Portal da USP Portal da USP Portal da USP

A urbanização moçambicana: uma proposta de interpretação

Vanderli Custódio, Joaquim Miranda Maloa

Resumo


O objetivo geral deste artigo é propor uma interpretação da urbanização moçambicana contemporânea, que se manifesta na paisagem como cada vez mais dual. De um lado, apresentando áreas urbanizadas e planificadas e um núcleo de desenvolvimento vertical com infraestrutura e serviços; de outro, a periferia, de desenvolvimento horizontal, majoritariamente não planificada, de construção precária e com escassas infraestruturas e serviços urbanos. Para tanto, o estudo buscou identificar e caracterizar as diferentes etapas da formação socioespacial moçambicana. Recorreu à geografia histórica urbana como ferramenta analítica para o tratamento do material empírico colhido em diversas fontes. O trabalho adota dois eixos de análise: o período colonial e o pós-colonial. No período colonial, buscou-se compreender os fatores responsáveis pela urbanização moçambicana dos quais somos herdeiros. No segundo, apreender a dinâmica urbana produzida no período pós-colonial. Ainda nesse eixo, procurou-se captar as continuidades e descontinuidades do processo, identificando alguns arranjos que se verificam ao longo do tempo e suas múltiplas determinações, que acentuam cada vez mais a segregação urbana entre o núcleo e a periferia, não só organizando a dualidade urbana, mas exprimindo novas formas de segregação urbana – a gentrificação.

Palavras-chave


Mozambican urbanization. Urban duality. Segregation. Gentrification.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDULA, M. Ensaio de reordenamento da unidade Kansa 1º bairro cidade de Quelimane. Monografia (Licenciatura em Geografia) – Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 1997.

ABREU, M. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de janeiro: Companhias das Letras, 2008.

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. A dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

ARAÚJO, M. Os espaços urbanos em Moçambique. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 14, p. 165-182, 2003.

______. Migração interna e o processo de urbanização. In: COMISSÃO NACIONAL DO PLANO & DIREÇÃO NACIONAL DE ESTATÍSTICA. Dinâmica demográfica e processos econômicos, sociais e culturais. Maputo: Comissão Nacional do Plano & Direção Nacional de Estatística, 1990. p.72-89.

ARNALDO, C.; MUANAMOHA, R. C. Dinâmica demográfica e suas implicações em Moçambique. Gazeta de População e Saúde, Maputo, n. 2, p. 1-47, 2014.

ARROYO, M. M. A economia invisível dos pequenos. Le Monde Diplomatique Brasil, ano 2, n. 15, p. 30-31, 2008.

BAIA, A. Os conteúdos da urbanização em Moçambique: considerações a partir da expansão da cidade de Nampula. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São, 2009.

______. Reflexões sobre espaços urbanos: a cidade de Nampula, Moçambique. Dakar: Cordersia, 2008.

______. Ruralidades na cidade de Nampula: exercício teórico por uma crítica da cidade. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

BOTTOMORE, T. (Org.). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro, 2003[1988].

BOXER, C. R.; AZEVEDO, C. A Fortaleza de Jesus e os portugueses em Mombaça. Lisboa: Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1960.

CABAÇO, J. L. O. Moçambique: identidades, colonialismo e libertação. Tese. (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

CONSELHO MUNICIPAL DE MAPUTO. Malagatana, tento não me desviar do cidadão que eu sou. Acácia Rubra, n. 3, p. 1-45, jul./set. 2007.

COSTA, A. B. Família de Maputo: processos de mobilidade e transformações urbanas. RILP – Revista Internacional de Língua Portuguesa, Lisboa, n. 23, p.177-192, set. 2011.

COSTA, I. N. No centenário da Companhia de Moçambique, 1888-1988. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 6, p. 65-76, out. 1989. Número Especial: Cidade da Beira.

CUSTÓDIO, V. A retomada do planejamento federal e as políticas públicas no ordenamento do território municipal: a temática das águas e do saneamento. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 16, p. 95-104, 2005.

______. A persistência das inundações na Grande São Paulo. Tese. (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

FERNANDES, F. Sociedades de classes e subdesenvolvimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FERNANDES, J. et al. Moçambique 1875-1975: cidades, territórios e arquitetura. Lisboa: Maisimagem, 2008.

FERNANDES, M. G.; MENDES, R. P. Dicotomias urbanas em Angola e Moçambique: a cidade de cimento e a cidade informal (muceque e caniço). Disponível em: https://sigarra.up.pt/flup/pt/pub_geral.pub_view?pi_pub_base_id=76662&pi_pub_r1_id=. Acesso em: 2 abr. 2013.

FONTE, M. Urbanismo e arquitetura em Angola: Norton de Matos à revolução. Tese. (Doutorado em Planejamento Urbanístico) – Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica, Lisboa, 2007.

FOLIO, F. Les condominios à Maputo: enjeux sociétaux et spatiaux autour de l’implantation des ensembles résidentiels sécurisés dans la capitale mozambicaine. Annales de Géographie, n. 655, p. 247-270, 2007.

