Prevalência e fatores associados a distúrbios psíquicos menores em fisioterapeutas intensivistas de uma grande cidade do estado da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/21004729012022PT

Palavras-chave:

Estresse Psicológico, Fisioterapeutas, Prevalência, Unidades de Terapia Intensiva

Resumo

Estudos indicam que fatores relacionados ao trabalho podem levar ao adoecimento de trabalhadores de Unidades de Terapia Intensiva. Os estudos sobre Distúrbios Psíquicos Menores (DPM) em fisioterapeutas intensivistas são escassos. Esse estudo visa estimar a prevalência e os fatores associados aos Distúrbios Psíquicos Menores em fisioterapeutas trabalhadores intensivistas de uma grande cidade do Estado da Bahia. Trata-se de um estudo epidemiológico de corte transversal, em uma população de 60 fisioterapeutas trabalhadores de Terapia Intensiva na cidade de Feira de Santana, Bahia. Um questionário autoaplicável avaliou dados sociodemográficos, características do trabalho, aspectos psicossociais do trabalho e Distúrbios Psíquicos Menores. A prevalência de DPM encontrada foi de 41,7% e verificou-se associação entre as variáveis sociodemográficas, características do trabalho, hábitos de vida, aspectos psicossociais do trabalho e DPM. Observou-se elevada prevalência e uma diversidade de fatores associados aos DPM entre os fisioterapeutas estudados. Os resultados apontam para a necessidade de novos estudos epidemiológicos que possam identificar com mais precisão os fatores associados aos DPM nesses trabalhadores.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Borsoi ICF. Da relação entre trabalho e saúde à relação entre trabalho e saúde mental. Psicologia & Sociedade. 2007;19(spe):103-11. DOI: 10.1590/s0102-71822007000400014

Barros DDS, Tironi MOS, Nascimento Sobrinho CL, Neves FS, Bitencourt AGV, Almeida ADM, et al. Médicos plantonistas de unidade de terapia intensiva: perfil sócio-demográfico, condições de trabalho e fatores associados à síndrome de burnout. Rev Bras Ter Intensiva. 2008;20(3):235–40. DOI: 10.1590/S0103-507X2008000300005

Tironi MOS, Nascimento Sobrinho CL, Barros DDS, Reis EJFB, Marques Filho ES, Almeida A, et al. Trabalho e síndrome da estafa profissional (Síndrome de Burnout) em médicos intensivistas de Salvador. Rev Assoc Med Bras. 2009;55(6):656–62. DOI: 10.1590/S0104-42302009000600009

Tironi MOS, Teles JMM, Barros DS, Vieira DFVB, Silva Filho CM, Martins DF, et al. Prevalência de síndrome de burnout em médicos intensivistas de cinco capitais brasileiras. Rev Bras Ter Intensiva. 2016;28(3):270–7. DOI: 10.5935/0103-507X.20160053

Santos CLC, Barbosa GB, Nascimento DSS, Martins Júnior DF, Nascimento Sobrinho CL. Prevalência de Síndrome da Estafa Profissional e fatores associados em fisioterapeutas intensivistas. Rev Pesqui Fisioter. 2018 Sep 17;8(3):336–44. DOI: 10.17267/2238-2704rpf.v8i3.2032

Nascimento DDSS, Barbosa GB, Santos CLC, Martins Júnior DF, Sobrinho CLN. Prevalência de Distúrbio Psíquico Menor e fatores associados em enfermeiros intensivistas. Rev Baiana Enferm. 2019;21;33:280–91. DOI: 10.18471/rbe.v33.28091

Araújo T, Graça C, Araújo E. Estresse ocupacional e saúde : contribuições do Modelo Demanda-Controle Occupational stress and health : Job Strain Model contribution. Stress Int J Biol Stress. 2003;285–97. DOI: 10.1590/S1413-81232993999499921

Fiorotti KP, Rossoni RR, Borges LH, Miranda AE. Transtornos mentais comuns entre os estudantes do curso de medicina: prevalência e fatores associados Common mental disorders in medical students: prevalence and associated factors. J Bras Psiquiatr. 2010;59(1):17-23. DOI: 10.1590/S0047-20852010000100003

Silva GJP, Ferreira PAM, Costa RP, Jesus SFC, Gondim LAR, Ferreira PR. Danos à saúde relacionados ao trabalho de fisioterapeutas que atuam em terapia intensiva. ASSOBRAFIR Cienc. 2016;7 DOI: 10.47066/2177-9333/ac.25328

Kirchhof AL, Magnago TSBS, Camponogara S, Griep RH, Tavares JP, Prestes FC, et al. Working conditions and social-demographic characteristics related to the presence of minor psychic disorders in nursing workers Portuguese]. Texto Context Enferm [Internet]. 2009;18(2):215-23. DOI: 10.1590/S0104-07072009000200003

