A urbanização moçambicana: uma proposta de interpretação

  • Vanderli Custódio IEB-USP
  • Joaquim Miranda Maloa Universidade Eduardo Mondlane
Palavras-chave: Mozambican urbanization. Urban duality. Segregation. Gentrification.

Resumo

O objetivo geral deste artigo é propor uma interpretação da urbanização moçambicana contemporânea, que se manifesta na paisagem como cada vez mais dual. De um lado, apresentando áreas urbanizadas e planificadas e um núcleo de desenvolvimento vertical com infraestrutura e serviços; de outro, a periferia, de desenvolvimento horizontal, majoritariamente não planificada, de construção precária e com escassas infraestruturas e serviços urbanos. Para tanto, o estudo buscou identificar e caracterizar as diferentes etapas da formação socioespacial moçambicana. Recorreu à geografia histórica urbana como ferramenta analítica para o tratamento do material empírico colhido em diversas fontes. O trabalho adota dois eixos de análise: o período colonial e o pós-colonial. No período colonial, buscou-se compreender os fatores responsáveis pela urbanização moçambicana dos quais somos herdeiros. No segundo, apreender a dinâmica urbana produzida no período pós-colonial. Ainda nesse eixo, procurou-se captar as continuidades e descontinuidades do processo, identificando alguns arranjos que se verificam ao longo do tempo e suas múltiplas determinações, que acentuam cada vez mais a segregação urbana entre o núcleo e a periferia, não só organizando a dualidade urbana, mas exprimindo novas formas de segregação urbana – a gentrificação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joaquim Miranda Maloa, Universidade Eduardo Mondlane
Pesquisador associado

Referências

ABDULA, M. Ensaio de reordenamento da unidade Kansa 1º bairro cidade de Quelimane. Monografia (Licenciatura em Geografia) – Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 1997.

ABREU, M. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de janeiro: Companhias das Letras, 2008.

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. A dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

ARAÚJO, M. Os espaços urbanos em Moçambique. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 14, p. 165-182, 2003.

______. Migração interna e o processo de urbanização. In: COMISSÃO NACIONAL DO PLANO & DIREÇÃO NACIONAL DE ESTATÍSTICA. Dinâmica demográfica e processos econômicos, sociais e culturais. Maputo: Comissão Nacional do Plano & Direção Nacional de Estatística, 1990. p.72-89.

ARNALDO, C.; MUANAMOHA, R. C. Dinâmica demográfica e suas implicações em Moçambique. Gazeta de População e Saúde, Maputo, n. 2, p. 1-47, 2014.

ARROYO, M. M. A economia invisível dos pequenos. Le Monde Diplomatique Brasil, ano 2, n. 15, p. 30-31, 2008.

BAIA, A. Os conteúdos da urbanização em Moçambique: considerações a partir da expansão da cidade de Nampula. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São, 2009.

______. Reflexões sobre espaços urbanos: a cidade de Nampula, Moçambique. Dakar: Cordersia, 2008.

______. Ruralidades na cidade de Nampula: exercício teórico por uma crítica da cidade. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

BOTTOMORE, T. (Org.). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro, 2003[1988].

BOXER, C. R.; AZEVEDO, C. A Fortaleza de Jesus e os portugueses em Mombaça. Lisboa: Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1960.

CABAÇO, J. L. O. Moçambique: identidades, colonialismo e libertação. Tese. (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

CONSELHO MUNICIPAL DE MAPUTO. Malagatana, tento não me desviar do cidadão que eu sou. Acácia Rubra, n. 3, p. 1-45, jul./set. 2007.

COSTA, A. B. Família de Maputo: processos de mobilidade e transformações urbanas. RILP – Revista Internacional de Língua Portuguesa, Lisboa, n. 23, p.177-192, set. 2011.

COSTA, I. N. No centenário da Companhia de Moçambique, 1888-1988. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 6, p. 65-76, out. 1989. Número Especial: Cidade da Beira.

