Atributos ambientais no ordenamento territorial urbano. O exemplo das planícies fluviais na Metrópole de São Paulo

  • Cleide Rodrigues Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Planícies fluviais. Antropogeomorfologia. São Paulo. Tributos ambientais.

Resumo

Este estudo parte da abordagem antropogeomorfológica das planícies fluviais meândricas da região metropolitana de São Paulo, para avaliar a eficácia de processos e instrumentos do ordenamento territorial urbano quanto à proteção de atributos ambientais desses sistemas. A abordagem permite reconstituir cartograficamente a paisagem original dessas planícies e o processo histórico de sua apropriação, avaliando-se alguns instrumentos técnicos, legais e agentes sociais relevantes desse processo. Com indicadores mensuráveis, foram avaliados o grau de supressão e degradação física das planícies, a perda de seus serviços ambientais e o quanto os marcos regulatórios foram insuficientes, transgredidos e desprovidos de referências geográficas precisas. Dentre outras necessidades, destaca-se a emergência de engajamento da sociedade civil quanto à reinvindicação de medidas de proteção dos 10% de remanescentes contínuos dessas planícies na Bacia do Alto Tietê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleide Rodrigues, Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Profa. da Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo FFLCH/USP

Referências

ABREU, Adilson Avansi Significado e Propriedades do Relevo na Organização do espaço. Boletim de Geografia Teorética, v. 15, p. 154-162, 1985

AB’SABER, A. (1957). Geomorfologia do Síto Urbano de São Paulo. Tese de Doutorado. FFLCH Universidade de São Paulo

BATISTA, S. C. (2002): Conversa Cartográfica: Processo de expansão urbana na Metrópole Paulistana e unidades geomorfológicas de média escala. – Monography, Dep. Geogr., Univ. São Paulo.

BAKER, V.R. (2008) Paleoflood hydrology: origin, progress, prospects. Geomorphology, 101 (1-2), 1-13.BENITO, G. & THORNDYCRAFT, V. R. (2004): Palaeoflood hydrology and its role in applied hydrological sciences. – Jour. of Hyd. 313: 3-15.

BERGER,A. & IANS,W (1996) Geoindicators. Assessing rapid environmental changes in earth systems. Rotterdam, Balkema.

BENITO, G. & HUDSON, P. F. (2010): Flood hazards: the context of fluvial geomorphology. In: ALCÁNTARA-AYALA I. & GOUDIE, A. (2010): Geomorphological hazards and disaster prevention. - Cambridge University Press, Cambridge: 111-128.

BOX,T. W. (1978) Reclamation of drastically disturbed land. In : Symerican Society of Agronomy.

BRUNSDEN, D. (1996) Geomorphological events and landform change. Z.Geomorph.N.F., Berlin-Stuttgart, v. 40, n. 3, p. 273-288, 1996.

CRUTZEN, P. J. (2002): Geology of mankind. Nature 415: doi:10.1038/415023a.

CUSTÓDIO, V.(2002) A persistência das inundações na Grande São Paulo. Tese de Doutorado. FFLCH Universidade de São Paulo

DOUGLAS, I. (2005): Urban geomorphology. - In: FOOKES, P. G.; LEE, E. M.; GRIFFITHS, J. S. Geomorphology for engineers: 757-777.

GOUDIE, A. S. (1981): The Human Impact: man’s role in environmental change. Basil Blackwell, Oxford, 316 pp.

GOUDIE, A. S. & VILES, H. A. (1997): The Earth transformed: an introduction to human impacts on the environment. – Blackwell, Oxford, 288 pp.

GREGORY, K. J. (2003): Palaeohydrology,environmental change and river-channel management. - In GREGORY, K. J. & BENITO, G. (eds) Palaeohydrology: Understanding Global Change. Wiley, Chichester: 357-378.

GREGORY, K. J.; DAVIS, R. J.; DOWNS, P. W. (1992): Identification of river channel change to due to urbanization. – Appl. Geogr. 12: 299-318.

GUPTA, A. Geoindicators for tropical urbanization. Environmental Geology, 42, n. 7, 2002. 8

HACK, J.T. (1960) Interpretation of erosional topography in humid temperate regions. American Journal of Science. 258 A 80-97

LUZ, R. A. (2014): Mudanças geomorfológicas na planície fluvial do Rio Pinheiros, São Paulo (SP), ao longo do processo de urbanização.- PhD. Thesis, Dep. Geogr., Univ. São Paulo.

MOROZ-CACCIA GOUVEIA, I. C. (2010): Da originalidade do sítio urbano de São Paulo às formas antrópicas: aplicação da abordagem da Geomorfologia Antropogênica na Bacia Hidrográfica do Rio Tamanduateí, na Região Metropolitana de São Paulo. - PhD Thesis, Dep. Geogr., Univ. São Paulo. Available in: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-31012011-123012/pt-br.php.

