Os territórios da mineração sob a lógica da acumulação financeira no capitalismo contemporâneo

Palavras-chave: Mining territories. Financial accumulation. Mining industries. Pension funds.

Resumo

Os territórios da mineração são espaços utilizados pela indústria extrativa mineral, que tem um significativo protagonismo no processo de acumulação de capital. Tomando como referência a geodiversidade brasileira na mineração, este artigo busca atualizar e aprofundar o debate sobre os processos que comandam esses territórios incorporados à lógica financeira do capitalismo contemporâneo. A pesquisa empregou dados secundários e revisão bibliográfica. O artigo mostra que está cada vez mais distante do poder público, em suas diversas instâncias, planejar o setor mineral como parte da estratégia de desenvolvimento econômico. Sob a lógica financeira, as decisões são tomadas pelo mercado de ações, dominado pela expectativa de rentabilidade e distribuição de dividendos, com relevante papel dos fundos de pensão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisandra Pereira Lamoso, Universidade Federal da Grande Dourados
Doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (2001). Estágio de pós-doutoramento na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Docente na graduação e na pós-graduação em Geografia na Faculdade de Ciências Humanas, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Bolsista CAPES de Estágio Sênior de Pós-doutorado na Universidad Autónoma de Madrid.

Referências

ALLEN, J.; PRYKE, M. Financialising household water: Thames Water, MEIF, and “ring-fenced” politics. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, v. 6, n. 3, p. 419-439, 2013.

BRANDÃO, C. O necessário diálogo entre a economia política do desenvolvimento e a geografia crítica em momento de crise estrutural do capitalismo. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 14., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, 2009. p. 1-23. Disponível em: http://www.sep.org.br/artigos/download?id=1536. Acesso em: 8 fev. 2016.

BRASIL. Departamento Nacional de Produção Mineral. Anuário Mineral Estadual – Pará 2016 – ano base 2015. Coordenação de Marina Marques Dalla Costa et al. Equipe Técnica de Maria do Rosário Miranda Costa et al. Brasília: DNPM, 2017b. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/anuario-mineral/anuario-mineral-estadual/para/anuario-mineral-estadual-para-2016-ano-base-2015. Acesso em: 4 fev. 2018.

______. DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL. Sumário Mineral – 2015. Coordenação de Thiers Muniz Lima e Carlos Augusto Ramos Neves. Brasília: DNPM, 2016. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/sumario-mineral/sumario-mineral-brasileiro-2015. Acesso em: 4 fev. 2018.

______. Departamento Nacional de Produção Mineral. Anuário Mineral Estadual – Minas Gerais – anos base 2010-2014. Coordenação de Marina Marques Dalla Costa et al. Equipe Técnica de Carlos Antônio Gonçalves de Jesus et al. Brasília: DNPM, 2017a. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/anuario-mineral/anuario-mineral-estadual/minas-gerais/anuario-mineral-estadual-minas-gerais-anos-base-2010-2014. Acesso em: 4 fev. 2018.

______. Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 dez. 1976. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6404compilada.htm. Acesso em: 7 fev. 2018.

BRASIL MINERAL. São Paulo, [s.d.]. Disponível em: http://www.brasilmineral.com.br. Acesso em: 4 fev. 2018.

CAMARGO, L. de C. Marx, Keynes e Minsky: a supremacia das finanças no capitalismo contemporâneo. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.

CAROS AMIGOS. A proposta de Meireles é liquidar os bancos públicos – entrevista de Carlos Lessa. Caros Amigos, São Paulo, n. 93, p. 32-39, 2004.

CHESNAIS, F. et al. (Orgs.). A finança capitalista. São Paulo: Alameda, 2010.

______. A mundialização financeira: gênese, custos e riscos. São Paulo: Xamã, 1998.

CONGRESSO EM FOCO. Entidades vão ao STF para destituir relator do Código de Mineração. Notícias, set. 2014. Disponível em: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/entidades-vao-ao-stf-contra-deputado-leonardo-quintao/. Acesso em: 4 fev. 2018.

GALBRAITH, J. K. A economia e o interesse público. São Paulo: Pioneira, 1988[1973].

______. O novo estado industrial. 2ed. São Paulo: Pioneira, 1983[1967].

GAZETA MERCANTIL. Gazeta Mercantil. São Paulo, 1 jun. 2000.

