Efeitos do treinamento muscular inspiratório no controle autonômico

revisão sistemática

  • Leonardo Barbosa de Almeida
  • Mariana Balbi Seixas
  • Patricia Fernandes Trevizan Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário
  • Mateus Camaroti Laterza Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário
  • Lilian Pinto da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário
  • Daniel Godoy Martinez Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário
Palavras-chave: Exercícios Respiratórios, Exercício, Sistema Nervoso Autônomo, Fisiopatologia

Resumo

A disfunção do sistema nervoso autônomo tem papel importante na fisiopatologia de diversas doenças. Uma possível maneira de melhorar o controle autonômico é o treinamento muscular inspiratório (TMI), sendo o objetivo deste estudo revisar sistematicamente a literatura disponível sobre os efeitos desta modalidade. Dois revisores buscaram ensaios clínicos controlados e randomizados nas bases de dados MEDLINE, PEDro, SciELO e LILACS, avaliando também sua qualidade metodológica (escala de PEDro). Foram encontrados 181 artigos e, após verificar os critérios de elegibilidade, foram incluídos quatro pesquisas que avaliaram o efeito do TMI sobre o controle autonômico de participantes com fatores de risco para doenças cardiovasculares, por meio da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e dos níveis plasmáticos de noradrenalina. O TMI melhorou o controle autonômico em três estudos, reduzindo a atividade nervosa simpática (níveis plasmáticos de noradrenalina; LF u.n. – VFC) e aumentando a atividade nervosa vagal (HF u.n. – VFC). Conclui-se que o TMI parece ser uma alternativa terapêutica para melhorar o controle autonômico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Barbosa de Almeida

Fisioterapeuta, Mestre, Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Mariana Balbi Seixas

Fisioterapeuta, Mestre, Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Patricia Fernandes Trevizan, Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário

Professor(a), Doutor(a), Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Mateus Camaroti Laterza, Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário

Professor(a), Doutor(a), Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Lilian Pinto da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário

Professor(a), Doutor(a), Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Daniel Godoy Martinez, Universidade Federal de Juiz de Fora. Hospital Universitário

Professor(a), Doutor(a), Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora

Publicado
2018-12-14
Como Citar
Almeida, L., Seixas, M., Trevizan, P., Laterza, M., Silva, L., & Martinez, D. (2018). Efeitos do treinamento muscular inspiratório no controle autonômico. Fisioterapia E Pesquisa, 25(3), 345-351. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152792
Seção
Revisão Sistemática