CUSTÓDIO, V. A retomada do planejamento federal e as políticas públicas no ordenamento do território municipal: a temática das águas e do saneamento. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 16, p. 95-104, 2005.

______. A persistência das inundações na Grande São Paulo. Tese. (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

FERNANDES, F. Sociedades de classes e subdesenvolvimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FERNANDES, J. et al. Moçambique 1875-1975: cidades, territórios e arquitetura. Lisboa: Maisimagem, 2008.

FERNANDES, M. G.; MENDES, R. P. Dicotomias urbanas em Angola e Moçambique: a cidade de cimento e a cidade informal (muceque e caniço). Disponível em: https://sigarra.up.pt/flup/pt/pub_geral.pub_view?pi_pub_base_id=76662&pi_pub_r1_id=. Acesso em: 2 abr. 2013.

FONTE, M. Urbanismo e arquitetura em Angola: Norton de Matos à revolução. Tese. (Doutorado em Planejamento Urbanístico) – Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica, Lisboa, 2007.

FOLIO, F. Les condominios à Maputo: enjeux sociétaux et spatiaux autour de l’implantation des ensembles résidentiels sécurisés dans la capitale mozambicaine. Annales de Géographie, n. 655, p. 247-270, 2007.

FORJAZ, J. Urbanização e desenvolvimento municipal em Moçambique: planejamento urbano e habitação. Maputo: Development Workshop, 2008.

______. Muitipiti: Ilha de Moçambique. In: ANGIUS, M.; ZAMPONI, M. (Org.). Ilha de Moçambique: convergência de povos. San Marino: AIEP, 1999. p. 48-67.

FURTADO, C. Economia colonial no Brasil nos séculos XVI e XVII: elemento de história econômica aplicada à análise de problemas econômicos e sociais. São Paulo: Hucitec, 2001.

GARLAND, D. A cultura do controle: crime e ordem social na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Revan, 2008.

GASPAR, M. Contribuições para o estudo da dinâmica demográfica de Moçambique. Dissertação (Mestrado em Demografia) –Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

GASPAR, M.; MENDONÇA, G. Diferenças socioeconômicas de mortalidade infato-juvenil em Moçambique e na cidade de Maputo. In: Dinâmica demográfica e processos econômicos, sociais e culturais. Maputo: Comissão Nacional do Plano & Direção Nacional de Estatística, 1990. p. 27-61.

IBRAIMO, M. Crescimento da população urbana e problema da urbanização da cidade de Maputo. Série População e Desenvolvimento – Documento 11, Unidade da População. Maputo: Direção Nacional de Estatística, 1994.

JENKIS, P. Mercados de terra urbanas no Moçambique pós-socialismo – seu impacto sobre a população vulnerável: alternativas para melhorar o acesso à terra e o processo de desenvolvimento urbano. Projeto de pesquisa-ação nas áreas peri-urbanas de Maputo. Centro de Estudos de Desenvolvimento do Habitate, Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2001.

KONDER, L. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2006.

KUHN, T. S. Estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1998.

LACHARTRE, B. Enjeux urbains au Mozambique: de Lourenço Marques à Maputo. Paris: Karthala, 2000.

LANGA, F. Atlas do perfil habitacional de Moçambique (1997-2007): uma abordagem do SIG. Dissertação (Mestrado em Estatística e Gestão de Informação) – Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2010.

LISEGANG, G. Análise das estruturas urbanas em África e especialmente na África Oriental entre os séculos VII e XVIII e o impacto da expansão portuguesa. COLÓQUIO INTERNACIONAL UNIVERSO URBANÍSTICO PORTUGUÊS 1415-1822, 1999, Lisboa. Acta... Lisboa: CNCDP, 1999.

LOBATO, A. No II centenário da instituição do municipalismo em Moçambique. In: REUNIÃO MENSAL DOS MOÇAMBICANOS, 6 maio 1961, Lisboa: Casa de Moçambique. Lisboa: Estudos Moçambicanos, 1961.

