Consumismo e geração de resíduos sólidos

Autores

  • Manuel Rolando Berríos Universidade Estadual Paulista. Instituto de Geociências e Ciências Exatas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.1999.123360

Palavras-chave:

Resíduos sólidos, consumismo, necessidades, neoliberalismo, descarte, impactos ambientais

Resumo

Desde os tempos mais primitivos, o homem produz resíduos sob diferentes formas, oriundos da açáo de apropria­ ção da natureza para satisfazer suas necessidades. Com o avanço científico e técnico, os resíduos se diversificam e se tornam mais complexos na sua composição. O advento do capitalismo impõe novas necessidades, incentivando o consumo de objetos. Boa parte da humanidade entrou numa verdadeira febre consumista. Esse paper discute a criação de novas necessidades no modelo neoliberal, que empurra o consumidor a adquirir bens e serviços desnecessários, elaborados para ter curta duração ou descartáveis. Assim, o empresariado reproduz seus capitais, mas agride os sistemas ambientais com os objetos transformados em lixo. Sugere-se, aqui, a revisão dos padrões de consumo e o manejo dos resíduos de formas mais condizentes com os requerimentos ambientais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuel Rolando Berríos, Universidade Estadual Paulista. Instituto de Geociências e Ciências Exatas

Professor Doutor do Depto. de Planejamento Territorial e Geoprocessamento.IGCE-UNESP

Downloads

Publicado

2006-08-24

Como Citar

BERRÍOS, M. R. Consumismo e geração de resíduos sólidos. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 3, n. 2, p. 17-28, 2006. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.1999.123360. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123360. Acesso em: 26 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos