Processos de requalificação das áreas centrais das cidades de Belém, Marabá e São Paulo

Autores

  • Glória da Anunciação Alves Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122415

Palavras-chave:

Requalificação urbana. Segregação socioespacial. Patrimonialização. Higienização socioespacial.

Resumo

O processo de requalificação urbana de áreas centrais de grandes cidades mundiais como Baltimore, Nova York, Londres e Barcelona, entre outras, serviu de modelo para grandes metrópoles nacionais latino-americanas como Buenos Aires e São Paulo, e mesmo regionais como Belém e Marabá. Discutem-se aqui esses processos e suas implicações, ressaltando o que há de semelhante e particular, sobretudo no que tange às ações, destacando consequências que, embora com peculiaridades, tendem à segregação socioespacial.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Glória da Anunciação Alves, Universidade de São Paulo

    Docente do Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da FFLCH-USP.

Referências

ALVES, G. A. O uso do centro da cidade de São Paulo e sua possibilidade de apropriação. São Paulo: FFLCH, 2010. Disponível em: http://gesp.fflch.usp.br/sites/gesp.fflch.usp.br/files/Livro_gloria.pdf. Acesso em: 15 ago. 2015.

ARANTES, O. A cidade do pensamento único, desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2002.

BELÉM. Programa de reabilitação urbana e ambiental da bacia Estrada Nova- Pronaben: relatório de impacto ambiental. Belém: Prefeitura Municipal, 2007.

BORJA, J.; MUXÍ, Z. El espacio público: ciudad y ciudadanía. Barcelona: Electra, 2001.

CAMPOS, A. São Paulo sobe em ranking de cidades globais e aparece na 32ª posição. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 20 maio 2015. Disponível em: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,sp-sobe-em-ranking-de-cidades-globais-e aparece-na-32-posicao. Acesso em: 1 set. 2015.

CARDOSO, D. L. A função estratégica do assistencialismo na produção do espaço na metrópole. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

CARLOS, A. F. A. Espaço tempo na metrópole. São Paulo: Contexto, 2001.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FIPE-ZAP. Disponível em: http://www.zap.com.br/imoveis/fipe-zap-b/. Acesso em: 15 set. 2015.

HARVEY, D. O enigma do capital e as crises do capitalismo. Lisboa: Bizâncio, 2011.

HARVEY, D. A liberdade da cidade. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 26, p. 9-17, 2009.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

LEÃO, M. B. M. S. Remoção e reassentamento em projetos de urbanização de baixadas em Belém: tendências recentes e retrocesso. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL, 16., 2015, Belo Horizonte. Disponível em: http://xvienanpur.com.br/anais/?wpfb_dl=264. Acesso em: 20 ago. 2015.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. Trad. Rubens Eduardo Frias. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2001.

LIMA, M. M. A ribeira & a orla: espacialidades e territorialidades urbanas ribeirinhas em uma cidade amazônica em transformação. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

MONGIN, O. Quelle reconfiguration territoriale? Quelle reconfiguration démocratique? ESPRIT – Les Chantiers du Grand Paris, Paris, n. 348, p. 60-69, out. 2008.

MÜLLER, N. L. A área central da cidade. In: AZEVEDO, A. (Org.). A cidade de São Paulo. São Paulo: AGB, 1958. v. III. p. 121-181.

ROBIRA, R. T. Áreas metropolitanas: espaços colonizados. CARLOS, A. F. A.; CARRERAS, C. (Org.). Urbanização e mundialização: estudos sobre a metrópole. São Paulo: Contexto, 2005. p. 9-20.

SÃO PAULO (Cidade). A cartilha da área central. 2. rev. São Paulo: São Paulo Urbanismo, 2010. Disponível também em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/desenvolvimento_urbano/sp_urbanismo/arquivos/ouc/cartilha_ouc_versao_abr_2011.pdf. Acesso em: 4 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Lei n. 14.918, de 7 de maio de 2009a. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/desenvolvimento_urbano/legislacao/index.php?p=1382. Acesso em: 4 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Programa de requalificação urbana Nova Luz. São Paulo: Emurb, 2009b. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/apresentacao_72_ouc_roce_1256335601.pdf. Acesso em: 3 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Programa de requalificação urbana Nova Luz. São Paulo: Emurb, 2008. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/caderno_plano_urbanistico_1255718689.pdf. Acesso em: 3 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Lei de Incentivos Seletivos n. 14.096, de 8 de dezembro de 2005a. Dispõe sobre a criação do Programa de Incentivos Seletivos para a região adjacente à Estação da Luz, na área central do Município de São Paulo, nos termos que especifica. Disponível em: http://ww2.prefeitura.sp.gov.br//arquivos/secretarias/financas/legislacao/Lei-14096-2005.pdf. Acesso em: 28 set. 2016.

SÃO PAULO (Cidade). Decreto de Utilidade Pública 46.291, de 5 de setembro de 2005b. Declara de utilidade pública, para desapropriação, imóveis particulares situados no Distrito da República, necessários à execução de plano de urbanização. Disponível em: http://www3.prefeitura.sp.gov.br/cadlem/secretarias/negocios_juridicos/cadlem/integra.asp?alt=06092005D%20462910000. Acesso em: 28 set. 2016.

SÃO PAULO (Cidade). Programa Ação Centro-BID. Projeto Nova Luz. São Paulo: Sempla/Emurb, 2005c.

SÃO PAULO (Cidade). Dossiê São Paulo. São Paulo: Sempla, 1996.

SÃO PAULO (Cidade). Lei n. 11.090, de 16 de setembro de 1991. Estabelece programa de melhorias para a área de influência imediata do Vale do Anhangabaú, cria incentivos e formas para sua implantação, e dá outras providências. Disponível em: http://cmspbdoc.inf.br/iah/fulltext/leis/L11090.pdf. Acesso em: 28 set. 2016.

SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Nobel, 1998.

SCOTT, A. J. et al. Cidades-regiões globais. Espaço & Debates, São Paulo: Neru, n. 41, p. 11-25, 2001.

SMITH, N. A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à “regeneração” urbana como estratégia urbana global. In: BIDOU-ZACHARIASEN, C. (Coord.). De volta à cidade. São Paulo: Annablume, 2006. p. 59-87.

TRINDADE JR., S.-C. C. Estratégias de desenvolvimento e discurso do declínio em políticas de requalificação urbana no Brasil e na Europa. Cidades, Presidente Prudente: GEU, n. 11, p. 193-218, 2010.

TRINDADE JR; AMARAL, M. D. B. Reabilitação urbana na área central de Belém-Pará: concepções e tendências de políticas urbanas emergentes. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n. 111, p. 73-103, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/biblioteca/docs/rev_pr_111_saint_clair.pdf. Acesso em: 5 ago. 2015.

Downloads

Publicado

2016-08-21

Como Citar

ALVES, Glória da Anunciação. Processos de requalificação das áreas centrais das cidades de Belém, Marabá e São Paulo. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 20, n. 2, p. 364–375, 2016. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122415. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/122415.. Acesso em: 24 abr. 2024.