Mário de Andrade e Lévi-Strauss: aprendizes de um certo Brasil

  • Raquel Illescas Bueno Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Literatura de viagem, O turista aprendiz, Tristes trópicos

Resumo

Nas décadas de 1920 e 1930, Mário de Andrade e Lévi-Strauss percorreram áreas bastante isoladas do território brasileiro. Foram, assim, viajantes e aprendizes de um certo Brasil profundo, que se propuseram a divulgar e preservar. Este trabalho identifica pontos de convergência entre os relatos de viagem reunidos em O turista aprendiz (primeira publicação, 1976) e Tristes trópicos (1955) e compara aspectos da observação da cultura brasileira por cada um dos autores. O interesse pela arte popular e pelas culturas indígenas, com visada antropológica, são elementos basilares das duas obras. Ainda que os pontos de partida de seus autores fossem distintos, tanto geográfica como ideologicamente, a perspectiva antietnocêntrica é marcante nos dois trabalhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Illescas Bueno, Universidade Federal do Paraná
Professora da Universidade Federal do Paraná
Publicado
2018-01-15
Como Citar
Bueno, R. (2018). Mário de Andrade e Lévi-Strauss: aprendizes de um certo Brasil. Revista Geografia, Literatura E Arte, 1(1), 54-70. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.140270
Seção
Artigos