FORJAZ, J. Urbanização e desenvolvimento municipal em Moçambique: planejamento urbano e habitação. Maputo: Development Workshop, 2008.

______. Muitipiti: Ilha de Moçambique. In: ANGIUS, M.; ZAMPONI, M. (Org.). Ilha de Moçambique: convergência de povos. San Marino: AIEP, 1999. p. 48-67.

FURTADO, C. Economia colonial no Brasil nos séculos XVI e XVII: elemento de história econômica aplicada à análise de problemas econômicos e sociais. São Paulo: Hucitec, 2001.

GARLAND, D. A cultura do controle: crime e ordem social na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Revan, 2008.

GASPAR, M. Contribuições para o estudo da dinâmica demográfica de Moçambique. Dissertação (Mestrado em Demografia) –Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

GASPAR, M.; MENDONÇA, G. Diferenças socioeconômicas de mortalidade infato-juvenil em Moçambique e na cidade de Maputo. In: Dinâmica demográfica e processos econômicos, sociais e culturais. Maputo: Comissão Nacional do Plano & Direção Nacional de Estatística, 1990. p. 27-61.

IBRAIMO, M. Crescimento da população urbana e problema da urbanização da cidade de Maputo. Série População e Desenvolvimento – Documento 11, Unidade da População. Maputo: Direção Nacional de Estatística, 1994.

JENKIS, P. Mercados de terra urbanas no Moçambique pós-socialismo – seu impacto sobre a população vulnerável: alternativas para melhorar o acesso à terra e o processo de desenvolvimento urbano. Projeto de pesquisa-ação nas áreas peri-urbanas de Maputo. Centro de Estudos de Desenvolvimento do Habitate, Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2001.

KONDER, L. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2006.

KUHN, T. S. Estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1998.

LACHARTRE, B. Enjeux urbains au Mozambique: de Lourenço Marques à Maputo. Paris: Karthala, 2000.

LANGA, F. Atlas do perfil habitacional de Moçambique (1997-2007): uma abordagem do SIG. Dissertação (Mestrado em Estatística e Gestão de Informação) – Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2010.

LISEGANG, G. Análise das estruturas urbanas em África e especialmente na África Oriental entre os séculos VII e XVIII e o impacto da expansão portuguesa. COLÓQUIO INTERNACIONAL UNIVERSO URBANÍSTICO PORTUGUÊS 1415-1822, 1999, Lisboa. Acta... Lisboa: CNCDP, 1999.

LOBATO, A. No II centenário da instituição do municipalismo em Moçambique. In: REUNIÃO MENSAL DOS MOÇAMBICANOS, 6 maio 1961, Lisboa: Casa de Moçambique. Lisboa: Estudos Moçambicanos, 1961.

MACAMO, E. Modernidade e tradição. In: SANSONE, L. et al. (Org.). Dicionário das Ciências Sociais dos Países de Fala Oficial Portuguesa. Salvador: Ed. Ufba, 2014. p. 363-378.

MACHEL, S. A luta contra o subdesenvolvimento. Maputo: Frelimo, 1983. (Textos e Documentos, 4).

MALOA, J. M. Urbanização moçambicana: uma proposta de interpretação. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

MAPENGO, M. Migração rural-urbana e crescimento populacional da cidade de Maputo. Maputo: Publifix, 2011.

MAPUTO. CONSELHO MUNICIPAL. “Malagatana, tento não me desviar do cidadão que eu sou”. Acácia Rubra, n. 3, jul./set. 2007.

MARCHAND, J. Économie et société dans la transition libérale au Mozambique. Paris: Karthala, 1995.

MATOS, E. Serviços urbanos básicos nos bairros de maxaquene “A” e da urbanização. Monografia (Licenciatura em Geografia) – Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2005.

MENDES, M. C. Maputo antes da independência: geografia de uma cidade colonial. Tese (Doutorado em Geografia urbana) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 1979.

MENDES, R. P. A cidade colonial e a estruturação do território em Moçambique: a evolução urbana de Lourenço Marques/Maputo, Beira, Nampula e Porto Amélia/Pemba. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, 2011.

MENDONÇA, I. N. Mobilidade urbana na área metropolitana de Maputo: análise dos órgãos de gestão do planejamento e mobilidade urbana, arranjos institucionais e insumos para a sua efetiva articulação. Journal of Transport – Literature, Manaus, v. 8, n. 2, p. 244-270, abr. 2014.

MILHEIRO, A. V. A produção arquitectónica das regiões ultramarinas nas revistas Arquitetura e Binário. In: MESQUITA, M. D. Revistas de Arquitetura: Arquivo(s) da Modernidade. Lisboa: Caleidoscópio, 2012. p. 112-133.

MOÇAMBIQUE. Ministério da Administração Estatal (MAE). Folha informativa dos municípios II. Maputo: MAE, 2002.

MOÇAMBIQUE. Instituto Nacional de Estatística de Moçambique. Disponível em: http://www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-demograficas-e-indicadores-sociais/projeccoes-da-populacao. Acesso em: 23 jan. 2017.

MOSCA, J. Economia de Moçambique, século XX. Lisboa: Instituto Piaget, 2005.