MACAMO, E. Modernidade e tradição. In: SANSONE, L. et al. (Org.). Dicionário das Ciências Sociais dos Países de Fala Oficial Portuguesa. Salvador: Ed. Ufba, 2014. p. 363-378.

MACHEL, S. A luta contra o subdesenvolvimento. Maputo: Frelimo, 1983. (Textos e Documentos, 4).

MALOA, J. M. Urbanização moçambicana: uma proposta de interpretação. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

MAPENGO, M. Migração rural-urbana e crescimento populacional da cidade de Maputo. Maputo: Publifix, 2011.

MAPUTO. CONSELHO MUNICIPAL. “Malagatana, tento não me desviar do cidadão que eu sou”. Acácia Rubra, n. 3, jul./set. 2007.

MARCHAND, J. Économie et société dans la transition libérale au Mozambique. Paris: Karthala, 1995.

MATOS, E. Serviços urbanos básicos nos bairros de maxaquene “A” e da urbanização. Monografia (Licenciatura em Geografia) – Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2005.

MENDES, M. C. Maputo antes da independência: geografia de uma cidade colonial. Tese (Doutorado em Geografia urbana) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 1979.

MENDES, R. P. A cidade colonial e a estruturação do território em Moçambique: a evolução urbana de Lourenço Marques/Maputo, Beira, Nampula e Porto Amélia/Pemba. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, 2011.

MENDONÇA, I. N. Mobilidade urbana na área metropolitana de Maputo: análise dos órgãos de gestão do planejamento e mobilidade urbana, arranjos institucionais e insumos para a sua efetiva articulação. Journal of Transport – Literature, Manaus, v. 8, n. 2, p. 244-270, abr. 2014.

MILHEIRO, A. V. A produção arquitectónica das regiões ultramarinas nas revistas Arquitetura e Binário. In: MESQUITA, M. D. Revistas de Arquitetura: Arquivo(s) da Modernidade. Lisboa: Caleidoscópio, 2012. p. 112-133.

MOÇAMBIQUE. Ministério da Administração Estatal (MAE). Folha informativa dos municípios II. Maputo: MAE, 2002.

MOÇAMBIQUE. Instituto Nacional de Estatística de Moçambique. Disponível em: http://www.ine.gov.mz/estatisticas/estatisticas-demograficas-e-indicadores-sociais/projeccoes-da-populacao. Acesso em: 23 jan. 2017.

MOSCA, J. Economia de Moçambique, século XX. Lisboa: Instituto Piaget, 2005.

MUCHANGOS, A. Aspetos geográficos da cidade da Beira. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 6, p. 239-296, out. 1989a. Número Especial: Cidade da Beira.

______. Traços gerais da cidade de Maputo. Arquivo Histórico de Moçambique, Maputo, n. 2, p. 122-135, out. 1989b. Número Especial: Centenário da cidade de Maputo, 1887-1987.

MUHAMBE, B. A dinâmica contemporânea dos fluxos populacionais cidade/campo em Moçambique: o exemplo de alguns bairros do distrito da Matola. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional) – Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2000.

NEWITT, M. História de Moçambique. Mira-Sintra-Mem Martins: Publicações Europa-América,1997.

OPPENHEIMER, J.; RAPOSO, I. Subúrbios de Luanda e Maputo. Lisboa: Colibri/Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento, 2007. (Coleção Tempo e Espaços Africanos.)

PEREIRA, A. A gentrificação e a hipótese do diferencial de renda: limites explicativos e diálogos possíveis. Cadernos Metrópole, v. 16, n. 32, p. 307-328, nov. 2014.

PEREIRA, M. A forma e o poder: duas agendas da cidade de origem portuguesa nas idades medieval e moderna. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Paraná, Curitiba, 1998.

