Fisioterapia intra-hospitalar para pacientes com isquemia crítica de membro inferior: consenso de especialistas

Palavras-chave: Doença Arterial Periférica, Isquemia, Extremidade Inferior, Reabilitação, Consenso

Resumo

A isquemia crítica de membro inferior (ICMI) gera impacto nos sistemas de saúde, na qualidade de vida e funcionalidade dos indivíduos diagnosticados. Entretanto, há pouca evidência científica que permita fundamentar a intervenção fisioterapêutica para pacientes internados por ICMI. O objetivo desse estudo foi elaborar um consenso de especialistas sobre a fisioterapia intra-hospitalar para pacientes com ICMI. Para tal, foi utilizado o método Delphi. Um painel de especialistas foi formado por 18 fisioterapeutas que representavam 85,7% da equipe de um hospital de referência em cirurgia vascular. Foram consideradas, para o consenso, as respostas com valor mínimo de concordância de 70% e média ou mediana ≥3,1 na escala Likert. Os questionários abordaram itens da avaliação, objetivos e condutas fisioterapêuticas nas fases pré e pós-cirurgia de revascularização. Definiram-se como itens essenciais a avaliação de sintomas, função cognitiva, musculoesquelética e cardiorrespiratória. Controle da dor, redução de edemas, ganho de amplitude de movimento, deambulação e educação em saúde são objetivos no pré-operatório e o ganho de força muscular na fase pós-operatória. Exercícios passivo, assistido, ativo livre e circulatório, incluindo os membros superiores, estão indicados antes e após as cirurgias. Educação em saúde e deambulação com redução de peso em área de lesão plantar são essenciais em todo o período de internação. A eletroanalgesia foi preconizada no pré-operatório e a elevação do membro inferior e exercícios resistidos no pós-operatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-20
Como Citar
Corrêa, U., Vidal, A., Gonçalves, P., Sady, E., Flumignan, R., & Cisneros, L. (2019). Fisioterapia intra-hospitalar para pacientes com isquemia crítica de membro inferior: consenso de especialistas. Fisioterapia E Pesquisa, 26(2), 151-157. https://doi.org/10.1590/1809-2950/18006426022019
Seção
Pesquisa Original