A Judiciarização da reforma agrária

Autores

  • Bernardo Mançano Fernandes Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.1997.123223

Palavras-chave:

Reforma agrária, conflitos fundiários, poder judiciário, sem-terra, violência no campo

Resumo

A luta pela reforma agrária tem recebido atenção da mídia, especialmente, pela violência dos enfrentamentos entre os diferentes atores do histórico conflito fundiário. Todavia, a história também tem mostrado que um desses personagens tem sido massacrado por meio de mortes e matanças anunciadas. Esses são os trabalhadores rurais sem-terra, que há séculos têm lutado pela terra sem terem conseguido, no entretanto, realizar plenamente os seus objetivos. Neste texto, iniciamos uma reflexão a respeito de uma questão que vem se destacando nos conflitos fundiários: a judiciarização da reforma agrária. Discutimos as diferentes respostas que o Poder Judiciário tem dado às ações do Movimento do Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), com o objetivo de contribuir com o debate a respeito da questão da reforma agrária

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardo Mançano Fernandes, Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologia

Departamento de Geografia - FCT/UNESP

Downloads

Publicado

1997-04-24

Como Citar

FERNANDES, B. M. A Judiciarização da reforma agrária. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 1, n. 1, p. 35-39, 1997. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.1997.123223. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123223. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos