A dendeicultura na Amazônia paraense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122591

Palavras-chave:

Amazônia. Território. Camponês. Dendeicultura.

Resumo

Analisamos a expansão da dendeicultura na microrregião de Tomé-Açu, na Amazônia paraense. Em que transformações da paisagem, da configuração espacial, da dinâmica social, enfim, do território, podemos identificar esse boom? Partimos do território usado, o que nos permite considerar a dendeicultura um evento e afirmar que estamos diante de um boom do dendê materializado por territórios-rede do dendê. Baseamo-nos em entrevistas, coleta de dados, mapas e trabalho de campo levantados desde 2008 nos municípios de Moju, Acará, Tailândia, Tomé-Açu e Concórdia do Pará, lugares onde a monocultura da palma africana se expande e exige um olhar geográfico, atento aos usos e abusos do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joao Santos Nahum, Universidade Federal do Pará

Nasci no município de Abaetetuba(PA), onde me graduei em Licenciatura em Geografia (1992) pela Universidade Federal do Pará, na primeira turma do Projeto de Interiorização. Em 1992 tornei-me professor do então Núcleo Pedagógico Integrado da UFPA(NPI/UFPA). Em 1995 graduei-me em bacharel e Ciências Sociais (1995) pela UFPA, onde também fez especialização em Estado e Fronteira(1996) e mestrado em Planejamento do Desenvolvimento no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos(2000).Na PUC-MG cursei especialização em Geografia e Planejamento Ambiental(1995)e na Unesp-Rio Claro fez doutorado em geografia(2006) na área de organização do espaço. Em 2008 tornei-me professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, lotado na Faculdade de Geografia e Cartografia e integro o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPA, onde desempenho sua coordenação. Amo pesquisar na área de Geografia rural da Amazônia e de Filosofia e Epistemologia da Geografia.

Cleison Bastos dos Santos, Docente da Rede Pública de Ensino do Estado do Pará.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Pará(2005), especialização em Geografia da Amazônia pela Faculdade Integrada Brasil Amazônia(2009) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Pará(2015). Atualmente é Professor MAG-4 Efetivo da Prefeitura Municipal de Moju, Professor AD4 da Secretaria de Educação do Estado do Pará - 3ª URE, Professor AD-4 Efetivo da Escola Estadual de Ensino Médio Professora Ernestina Pereira Maia, Estudante da Universidade Federal do Pará, Estágio Docente da Universidade Federal do Pará, Pesquisador da Universidade Federal do Pará, Professor de Geografia da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Bernardino Pereira de Barros, Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Leônidas Montes e Professor Efetivo de Geografia da EEEM ECILA PANTOJA DA ROCHA. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Humana. 

Referências

BASA. BANCO DA AMAZÔNIA. A experiência do banco da Amazônia com projetos integrados de dendê familiar. Contexto amazônico, v. 22, n. 5, p. 1-8, 2012. Disponível em: http://www.bancoamazonia.com.br/images/arquivos/institucional/biblioteca/boletim/contexto_amazonico_22.pdf. Acesso em: 10 set. 2016.

BERNSTEIN, H. Dinâmicas de classe da mudança agrária. São Paulo: Unesp, 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Anuário estatístico da agroenergia 2010. 2. ed. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2011. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/Desenvolvimento_Sustentavel/Agroenergia/anuario_agroenergia/. Acesso em: 24 out. 2014.

BRASIL. Projeto de Lei n. 7.326-C, de 2010. Dispõe sobre a criação do Programa de Produção Sustentável da Palma de Óleo no Brasil, estabelece diretrizes para o zoneamento agroecológico para a cultura de palma de óleo, e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 13 maio 2010a. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=D65D1D1B330F66B1E7296BF3E4FCF0E7.proposicoesWebExterno2?codteor=768113&filename=PL+7326/2010. Acesso: 25 nov. 2016

BRASIL. Decreto n. 7.172, de 7 de maio de 2010. Aprova o zoneamento agroecológico da cultura da palma de óleo e dispõe sobre o estabelecimento pelo Conselho Monetário Nacional de normas referentes às operações de financiamento ao segmento da palma de óleo, nos termos do zoneamento. Brasília, DF, 7 maio 2010b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7172.htm. Acesso em: 18 set. 2015.

