Processos de requalificação das áreas centrais das cidades de Belém, Marabá e São Paulo

Autores

  • Glória da Anunciação Alves USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122415

Palavras-chave:

Requalificação urbana. Segregação socioespacial. Patrimonialização. Higienização socioespacial.

Resumo

O processo de requalificação urbana de áreas centrais de grandes cidades mundiais como Baltimore, Nova York, Londres e Barcelona, entre outras, serviu de modelo para grandes metrópoles nacionais latino-americanas como Buenos Aires e São Paulo, e mesmo regionais como Belém e Marabá. Discutem-se aqui esses processos e suas implicações, ressaltando o que há de semelhante e particular, sobretudo no que tange às ações, destacando consequências que, embora com peculiaridades, tendem à segregação socioespacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glória da Anunciação Alves, USP

Docente do Programa de Pós Graduação em Geografia Humana da FFLCH USP

Referências

ALVES, G. A. O uso do centro da cidade de São Paulo e sua possibilidade de apropriação. São Paulo: FFLCH, 2010. Disponível em: http://gesp.fflch.usp.br/sites/gesp.fflch.usp.br/files/Livro_gloria.pdf. Acesso em: 15 ago. 2015.

ARANTES, O. A cidade do pensamento único, desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2002.

BELÉM. Programa de reabilitação urbana e ambiental da bacia Estrada Nova- Pronaben: relatório de impacto ambiental. Belém: Prefeitura Municipal, 2007.

BORJA, J.; MUXÍ, Z. El espacio público: ciudad y ciudadanía. Barcelona: Electra, 2001.

CAMPOS, A. São Paulo sobe em ranking de cidades globais e aparece na 32ª posição. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 20 maio 2015. Disponível em: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,sp-sobe-em-ranking-de-cidades-globais-e-aparece-na-32-posicao. Acesso em: 1 set. 2015.

CARDOSO, D. L. A função estratégica do assistencialismo na produção do espaço na metrópole. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

CARLOS, A. F. A. Espaço tempo na metrópole. São Paulo: Contexto, 2001.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FIPE-ZAP. Disponível em: http://www.zap.com.br/imoveis/fipe-zap-b/. Acesso em: 15 set. 2015.

HARVEY, D. O enigma do capital e as crises do capitalismo. Lisboa: Bizâncio, 2011.

______. A liberdade da cidade. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 26, p. 9-17, 2009.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992

LEÃO, M. B. M. S. Remoção e reassentamento em projetos de urbanização de baixadas em Belém: tendências recentes e retrocesso. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL, 16., 2015, Belo Horizonte. Disponível em: http://xvienanpur.com.br/anais/?wpfb_dl=264. Acesso em: 20 ago. 2015.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. Trad. Rubens Eduardo Frias. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2001.

LIMA, M. M. A ribeira & a orla: espacialidades e territorialidades urbanas ribeirinhas em uma cidade amazônica em transformação. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

MONGIN, O. Quelle reconfiguration territoriale? Quelle reconfiguration démocratique? ESPRIT – Les Chantiers du Grand Paris, Paris, n. 348, p. 60-69, out. 2008.

MÜLLER, N. L. A área central da cidade. In: AZEVEDO, A. (Org.). A cidade de São Paulo. São Paulo: AGB, 1958. v. III. p. 121-181.

ROBIRA, R. T. Áreas metropolitanas: espaços colonizados. CARLOS, A. F. A.; CARRERAS, C. (Org.). Urbanização e mundialização: estudos sobre a metrópole. São Paulo: Contexto, 2005. p. 9-20.

SÃO PAULO (Cidade). A cartilha da área central. 2. rev. São Paulo: São Paulo Urbanismo, 2010. Disponível também em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/desenvolvimento_urbano/sp_urbanismo/arquivos/ouc/cartilha_ouc_versao_abr_2011.pdf. Acesso em: 4 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Lei n. 14.918, de 7 de maio de 2009a. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/desenvolvimento_urbano/legislacao/index.php?p=1382. Acesso em: 4 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Programa de requalificação urbana Nova Luz. São Paulo: Emurb, 2009b. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/apresentacao_72_ouc_roce_1256335601.pdf. Acesso em: 3 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Programa de requalificação urbana Nova Luz. São Paulo: Emurb, 2008. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/caderno_plano_urbanistico_1255718689.pdf. Acesso em: 3 set. 2015.

SÃO PAULO (Cidade). Lei de Incentivos Seletivos n. 14.096, de 8 de dezembro de 2005a. Dispõe sobre a criação do Programa de Incentivos Seletivos para a região adjacente à Estação da Luz, na área central do Município de São Paulo, nos termos que especifica. Disponível em: http://ww2.prefeitura.sp.gov.br//arquivos/secretarias/financas/legislacao/Lei-14096-2005.pdf. Acesso em: 28 set. 2016.

SÃO PAULO (Cidade). Decreto de Utilidade Pública 46.291, de 5 de setembro de 2005b. Declara de utilidade pública, para desapropriação, imóveis particulares situados no Distrito da República, necessários à execução de plano de urbanização. Disponível em: http://www3.prefeitura.sp.gov.br/cadlem/secretarias/negocios_juridicos/cadlem/integra.asp?alt=06092005D%20462910000. Acesso em: 28 set. 2016.

SÃO PAULO (Cidade). Programa Ação Centro-BID. Projeto Nova Luz. São Paulo: Sempla/Emurb, 2005c.

SÃO PAULO (Cidade). Dossiê São Paulo. São Paulo: Sempla, 1996.

SÃO PAULO (Cidade). Lei n. 11.090, de 16 de setembro de 1991. Estabelece programa de melhorias para a área de influência imediata do Vale do Anhangabaú, cria incentivos e formas para sua implantação, e dá outras providências. Disponível em: http://cmspbdoc.inf.br/iah/fulltext/leis/L11090.pdf. Acesso em: 28 set. 2016.

SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Nobel, 1998.

SCOTT, A. J. et al. Cidades-regiões globais. Espaço & Debates, São Paulo: Neru, n. 41, p. 11-25, 2001.

SMITH, N. A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à “regeneração” urbana como estratégia urbana global. In: BIDOU-ZACHARIASEN, C. (Coord.). De volta à cidade. São Paulo: Annablume, 2006. p. 59-87.

TRINDADE JR., S.-C. C. Estratégias de desenvolvimento e discurso do declínio em políticas de requalificação urbana no Brasil e na Europa. Cidades, Presidente Prudente: GEU, n. 11, p. 193-218, 2010.

______; AMARAL, M. D. B. Reabilitação urbana na área central de Belém-Pará: concepções e tendências de políticas urbanas emergentes. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n. 111, p. 73-103, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/biblioteca/docs/rev_pr_111_saint_clair.pdf. Acesso em: 5 ago. 2015.

Downloads

Publicado

2016-08-21

Como Citar

ALVES, G. da A. Processos de requalificação das áreas centrais das cidades de Belém, Marabá e São Paulo. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 20, n. 2, p. 364-375, 2016. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122415. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/122415. Acesso em: 29 jul. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)