Análise eletromiográfica de músculos do complexo do ombro durante exercícios de rotação externa com faixa elástica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/19004126032019

Palavras-chave:

Ombro, Eletromiografia, Manguito Rotador, Terapia por Exercício

Resumo

Na artrocinemática do ombro, o manguito rotador atua estabilizando a cabeça umeral em contato com a cavidade glenoidal, enquanto realiza a translação inferior para contrabalancear a força rotacional promovida principalmente pelo deltoide. Exercícios de rotação externa (RE) vêm sendo utilizados na reabilitação de pacientes com disfunções no complexo do ombro buscando restaurar a artrocinemática. Porém, poucos estudos abordam a utilização da faixa elástica e a avaliação dos músculos da cintura escapular, determinantes para uma cinemática adequada. O objetivo deste estudo é comparar a atividade eletromiográfica (EMG) de músculos do complexo do ombro durante exercícios de rotação externa com faixa elástica. Participaram 11 sujeitos do sexo masculino que foram avaliados durante os movimentos de (1) RE em ortostase; (2) RE com abdução de ombro; (3) RE em decúbito lateral (DL). Os músculos avaliados pela EMG foram: (1) trapézio superior (TS); (2) deltoide médio (DM); (3) deltoide posterior (DP); e (4) infraespinal (IN). A resistência foi determinada por uma faixa elástica cinza calibrada com carga de 5% do peso corporal. A análise dos dados foi realizada no software Biomec-SAS e as estatísticas foram calculadas por meio da Anova de medidas repetidas no software SPSS v20.0. Pôde-se constatar que os músculos TS e DM obtiveram maior atividade EMG durante o exercício de RE com abdução de ombro, o músculo DP durante a RE com abdução de ombro e RE em decúbito lateral, enquanto o IN a obteve durante a RE em ortostase e RE em decúbito lateral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-03-31

Como Citar

Broilo, C., Schuster, R. C., & Dhein, W. (2019). Análise eletromiográfica de músculos do complexo do ombro durante exercícios de rotação externa com faixa elástica. Fisioterapia E Pesquisa, 26(3), 329-336. https://doi.org/10.1590/1809-2950/19004126032019

Edição

Seção

Pesquisa Original