Prevalência de lesão e fatores associados em corredores de rua da cidade de Juiz de Fora (MG)

  • Arlete dos Reis Roth Universidade Federal de Juiz de Fora. Departamento de Fisioterapia
  • Wyngrid Porfírio Borel Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Bárbara Palmeira Rossi Universidade Federal de Juiz de Fora
  • José Elias Filho Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Eduardo José Danza Vicente Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Diogo Carvalho Felicio Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Corrida/lesões, Lesão, Prevalência

Resumo

No Brasil, a corrida de rua é o segundo esporte mais praticado; entretanto, pode ocasionar lesões musculoesqueléticas. Estudos sobre o tema são importantes para nortear estratégias de prevenção e intervenção. Assim, o objetivo foi investigar a prevalência de lesões e os fatores associados em corredores de rua da cidade de Juiz de Fora(MG). Tratase de um estudo observacional do tipo transversal. A amostra foi selecionada por conveniência. Foram incluídos corredores amadores, entre 18 e 60 anos e que realizavam treinos em diferentes locais da cidade. Foram excluídos participantes com histórico de fratura e osteossíntese em membros inferiores ou que praticassem outro esporte que não fosse a musculação. Para analisar os dados, foram utilizados os testes t de Student, Mann-Whitney e X2 (α=0,05). Os participantes foram alocados em grupo lesão (GL, n=37) e grupo sem lesão (GSL, n=113). A prevalência de lesão foi de 24,7%. O GL praticava a corrida há mais tempo (76,2 ± 9,1 × 36,7 ± 39,0 meses; P<.01), teve menor aumento da frequência semanal do treinamento (49,5% × 54,2%; P=.04), realizou menos alongamento prévio (48,6% × 75,2%; P=.02), apresentou maior percentual de análise da marcha para escolha do calçado (62,1% × 43,3%; P=.04) e uso de palmilha (35,1% X 14,1%; P=<.01). A prevalência de lesões foi baixa. Os que correm há mais tempo têm maior risco de lesão mesmo sem incremento na frequência semanal. O alongamento foi protetor e a prescrição de calçado e palmilha indiscriminados não garantiram resultados satisfatórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlete dos Reis Roth, Universidade Federal de Juiz de Fora. Departamento de Fisioterapia

Graduanda do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

Wyngrid Porfírio Borel, Universidade Federal de Juiz de Fora

Fisioterapeuta, discente do Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico Funcional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

Bárbara Palmeira Rossi, Universidade Federal de Juiz de Fora

Fisioterapeuta, discente do Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico Funcional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

José Elias Filho, Universidade Federal de Juiz de Fora

Fisioterapeuta, discente do Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico Funcional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

Eduardo José Danza Vicente, Universidade Federal de Juiz de Fora

Fisioterapeuta, Docente titular no Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico Funcional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

Diogo Carvalho Felicio, Universidade Federal de Juiz de Fora

Fisioterapeuta, Docente titular no Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico Funcional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG)

Publicado
2018-12-14
Como Citar
Roth, A., Borel, W., Rossi, B., Elias Filho, J., Vicente, E. J., & Felicio, D. (2018). Prevalência de lesão e fatores associados em corredores de rua da cidade de Juiz de Fora (MG). Fisioterapia E Pesquisa, 25(3), 278-283. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152763
Seção
Pesquisa Original