MUCHANGOS, A. Aspetos geográficos da cidade da Beira. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 6, p. 239-296, out. 1989a. Número Especial: Cidade da Beira.

______. Traços gerais da cidade de Maputo. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 2, p. 122-135, out. 1989b. Número Especial: Centenário da cidade de Maputo, 1887-1987.

MUHAMBE, B. A dinâmica contemporânea dos fluxos populacionais cidade/campo em Moçambique: o exemplo de alguns bairros do distrito da Matola. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional) – Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2000.

NEWITT, M. História de Moçambique. Mira-Sintra-Mem Martins: Publicações Europa-América,1997.

OPPENHEIMER, J.; RAPOSO, I. Subúrbios de Luanda e Maputo. Lisboa: Colibri/Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento, 2007. (Coleção Tempo e Espaços Africanos.)

PEREIRA, A. A gentrificação e a hipótese do diferencial de renda: limites explicativos e diálogos possíveis. Cadernos Metrópole, v. 16, n. 32, p. 307-328, nov. 2014.

PEREIRA, M. A forma e o poder: duas agendas da cidade de origem portuguesa nas idades medieval e moderna. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Paraná, Curitiba, 1998.

PINSKI, B. The urban problematic in Mozambique: initial post-independence response, 1975-80. Report to the Centre for Urban and Community Studies. Toronto, CA: University of Toronto, 1982.

RAIMUNDO, I. M. Gender, choice and migration: household dynamics and urbanization in Mozambique. Tese (Doutorado em Migração Forçada) – Faculdade de Humanidades, Universidade de Witwatersrand, Joanesburgo, 2009.

ROCHA, A. Os afro-islamizados da costa de Moçambique: a terra e os homens. In: ANGIUS, M.; ZAMPONI, M. (Org.). Ilha de Moçambique: convergência de povos. San Marino: Aiep, 1999. p. 26-35.

ROCHEFORT, M. Redes e sistemas: ensinado sobre o urbano e a região. São Paulo: Hucitec, 1998.

RODRIGUES, E. As misericórdias de Moçambique e administração local. C 1606-1763. In: MENEZES, A. et al. (Coord.). O reino, as ilhas e o mar oceano: estudos em homenagem a Artur Teodoro de Matos. Lisboa: FCSH/UNL/Universidade dos Açores, 2007. v. II. p. 709-729.

SAEVFORS, I. Maxaquene: a comprehensive account of the first upgrading experience in the new Mozambique. Paris: Unesco, 1986.

SANTOS, M. A urbanização desigual: a especificidade do fenômeno urbano em países subdesenvolvidos. São Paulo: Edusp, 2010.

______. Metrópole corporativa fragmentada: o caso de São Paulo. São Paulo: Edusp, 2009.

______. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Edusp, 2008.

______. Urbanização brasileira. São Paulo: Edusp, 2005.

______. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Edusp, 2004.

______. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. São Pauto: Record, 2000.

______. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Hucitec, 1986.

______. Espaço e método. São Paulo: Edusp, 1985.

______. Sociedade e espaço: a formação social como teoria como método. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 54, p.81-100, jun. 1977.

______; SILVEIRA, M. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SCHTEINGART, M. (Org.). Urbanización y dependencia en América Latina. Buenos Aires: Sociedade Interamericana de Planejamento, 1973.

SECRETARIADO DA PRAPAGANDA NACIONAL. A obra colonial do Estado Novo. Lisboa: Agência Geral das Colônias, 1942.

SERPA, A. Segregação, território e espaço público na cidade contemporânea. In: VASCONCELOS, P. et al. (Org.). A cidade contemporânea: segregação espacial. São Paulo: Contexto, 2013. p. 169-188.

SERRA, C. Em cima de uma lamina: um estudo sobre precariedade social em três cidades de Moçambique. Maputo: Imprensa Universitária/Universidade Eduardo Mondlane, 2003.

SILVA, A. Dinâmica socioespacial e produção habitacional na periferia de Maputo-Moçambique a partir da década de 1970: destaque para bairros Polana Caniço “A” E “B”. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

SIMONE, A.; ABOUHAHI, A. Urban Africa: changing contours of survival in the city. Dakar: Codesria, 2005.

SMITH, N. Toward a theory of gentrification: a back to the city movement by capital not people. Journal of the American Planning Association, n. 45, p. 538-548, 1979.

SOMEKH, N. A cidade vertical e o urbanismo modernizador: São Paulo: Edusp, 1997.

SOUZA, M. O desafio metropolitano: um estudo sobre a problemática socioespacial nas metrópoles brasileiras. 4. ed. Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 2012.

VIANA, D. L. Maputo: entre a cidade compacta, difusa e sem forma. IPEA – Desafios do Desenvolvimento, Brasília, DF, v. 7, n. 63, 2010. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=1105:catid=28&Itemid=23. Acesso em: 2 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2018.125773

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Vanderli Custódio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

GEOUSP: Espaço e Tempo (Online)
ISSN 2179-0892
Departamento de Geografia - FFLCH - USP
geouspusp.br / www.geografia.fflch.usp.br