Força muscular e habilidade de locomoção em indivíduos pós-acidente vascular encefálico crônico

Palavras-chave: Acidente Vascular Encefálico, Força Muscular, Locomoção

Resumo

O objetivo do estudo foi verificar se existem diferenças na força muscular dos membros inferiores (MMII) e na habilidade de locomoção de indivíduos pós-acidente vascular encefálico (AVE) crônico, classificados como deambuladores comunitários ou não comunitários. Foi realizado um estudo transversal em 60 indivíduos pós-AVE crônico, divididos em deambuladores comunitários (n=33) e não comunitários (n=27) pela velocidade de marcha. A força muscular de sete grupos musculares bilaterais de MMII foi avaliada por meio do teste do esfigmomanômetro modificado e habilidade de locomoção pelo ABILOCO. Estatísticas descritivas foram utilizadas para caracterizar a amostra, e o teste t de Student para amostras independentes, a fim de comparar os dois grupos de indivíduos pós- -AVE. Observou-se que os deambuladores comunitários apresentaram maiores valores de força muscular para a maioria dos grupos musculares de MMII (−0,973≥t≥−3,189; p≤0,04), e na habilidade de locomoção (t=−2,841; p=0,006). Os indivíduos pós-AVE crônico deambuladores comunitários possuem maior força muscular de MMII e mais habilidade de locomoção em comparação aos deambuladores não comunitários. Sugere-se que a avaliação fisioterapêutica de indivíduos pós-AVE inclua, além da mensuração da força muscular de MMII e seu tratamento, a mensuração da percepção da habilidade de locomoção, para análises da evolução do paciente e da eficácia da conduta terapêutica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-20
Como Citar
Benfica, P., Roza, E. A., Lacerda, C., & Polese, J. (2019). Força muscular e habilidade de locomoção em indivíduos pós-acidente vascular encefálico crônico. Fisioterapia E Pesquisa, 26(2), 158-163. https://doi.org/10.1590/1809-2950/18032126022019
Seção
Pesquisa Original