Associação do diagnóstico clínico com a situação ocupacional de usuários de um serviço de fisioterapia

Autores

  • Viviane de Freitas Cardoso Universidade Federal de São Carlos
  • Renilton José Pizzol Universidade Estadual Paulista; Departamento de Fisioterapia
  • Patrícia Mayumi Takamoto Universidade do Oeste Paulista
  • Luís Alberto Gobbo Universidade Estadual Paulista; Departamento de Educação Física
  • Ana Lucia de Jesus Almeida Universidade Estadual Paulista; Departamento de Fisioterapia

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/16846124022017

Palavras-chave:

Saúde do Trabalhador, Modalidades de Fisioterapia, Risco Ocupacional

Resumo

A multicausalidade nas lesões relacionadas ao trabalho (LER) é pouco explorada na fisioterapia e sua compreensão baseada no Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) pode fornecer ao fisioterapeuta condição de atuar nos processos do trabalho. O objetivo foi analisar a associação entre diagnóstico clínico e situação ocupacional de usuários de serviço de fisioterapia. Em estudo descritivo transversal, com 656 usuários atendidos de janeiro de 2013 a julho de 2014, foram coletadas de prontuários informações sobre sexo, idade, cor da pele, diagnóstico clínico e situação ocupacional. Testes qui-quadrado e regressão logística foram utilizados para análise da associação entre diagnósticos e situações ocupacionais em população com idade média de 49,4 anos, maioria mulheres, cor branca e predominância de lesões não traumáticas. A regressão múltipla mostrou associação entre serviços domésticos e síndrome do túnel do carpo (odds ratio ou OR=2,54) e lesões no ombro (OR=1,82); entre trabalho na construção civil e algias na coluna (OR=5,78) e fraturas distais de membros inferiores (OR=3,53); e entre aposentados e gonartrose (OR=3,76), artrose na coluna (OR=2,24), acidente vascular encefálico (AVE) (OR=2,03), lesões no ombro (OR=0,27) e fraturas distais de membros inferiores (OR=0,15). O estudo mostrou risco para lesões de membros superiores em serviços domésticos; para lesões na coluna vertebral e fraturas distais de membro inferior na construção civil; e para artroses e AVE em aposentados. Estes apresentaram fator de proteção para lesões de ombro e fraturas de membros inferiores. A atuação fisioterapêutica pode ser ampliada com conhecimento do nexo causal. O fisioterapeuta pode atuar em seleção de indicadores epidemiológicos, formulação de orientações ergonômicas e elaboração de conduta terapêutica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-06-01

Como Citar

Cardoso, V. de F., Pizzol, R. J., Takamoto, P. M., Gobbo, L. A., & Almeida, A. L. de J. (2017). Associação do diagnóstico clínico com a situação ocupacional de usuários de um serviço de fisioterapia. Fisioterapia E Pesquisa, 24(2), 169-175. https://doi.org/10.1590/1809-2950/16846124022017

Edição

Seção

Pesquisa Original