Acurácia de testes de mobilidade para o rastreio do risco de quedas no comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/18006726032019

Palavras-chave:

Quedas, Cognição, Idosos

Resumo

A identificação de distúrbios da marcha e do equilíbrio em estágios iniciais da doença de Alzheimer (DA) e do comprometimento cognitivo leve (CCL) pode reduzir ou prevenir quedas na população idosa. Transversal, este estudo tem como objetivo determinar quais testes de mobilidade melhor discriminam o risco de quedas em idosos com CCL e DA leve. A mobilidade funcional foi avaliada pelo timed up and go test (TUG) e o teste de velocidade de marcha de 10 metros (10MWT). Foi produzido um calendário de quedas, com acompanhamento via contato telefônico durante 6 meses. Para o grupo CCL (n=38), o tempo gasto no 10MWT foi a melhor variável para discriminar caidores, com nota de corte de 10,69 segundos associada a maior precisão (76,3%). No grupo DA (n=37), a cadência do 10MWT foi a melhor variável para discriminar os caidores, com nota de corte de 101,39 passos por minuto associada a uma precisão de 81,1%. Como conclusão, o tempo e a cadência do 10MWT foram as variáveis mais precisas para rastrear o risco de quedas em idosos com CCL e DA leve, respectivamente. O 10MWT é um teste funcional, simples e fácil e pode ser amplamente utilizado na prática clínica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-03-31

Como Citar

Ansai, J. H., Vassimon-Barroso, V., Farche, A. C. S., Buto, M. S. de S., Andrade, L. P. de, & Rebelatto, J. R. (2019). Acurácia de testes de mobilidade para o rastreio do risco de quedas no comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer. Fisioterapia E Pesquisa, 26(3), 258-264. https://doi.org/10.1590/1809-2950/18006726032019

Edição

Seção

Pesquisa Original