Efeitos do uso de órteses na Doença de Charcot-Marie-Tooth: atualização da literatura

Autores

  • Rouse Barbosa Pereira UNISUAM
  • Marco Orsini UNISUAM
  • Arthur de Sá Ferreira UNISUAM
  • Júlio Guilherme Silva UNISUAM
  • Clynton Lourenço Corrêa Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Marcos RG De Freitas Universidade Federal Fluminense (UFF); Serviço de Neurologia
  • Valéria Marques Coelho Associação Fluminense de Reabilitação (AFR)
  • Mario Cézar Goulart Associação Fluminense de Reabilitação (AFR)
  • Nelson Kagohara AFR
  • Gabriela Guerra Leal Souza Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP); Departamento de Ciências Biológicas
  • Sara Lúcia de Menezes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1809-29502012000400016

Palavras-chave:

Doença de Charcot-Marie-Tooth, Aparelhos Ortopédicos, Reabilitação

Resumo

A Doença de Charcot-Marie-Tooth (DCMT) é a neuropatia periférica hereditária mais comum em seres humanos, apresentando incidência de 1:2.500 pessoas. A fraqueza distal crural na DCMT provoca inúmeras alterações na marcha, como, por exemplo, na velocidade, no comprimento, na largura e cadência dos passos. Vários recursos em reabilitação têm sido propostos para gerenciar os problemas de deambulação, dentre eles, destaca-se a utilização de órteses. O objetivo deste estudo é apresentar e discutir os resultados de estudos sobre os efeitos da utilização de órteses nos padrões de marcha na DCMT. Neste estudo foi utilizada atualização da literatura através das principais bases de dados nacionais/internacionais (SciELO, LILACS e MEDLINE), publicados entre os anos de 2006-2012. O tratamento da DCMT consiste em fisioterapia e utilização de equipamentos de assistência, visto que ainda não há fármacos ou terapia gênica capaz de atenuar os danos clínicos e funcionais. Tal associação busca maximizar a função e melhorar a qualidade de vida desses pacientes, na tentativa de evitar agravos adicionais relativos à incapacidade física. A partir de atualização de literatura é possível concluir que existe consenso sobre a utilização de órteses nos membros inferiores para promover a estabilização das articulações do tornozelo e um padrão de deambulação mais funcional, evitando sinergias inadequadas de movimento e atenuando o risco de quedas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-01

Como Citar

Pereira, R. B., Orsini, M., Ferreira, A. de S., Silva, J. G., Corrêa, C. L., Freitas, M. R. D., Coelho, V. M., Goulart, M. C., Kagohara, N., Souza, G. G. L., & Menezes, S. L. de. (2012). Efeitos do uso de órteses na Doença de Charcot-Marie-Tooth: atualização da literatura . Fisioterapia E Pesquisa, 19(4), 388-393. https://doi.org/10.1590/S1809-29502012000400016

Edição

Seção

Revisão de Literatura