Rodrigues EP ereir., Rodrigues US antan., Oliveira L de MM ot., Laudano RC unh. S, Sobrinho CL ope. N. Prevalência de transtornos mentais comuns em trabalhadores de enfermagem em um hospital da Bahia. Rev Bras Enferm. 2014;67(2):296-301. DOI: 10.5935/0034-7167.20140040

Araújo TM, Aquino E, Menezes G, Santos CO, Aguiar L. Aspectos psicossociais do trabalho e distúrbios psíquicos entre trabalhadoras de enfermagem. Rev Saude Publica. 2003;37(4):424-33. DOI: 10.1590/S0034-89102003000400006

Portaria GM/MS no 3432, de 12 de agosto de 1998 (Brasil). Estabelece critérios de classificação para as Unidades de Tratamento Intensivo - UTI. [Internet]. Gabinete do Ministro; 1998. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/ gm/1998/prt3432_12_08_1998.html.

Pinhatti EDG, Ribeiro RP, Soares MH, Martins JT, Lacerda MR. Distúrbios psíquicos menores na enfermagem: prevalência e fatores associados. Rev Bras Enferm. 2018;71:2176-83. DOI: 10.1590/0034-7167-2018-0028

Carvalho DB, Araújo TM, Bernardes KO. Transtornos mentais comuns em trabalhadores da Atenção Básica à Saúde. Rev Bras Saúde Ocup. 2016;41(0). DOI: 10.1590/2317-6369000115915

Silvany Neto AM. Bioestatística sem segredos. Salvador: 1a edição, 2008.

Marcelino Filho A, Araújo TM de. Estresse ocupacional e saúde mental dos profissionais de Centro de Especialidades Médicas de Aracaju. Trab Educ e Saúde. 2015;13(suppl 1):177-99. DOI: 10.1590/1981-7746-sip00016

Pascoal KPMF, Santos ACB da C, Silva JASS da, Fernandes VM de S, Sousa MN de. Avaliação da qualidade de vida, estresse e saúde mental dos profissionais de saúde das Unidade de Terapia Intensiva. Rev Interdiscip em saúde. 2019 Nov 25;6(5):19-30. DOI: 10.35621/23587490.v6.n5.p19-30

Carvalho CN, Melo-Filho DA, Alberto J, Carvalho G , Carla A, Amorim G. Prevalência e fatores associados aos transtornos mentais comuns em residentes médicos e da área multiprofissional. J Bras Psiquiatr. 2013;62(1):38-45. DOI: 10.1590/S0047-20852013000100006

Nascimento Sobrinho CL, Carvalho FM, Bonfim TAS, Cirino CAS, Ferreira IS. Condições de trabalho e saúde dos médicos em Salvador, Brasil. Cad. Saúde Pública vol.22 no.1 Rio de Janeiro. 2006. DOI: 10.1590/S0102-311X2006000100014

Alves AP, Pedrosa LAK, Coimbra MAR, Miranzi MAS, Hass VJ. Prevalência de transtornos mentais comuns entre profissionais de saúde. Rev Enferm. 2015;1;23(1):64-9. DOI: 10.12957/reuerj.2015.8150

Pinho PDS, Araújo TM. Associação entre sobrecarga doméstica e transtornos mentais comuns em mulheres Association between housework overload and common mental disorders in women. Ver Bras. Epidemiol. 2012;15(3). DOI: doi.org/10.1590/S1415-790X2012000300010

Nunes MA, Pinheiro AP, Bessel M, Brunoni AR, Kemp AH, Benseñor IM, et al. Common mental disorders and sociodemographic characteristics: Baseline findings of the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil). Rev Bras Psiquiatr. 2016;38(2):91-7. DOI: 10.1590/1516-4446-2015-1714

Monteiro JK, Oliveira ALL, Ribeiro CS, Grisa GH, Agostini N. Adoecimento psíquico de trabalhadores de Unidades de Terapia Intensiva. Psicol Ciênc Profissão. 2013;33(2):366-79. DOI: 10.1590/S1414-98932013000200009

Freire CB, Dias RF, Schwingel PA, França EET, Andrade FMD, Costa EC, et al. Qualidade de vida e atividade física em profissionais de terapia intensiva do sub médio São Francisco. Rev Bras Enferm. 2015;1;68(1):26-31. DOI: 10.1590/0034-7167.2015680104p

Publicado

2022-05-28

Como Citar

Santos, C. L. C. ., Lisboa, L. P. C. ., Aragão, N. S. C. de ., Barbosa, G. B., Martins Júnior, D. F., Nascimento, M. de A. ., & Nascimento Sobrinho , C. L. . (2022). Prevalência e fatores associados a distúrbios psíquicos menores em fisioterapeutas intensivistas de uma grande cidade do estado da Bahia. Fisioterapia E Pesquisa, 29(1), 53-60. https://doi.org/10.1590/1809-2950/21004729012022PT

Edição

Seção

Pesquisa Original