NIR, D. (1983): Man, a geomorphological agent: an introduction to Anthropic Geomorphology. - D. Reidel, Boston: Keter publishing house, Jerusalem, 165 pp.

REIS, N. G. (2004): São Paulo Vila Cidade Metrópole. Ed. Via das Artes, São Paulo, 262 pp.

RIBEIRO, L (2013): Os famosos Piscinões de São Paulo. Aquafluxos Consultoria Ambiental em Recursos Hídricos. Available in: http://aquafluxus.com.br/?p=3935, accessed on 11 dec. 2014.

RODRIGUES, C. (1999): On antropogeomorphology. - Ann. Reg. Conf. Geomorph. Rio de Janeiro: 100-110.

RODRIGUES, C. (2004): A urbanização da metrópole sob a perspectiva da geomorfologia: tributo a leituras geográficas. - In: CARLOS, A. F. A.; OLIVEIRA, A. U. D. Geografias de São Paulo: representação e crise da metrópole. Contexto, São Paulo: 89-114.

RODRIGUES, C. (2010): Avaliação do impacto humano da urbanização em sistemas hidro-geomorfológicos: Desenvolvimento e aplicação de metodologia na Grande São Paulo. – Rev. Dep. Geogr. 20: 111-125.

RODRIGUES, C. & COLTRINARI, L. (2004): Geoindicators of urbanization effects in humid tropical environment: Sao Paulo (Brazil) Metropolitan Area. – Ann. 32th Int. Geol. Congr. 2: 976.

RODRIGUES, C. et al (2014) Geomorfologia urbana historica para avaliação de forçantes naturais e antropicas na variabilidade da magnitude, frequencia e das tendencias espaciais de eventos de inundações em São Paulo. Environnement et géomatique : approches comparées France-Brésil. Rennes, 12-15 novembre 2014

RODRIGUES,C. et al (inédito) Geomorphological mapping and the historical approach for evaluation of changes in flood storage capacity of meandering fluvial systems of Sao Paulo – Brazil. (manuscrito submetido em 2014)

RODRIGUES, C. et al ( inédito) Carta Geomorfológica das planícies fluviais meândricas da bacia do Alto Tietê ( relatório CNPQ/ 2015)

SANTANA, C.L. (2007) Geomorfologia da planície fluvial do rio Ribeira de Iguape entre Sete Barras e Eldorado (SP): subsídios ao planejamento físico-territorial de áreas inundáveis. Dissertação de Mestrado São Paulo, FFLCH Universidade de São Paulo.

SCOTTISH EXECUTIVE ENVIRONMENT GROUP RESEARCH (2005): Natural Flood Storage and Extreme Flood Events: Final Report. JBA Consulting. Edinburgh: 74.

SEABRA,O. (1987) Os meandros dos rios nos meandros do poder: o processo de valorizacao dos rios e das várzeas do Tiete e Pinheiros na cidade de Sao Paulo. Tese de Doutorado. São Paulo, FFLCH,Universidade de São Paulo., Ano de Obtenção: 1987.

SUGUIO et al, 2010. SUGUIO, K. et al. Provável Significado Geológico de Idades LOE (Luminescência Opticamente Estimulada) da Formação Itaquaquecetuba, SP. Revista do Instituto de Geociências, Geologia USP, Série Científica, São Paulo, 10, n. 3, 2010. 49-56

SZABÓ, J; DÁVID, L.; LÓCZY, D. (eds.) (2010): Anthropogenic geomorphology: a guide to man-made landforms. – Springer, Dordrecht, Heidelberg, London, New York, 250 pp.

TAKYA,H. (1997) Estudo de Sedimentação Neogênico Quaternário no Município de São Paulo: Caracterização dos depósitos e suas implicações na geologia urbana. 152 f. Tese (Doutorado em Geologia Sedimentar). Instituto de Geociências (IGc) – USP. São Paulo. 1997.

TRIMBLE, A. W. (2008): The use of historical data and artifacts in geomorphology. – Prog. Phys. Geogr. 1: 3-29.

VALVERDE-FUJIMOTO, N. (2001) . Análise Ambiental Urbana na Área Metropolitana de Porto Alegre Sub-Bacia Hidrográfica do Arroio Dilúvio Tese de Doutorado. FFLCH Universidade de São Paulo.

VENEZIANI, Y. (2014): A abordagem da geomorfologia antropogênica e de modelagens hidrológica e hidráulica na bacia do Córrego Três Pontes (SP) para determinação de picos de vazão e da vulnerabilidade a inundações. – Master thesis, Dep. Geogr., Univ. São Paulo.

WOLMAN, M. G. (1967): A cycle of sedimentation and erosion in urban river channels. - Geografiska Annaler, 49A: 385–395.

Publicado
2015-11-03
Como Citar
Rodrigues, C. (2015). Atributos ambientais no ordenamento territorial urbano. O exemplo das planícies fluviais na Metrópole de São Paulo. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 19(2), 324-347. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2015.102805
Seção
Artigos