BRASIL. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade. Governo do Pará. Simlam, [s.d]. Disponível em: http://monitoramento.semas.pa.gov.br/simlam/index.htm. Acesso em: 18 set. 2015.

GOTTMANN, J. The Significance of Territory. The University Press of Virginia: Charlottesville, 1973.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HOMMA, A. K. O.; MENEZES, A. J. E. A.; MORAES, A. J. G. Dinâmica econômica, tecnologia e pequena produção: o caso da Amazônia. In: BUAINAIN, A. M. et al. O mundo rural no Brasil do século 21. Brasília-DF: Embrapa, 2014. p. 981-1010.

INDEX MUNDI. Palm oil production by country in 1000 MT. [s.d]. Disponível em: http://www.indexmundi.com/agriculture/?commodity=palm-oil&. Acesso em: 18 set. 2015.

KAUTSKY, K. A questão agrária. São Paulo: Nova Cultural, 1986.

MÜLLER, A. A.; FURLAN JR., J.; CELESTINO FILHO, P. A Embrapa Amazônia Oriental e o Agronegócio do Dendê no Pará. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2006.

NAHUM, J. S. Região e representação: a Amazônia nos planos de Desenvolvimento. In: Biblio 3W – Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, v. XVII, n. 985, 25 jul. 2012. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/b3w-985.htm. Acesso em: 24 out. 2014.

______; BASTOS, C. S. Dendeicultura e descampesinização na Amazônia paraense. Campo-Território – Revista de Geografia Agrária, Uberlândia, v. 9, n. 17, p. 469-485, abr. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/issue/view/1113. Acesso em: 24 out. 2014.

______; MALCHER, A. T. Dinâmicas territoriais do espaço agrário na Amazônia: a dendeicultura na microrregião de Tomé-Açu, PA. Confins, n. 16, 2012. Disponível em: http://confins.revues.org/7947?lang=pt. Acesso: 24 out. 2014.

______; SANTOS, C. B. Impactos socioambientais da dendeicultura em comunidades tradicionais na Amazônia paraense. ACTA Geográfica, Boa Vista-RR, p. 63-80, 2013. Edição Especial Geografia Agrária. Disponível em: http://revista.ufrr.br/index.php/actageo/issue/view/117/showToc. Acesso em: 24 out. 2014.

REBELLO, F. K.; SANTOS, M. A. S.; HOMMA, A. K. O. Modernização da agricultura nos municípios do nordeste paraense: determinantes e hierarquização no ano de 2006. Revista de Economia e Agronegócio, v. 9, n. 2, 2011. Disponível em: http://www.revistarea.ufv.br/index.php/rea/article/view/184. Acesso em: 29 out. 2014.

SACK, R. D. Human Territorialit: Its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SANTOS, M. O espaço dividido. São Paulo: Edusp, 2004.

______; SILVEIRA, M. L. Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

VEIGA, A. S.; FURLAN JR., J.; KALTNER, F. J. Políticas Públicas na agroindústria do dendê na visão do produtor. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2005.

WANDERLEY, M. N. B. O mundo rural como um espaço de vida. Reflexões sobre a propriedade da terra, agricultura familiar e ruralidade. Porto Alegre-RS: Editora da UFRGS, 2009.

Downloads

Publicado

2016-08-21

Como Citar

NAHUM, J. S.; SANTOS, C. B. dos. A dendeicultura na Amazônia paraense. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 20, n. 2, p. 281-294, 2016. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122591. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/122591. Acesso em: 1 ago. 2021.

Edição

Seção

⟢ das questões agrícolas e agrárias