JARDIM, M. A. C. Entre a solidariedade e o risco: sindicatos e fundos de pensão em tempos de Governo Lula. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

LAMOSO, L. P. A exploração de minério de ferro no Brasil e no Mato Grosso do Sul. São Paulo: Pacco, 2015.

LAPYDA, I. A “financeirização” no capitalismo contemporâneo: uma discussão das teorias de François Chesnais e David Harvey. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

MAMIGONIAN, A. Estado, privatização e a organização do espaço no Brasil. Informa AGB, São Paulo, 1996.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Abril Cultura, 1983[1867]. v. 1, tomo 1.

MINERAÇÃO & SUSTENTABILIDADE. Betim, [s.d.]. Disponível em: https://revistamineracao.com.br. Acesso em: 4 fev. 2018.

MINÉRIOS & MINERALES. São Paulo. Disponível em: http://revistaminerios.com.br. Acesso em: 4 fev. 2018.

MONTEIRO, M. de A. Meio século de mineração industrial na Amazônia e suas implicações para o desenvolvimento regional. Estudos Avançados, São Paulo, v. 19, n. 53, p. 187-206, 2005.

O’NEILL, P. The financialisation of infrastructure: the role of language and property relations. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, v. 6, n. 3, p. 441-454, 2013.

PALHETA DA SILVA, J. M. Fragmentação territorial em Carajás. In: SILVA, J. M. P.; SILVEIRA, M. R. da (Orgs.). Geografia Econômica do Brasil. Presidente Prudente: FCT/Unesp, 2002. p. 59-84.

PAULANI, L. M. Acumulação e rentismo: resgatando a teoria da renda de Marx para pensar o capitalismo contemporâneo. Revista de Economia Política, Rio de Janeiro, v. 36, n. 3, p. 514-535, 2016.

SÁNCHEZ PEREZ, J. E. Espacio, economia y sociedad. Madri: Siglo XXI, 1991.

SANTOS, M. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Edusp, 2005.

SASSEN, S. Expulsiones: brutalidad y complejidad en la economía global. Buenos Aires: Kutz, 2015.

SAUVIAT, C. Nouveau pouvoir financier et modèle d’enterprise: une source de fragilité systématique. La Revue de l’IRES, n. 40, p. 38-72, 2002/2003.

Disponível em: http://www.ires.fr/publications-de-l-ires/item/2743-nouveau-pouvoir-financier-et-modele-d-entreprise-une-source-de-fragilite-systemique. Acesso em: 4 fev. 2018.

SENRA, R. Novo código da mineração é escrito em computador de advogado de mineradoras. BBC Brasil em São Paulo, dez. 2015 Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/151202_escritorio_mineradoras_codigo_mineracao_rs. Acesso em: 4 fev. 2018.

SERFATI, C. O papel ativo dos grupos predominantemente industriais na financeirização da economia. In: CHESNAIS, F. (Coord.). A mundialização financeira: gênese, custos e riscos. São Paulo: Xamã, 1998. p. 141-181.

SILVA, M. A. R. da; DRUMMOND, J. A. Certificações socioambientais: desenvolvimento sustentável e competitividade da indústria mineira na Amazônia. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 1-21, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512005000300003. Acesso em: 16 nov. 2016.

SOKOL, M. Towards a “newer” economic geography? Injecting finance and financialisation into economic geographies. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, v. 6, n. 3, p. 501-515, 2013.

VALE. Composição Acionária. 2017. Disponível em: http://www.vale.com/brasil/PT/investors/company/shareholding-structure/Paginas/default.aspx. Acesso em: 12 jun. 2017.

VALE, R. M. G. do. Globalización y organización espacial de la actividad económica. In: ROMERO, J. (Coord.). Geografía Humana: procesos, riesgos e incertitumbres en un mundo globalizado. Barcelona: Ariel, 2007. p. 221-274.

VALOR ECONÔMICO. São Paulo, [s.d.]. Disponível em: http://www.valor.com.br. Acesso em: 4 fev. 2018.

ZIBECHI, R. Brasil potência: entre a integração regional e um novo imperialismo. São Paulo: Consequência, 2012.

Publicado
2018-03-15
Como Citar
Lamoso, L. (2018). Os territórios da mineração sob a lógica da acumulação financeira no capitalismo contemporâneo. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 21(3), 718-736. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.123788
Seção
Artigos