silva dos Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro; Faculdade de Medicina; Departamento de Fisioterapia
  • Clemax Couto Sant’anna Universidade Federal do Rio de Janeiro; Faculdade de Medicina; Departamento de Pediatria
  • Halina Cidrini Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro; Faculdade de Medicina; Departamento de Fisioterapia

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/16470124022017

Palavras-chave:

Unidades de Terapia Intensiva Neonatal, Recém-Nascido, Modalidades de Fisioterapia, Técnicas Fisioterápicas

Resumo

Este estudo visa ao mapeamento e a caracterização do perfil da assistência fisioterapêutica oferecida em unidades de terapia intensiva (UTI) neonatais dos hospitais públicos e privados do Rio de Janeiro (RJ). Para isso, foram realizadas entrevistas com os chefes sobre as rotinas dos serviços de fisioterapia dos hospitais do Rio de Janeiro com UTI neonatais entre janeiro de 2013 e janeiro de 2015. As perguntas abordaram distribuição das horas de trabalho, organização e localização institucional, tempo de experiência na área, tipos de técnicas fisioterapêuticas e recursos utilizados. Foram incluídos 27 hospitais (17 públicos e 10 privados) da seguinte forma: 6 hospitais na Zona Sul, 8 na Zona Norte, 8 na Zona Oeste e 5 no Centro e Zona Portuária. O número total de fisioterapeutas integrantes das equipes foi de 141, sendo que 59% deles eram especialistas em terapia intensiva neonatal. No que se refere aos chefes entrevistados, 16 (59%) também eram especialistas e 21 (79%) possuíam mais de cinco anos de experiência. Foram citadas diversas técnicas fisioterapêuticas, como: fisioterapia motora, vibração torácica e reequilíbrio tóraco-abdominal. A partir do exposto, verificou-se que a assistência fisioterapêutica neonatal do Rio de Janeiro não está distribuída uniformemente no território, estando mais concentrada nas regiões Sul e Central. Além disso, falta padronização das rotinas e carga horária, sendo necessária adequação do perfil assistencial para atenção ideal e integral do recém-nascido (RN).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-06-01

Como Citar

Arakaki, V. da S. N. M., Gimenez, I. L., Correa, R. M., Santos, R. S. dos, Sant’anna, C. C., & Ferreira, H. C. (2017). Mapeamento demográfico e caracterização do perfil de assistência fisioterapêutica oferecida nas unidades de terapia intensiva neonatais do Rio de Janeiro (RJ). Fisioterapia E Pesquisa, 24(2), 143-148. https://doi.org/10.1590/1809-2950/16470124022017

Edição

Seção

Pesquisa Original