Análise da força muscular expiratória e respiração espontânea de indivíduos em ventilação mecânica

estudo transversal

  • Jonathan Galvão Tenório Cavalcante Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas
  • Rafael Dornelas e Silva Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas
  • Helga Cecilia Muniz de Souza Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas
  • Nelson Henrique Lopes de Moraes Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas
Palavras-chave: Músculos Abdominais, Debilidade Muscular, Desmame do Respirador, Modalidades de Fisioterapia, Cuidados Críticos

Resumo

Os músculos da expiração têm funções em todo o ciclo respiratório, mas não são frequentemente avaliados no desmame da ventilação mecânica. Assim, revisões e consensos não mencionam a pressão expiratória máxima (PEmáx) e o treino expiratório. Objetivou-se investigar a relação da força muscular expiratória com a respiração espontânea de indivíduos ventilados mecanicamente. Trata-se de um estudo transversal com participantes de 18 a 79 anos de idade. Foram formados os grupos PEmáx satisfatória (GPES) e PEmáx baixa (GPEB) conforme o ponto de corte de 55cmH2O e comparados a parâmetros de desmame. O GPES (n=9) teve desempenho superior ao do GPEB (n=21) no índice de respiração rápida e superficial (IRRS) (40,6±17,6rpm/L e 75,3±44,1rpm/L, respectivamente; p=0,022) e na frequência respiratória (f) (19,1±6,2rpm e 26,1±9,4rpm; p=0,044). A prevalência de PEmáx satisfatória foi pequena, observada no tamanho dos grupos. Além disso, embora a PEmáx percentual do valor predito tenha sido menor no GPEB, como esperado (67,2±15,4% vs. 45,8±14,7%; p=0,001), a pressão inspiratória máxima percentual não diferiu significantemente (82,4±21,8% vs. 67,8±18,4%; p=0,077). A PEmáx se correlacionou moderadamente com o IRRS (r=–0,406; p=0,026) e com a f (r=–0,426; p=0,017). Conclui-se que a PEmáx≥55cmH2 O esteve associada à melhores valores no IRRS e na f, e que a redução da força muscular expiratória foi mais prevalente e severa que a da força muscular inspiratória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonathan Galvão Tenório Cavalcante, Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas

Residente multiprofissional em Urgência, Emergência e Trauma do Hospital Getúlio Vargas da Universidade de Pernambuco

Rafael Dornelas e Silva, Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas

Residente multiprofissional em Urgência, Emergência e Trauma do Hospital Getúlio Vargas da Universidade de Pernambuco

Helga Cecilia Muniz de Souza, Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas

Fisioterapeuta intensivista, doutoranda em Biologia Aplicada à Saúde do Hospital Getúlio Vargas da Universidade de Pernambuco

Nelson Henrique Lopes de Moraes, Universidade de Pernambuco. Hospital Getúlio Vargas

Fisioterapeuta intensivista, mestre em Terapia Intensiva do Hospital Getúlio Vargas da Universidade de Pernambuco

Publicado
2018-12-14
Como Citar
Cavalcante, J., Silva, R., Souza, H., & Moraes, N. (2018). Análise da força muscular expiratória e respiração espontânea de indivíduos em ventilação mecânica. Fisioterapia E Pesquisa, 25(3), 251-259. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152755
Seção
Pesquisa Original