Valores médios percorridos no teste de caminhada de seis minutos em crianças saudáveis de Coari (AM)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/18004527012020

Palavras-chave:

Teste de Esforço, Criança, Teste de Caminhada

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi estabelecer valores médios percorridos para o teste de caminhada de seis minutos em crianças saudáveis no Norte do Brasil. Este foi um estudo experimental, randomizado, cego e transversal que avaliou 63 crianças saudáveis do sexo masculino e feminino, de 10 a 12 anos, que após terem seus dados antropométricos registrados foram treinadas e instruídas para a realização do teste conforme recomendações da American Thoracic Society, após avaliação-padrão. O teste foi realizado numa pista reta de 30 metros, com marcações a cada 3 metros e cones indicando onde o retorno deveria ser feito para a continuidade do teste. Ao final, foi refeita a avaliação pré-teste. Foi observado índice de massa corporal muito baixo nos meninos de 11 anos, e normal nas outras faixas. A frequência cardíaca imediata pós-teste apresentou-se significativamente elevada em todos os grupos (p<0,001), enquanto todos os outros dados cardiovasculares colhidos não apresentaram alterações. As distâncias percorridas foram significativamente inferiores às previstas por equação-padrão para todos os grupos e sexos (p<0,0001). O valor médio percorrido encontrado em meninas foi de 436,30±56,74m e 460,80±63,90m em meninos, enquanto a média geral foi de 445,70±54,10m, abaixo dos valores esperados para a amostra. O resultado obtido pelo grupo estudado, menor que a média esperada, pode ser creditado ao fenótipo regional, mas o Índice de Desenvolvimento muito mais baixo que a média brasileira deve ter sua influência mais bem estudada. Espera-se

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-06-14

Como Citar

Moraes, W. S. L. A. de ., Silva, C. M. da, Pin, A. dos S., & Borges, G. F. (2021). Valores médios percorridos no teste de caminhada de seis minutos em crianças saudáveis de Coari (AM). Fisioterapia E Pesquisa, 27(1), 2-9. https://doi.org/10.1590/1809-2950/18004527012020

Edição

Seção

Pesquisa Original