PINSKI, B. The urban problematic in Mozambique: initial post-independence response, 1975-80. Report to the Centre for Urban and Community Studies. Toronto, CA: University of Toronto, 1982.

RAIMUNDO, I. M. Gender, choice and migration: household dynamics and urbanization in Mozambique. Tese (Doutorado em Migração Forçada) – Faculdade de Humanidades, Universidade de Witwatersrand, Joanesburgo, 2009.

ROCHA, A. Os afro-islamizados da costa de Moçambique: a terra e os homens. In: ANGIUS, M.; ZAMPONI, M. (Org.). Ilha de Moçambique: convergência de povos. San Marino: Aiep, 1999. p. 26-35.

ROCHEFORT, M. Redes e sistemas: ensinado sobre o urbano e a região. São Paulo: Hucitec, 1998.

RODRIGUES, E. As misericórdias de Moçambique e administração local. C 1606-1763. In: MENEZES, A. et al. (Coord.). O reino, as ilhas e o mar oceano: estudos em homenagem a Artur Teodoro de Matos. Lisboa: FCSH/UNL/Universidade dos Açores, 2007. v. II. p. 709-729.

SAEVFORS, I. Maxaquene: a comprehensive account of the first upgrading experience in the new Mozambique. Paris: Unesco, 1986.

SANTOS, M. A urbanização desigual: a especificidade do fenômeno urbano em países subdesenvolvidos. São Paulo: Edusp, 2010.

______. Metrópole corporativa fragmentada: o caso de São Paulo. São Paulo: Edusp, 2009.

______. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Edusp, 2008.

______. Urbanização brasileira. São Paulo: Edusp, 2005.

______. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Edusp, 2004.

______. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. São Pauto: Record, 2000.

______. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Hucitec, 1986.

______. Espaço e método. São Paulo: Edusp, 1985.

______. Sociedade e espaço: a formação social como teoria como método. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 54, p.81-100, jun. 1977.

______; SILVEIRA, M. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SCHTEINGART, M. (Org.). Urbanización y dependencia en América Latina. Buenos Aires: Sociedade Interamericana de Planejamento, 1973.

SECRETARIADO DA PRAPAGANDA NACIONAL. A obra colonial do Estado Novo. Lisboa: Agência Geral das Colônias, 1942.

SERPA, A. Segregação, território e espaço público na cidade contemporânea. In: VASCONCELOS, P. et al. (Org.). A cidade contemporânea: segregação espacial. São Paulo: Contexto, 2013. p. 169-188.

SERRA, C. Em cima de uma lamina: um estudo sobre precariedade social em três cidades de Moçambique. Maputo: Imprensa Universitária/Universidade Eduardo Mondlane, 2003.

SILVA, A. Dinâmica socioespacial e produção habitacional na periferia de Maputo-Moçambique a partir da década de 1970: destaque para bairros Polana Caniço “A” E “B”. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

SIMONE, A.; ABOUHAHI, A. Urban Africa: changing contours of survival in the city. Dakar: Codesria, 2005.

SMITH, N. Toward a theory of gentrification: a back to the city movement by capital not people. Journal of the American Planning Association, n. 45, p. 538-548, 1979.

SOMEKH, N. A cidade vertical e o urbanismo modernizador: São Paulo: Edusp, 1997.

SOUZA, M. O desafio metropolitano: um estudo sobre a problemática socioespacial nas metrópoles brasileiras. 4. ed. Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 2012.

VIANA, D. L. Maputo: entre a cidade compacta, difusa e sem forma. IPEA – Desafios do Desenvolvimento, Brasília, DF, v. 7, n. 63, 2010. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=1105:catid=28&Itemid=23. Acesso em: 2 abr. 2018.

Publicado
2018-06-19
Como Citar
Custódio, V., & Maloa, J. (2018). A urbanização moçambicana: uma proposta de interpretação. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 22(1), 008-024. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2018.125773
Seção
Artigos