Sistema de informações geográficas (SIG): ainda a questão do método

Autores

  • Lindon Fonseca Matias Universidade Estadual de Ponta Grossa. Departamento de Geociências

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2003.123791

Palavras-chave:

Sistema de Informações Geográficas (SIG), geografia crítica, (re)produção do espaço geográfico, práxis

Resumo

O artigo apresenta uma análise sobre a questão metodológica que envolve a ciência geográfica quando se depara com a tecnologia de Sistema de Informações Geográficas (SIG). Propõe a adoção de um paradigma crítico de concepção dialética que possibilite ampliar a compreensão dessa geotecnologia, além da sua dimensão técnica, como um instrumento moderno de tratamento da informação geográfica que influencia tanto as práticas espaciais como as representações do espaço e os espaços de representação, revelando sua importância como elemento cuja dimensão social e política permeia o processo de (re)produção das relações sociais de produção no mundo contemporâneo. Os geógrafos devem apropriar-se criticamente dessa tecnologia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lindon Fonseca Matias, Universidade Estadual de Ponta Grossa. Departamento de Geociências

Professor Adjunto do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Downloads

Publicado

2003-06-09

Como Citar

MATIAS, L. F. Sistema de informações geográficas (SIG): ainda a questão do método. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 7, n. 1, p. 21-33, 2003. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2003.123791. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123791. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos