Desigualdade e espaço no capitalismo contemporâneo: uma questão de (in)justiça territorial?

  • Paulo Miguel Madeira Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
  • Mário Vale Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Justiça espacial. Justiça territorial. Variantes do capitalismo. Desigualdades regionais. Europa

Resumo

A ideia de territórios (in)justos e o conceito de justiça espacial podem ser perspetivados a várias escalas. Neste texto, discute-se a génese da ideia de justiça territorial e a sua aplicação à escala regional, à luz também das ideias subjacentes às políticas de coesão da UE, incluindo a de coesão territorial. Como exemplo de (in)justiça territorial, são apresentadas sumariamente as dinâmicas socioeconómicas nas regiões da UE na fase mais intensa da globalização neoliberal contemporânea. Finalmente, discute-se a relação fundamental entre capitalismo, direito à cidade e justiça territorial, com relação às principais variedades do capitalismo e as suas variações nacionais e sua repercussão no desempenho económico e social das regiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Miguel Madeira, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
Doutorando em Geografia, na especialidade de Geografia Humana, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT), Universidade de Lisboa.
Mário Vale, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa
Professor Catedrático do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa

Referências

ATTOH, K. A. What kind of right is the right to the city?. Progress in Human Geography, v. 35, n. 5, p. 669-685, 2011.

BERGHAHN, V.; YOUNG, B. Reflections on Werner Bonefeld’s ‘Freedom and the Strong State: on German Ordoliberalism’ and the continuing importance of the ideas of Ordoliberalism to understand Germany’s (Contested) role in resolving the Eurozone crisis. New Political Economy, v. 18, n. 5, p. 768-778, 2013.

BRENNER, N. New State Spaces: Urban Governance and the Rescaling of Statehood. Oxford: Oxford University Press, 2004.

CCE. COMISSÃO EUROPEIA. Barca Report – An Agenda for a Reformed Cohesion Policy: A Place-Based Approach to Meeting European Union Challenges and Expectations. Bruxelas: Comissão Europeia/Inforegio, 2009.

______. Livro verde sobre a coesão territorial europeia: tirar partido da diversidade territorial. Bruxelas: Comissão Europeia, 2008.

______. Regiões em crescimento, Europa em crescimento: quarto relatório sobre coesão económica e social. Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, 2007.

DE GRAUWE, P. The Governance of a Fragile Eurozone. CEPS Working Documents nº 346. Bruxelas: Ceps, maio 2011.

HAESBAERT, R. Território e multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia, ano IX, n. 17, p. 19-45, 2007.

HALL, P. A.; SOSKICE, D. (Coord.). Varieties of Capitalism: The Institutional Foundations of Comparative Advantage. Oxford: Oxford University Press, 2001.

HARVEY, D. The right to the city. New Left Review, n. 53, p. 23-40, 2008.

______. Spaces of Hope. Berkeley/Los Angeles: University of California Press, 2000.

LEFEBVRE, H. Le droit à la ville. Paris: Anthropos, 1968.

MADEIRA, P. M. Dinâmicas regionais ganhadoras e perdedoras na União Europeia durante a globalização económica. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, n. 37, p. 43-56, 3º quadrimestre 2014.

______. Regiões europeias ganhadoras e perdedoras na globalização económica da transição do século XX para o XXI. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2012.

MARIAN, I. Normative constructions of spatial justice. Economics, Management, and Financial Markets, v. 7, n. 2, p. 149-154, 2012.

MARCUSE, P. Spatial justice: derivative but causal of social injustice. Justice Spatiale | Spatial Justice, n. 1, p. 1-6, 2009.

MORGAN, K. Devolution and Development: Territorial Justice and the North-South Divide. Publius, v. 36. n. 1, p. 189-206, 2006.

PECK, J.; THEODORE, N. Variegated capitalism. Progress in Human Geography, v. 31, n. 6, p. 731-772, 2007.

PIRIE, G. H. On spatial justice. Environment and Planning A, v. 15, n. 4, p. 465-473, 1983.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Human Development Report. Nova York: Palgrave Macmillan, 2011.

RODRIGUES, C. F. (Coord.). Desigualdade económica em Portugal. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2012.

RODRIGUES, J.; REIS, J. The asymmetries of European integration and the crisis of capitalism in Portugal. Competition and Change, v. 16, n. 3, p. 188-205, 2012.

SOJA, E. W. My Los Angeles: From Urban Restructuring to Regional Urbanization. Los Angeles: University of California Press, 2014.

______. Seeking Spatial Justice. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2010.

______. The city and spatial justice. Justice Spatiale | Spatial Justice, n. 1, 2009. Disponível em: <http://www.jssj.org/article/la-ville-et-la-justice-spatiale/>. Acesso em: 26 fev. 2013.

VALE, M. Economic crisis and the Southern European regions: towards alternative territorial development policies. In: SALOM, J.; FARINÓS, J. Identity and Territorial Character: Re-Interpreting Local Spatial Development. Valencia: Universitat de València, 2014. p. 37-48. (Colección Desarrollo Territorial 13.)

______. Regional Survey: EU territorial cohesion green paper: member states’ perspectives the EU’s territorial cohesion policy. Regions Magazine, v. 276, n. 1, p. 10, 2009.

Publicado
2015-11-03
Como Citar
Madeira, P., & Vale, M. (2015). Desigualdade e espaço no capitalismo contemporâneo: uma questão de (in)justiça territorial?. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 19(2), 196-211. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2015.102771
Seção
Artigos