Bases teórico-metodológicas do patrimônio natural: o papel da Geografia e da Geomorfologia na criação de áreas naturais tombadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.159968

Palavras-chave:

Cultura, Geomorfologia, Patrimônio natural

Resumo

O tombamento constitui-se como uma das formas de reconhecimento institucional de objetos como patrimônios culturais. O órgão de defesa e de proteção cultural de São Paulo (Condephaat) considera que os diversos atributos da natureza pertencem às dimensões do patrimônio cultural. Porém, tornou-se necessário respaldar a proteção do denominado patrimônio natural. Este artigo analisa os quadros qualitativos e quantitativos dos objetos naturais protegidos pelo Condephaat, os quais se destaca a criação das Áreas Naturais Tombadas em função, sobretudo, de seus atributos geomorfológicos. Por meio da análise documental, verificou-se que a Geografia adquiriu um papel importante na formulação dos instrumentos legais e do referencial teórico-metodológico na construção dessa política pública de proteção da natureza na esfera cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Francisco Detoni, Faculdade de Tecnologia de Barueri

Bacharelado e Licenciatura em Geografia pela Universidade de São Paulo, mestre e doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia Física da Faculdade de Fisolifia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Docente na Faculdade de Tecnologia de Barueri, vinculada à Centro Estadual de Educação Tecnologógica Paula Souza.

Referências

AB’SABER, A. N. Diretrizes para uma Política de Preservação de Reservas Naturais do Estado de São Paulo. Boletim de Geografia e Planejamento, São Paulo: Instituto de Geografia da USP, n. 30, p. 7-19, 1977.
______. O Tombamento da Serra do Mar no Estado de São Paulo. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, n. 21, p. 7-20, 1986.
CHAUI, M. Natureza, Cultura e Patrimônio Ambiental. In: Meio Ambiente: Patrimônio Cultural da Universidade de São Paulo. São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial, 2003, p. 47-55.
CONSELHO DE DEFESA DO PATRIMONIO HISTÓRICO, ARTÍSTICO, ARQUEOLÓGICO E TURÍSTICO DO ESTADO DE SÃO PAULO (CONDEPHAAT). Subsídios Para um Plano Sistematizador das Paisagens Naturais do Estado de São Paulo. São Paulo: Condephaat, 1982. (Ordem de Serviço n. 01 de 1982).
______. Solicitação do Tombamento dos Morros Toca do Índio e Morro da Ponta Rasa - Guarujá (Parecer). São Paulo: Condephaat, 1985 (Processo n. 00428/1974).
CRISPIM, F. B. Entre a Geografia e o Patrimônio: Estudo das Ações de Preservação das Paisagens Paulistas pelo Condephaat (1969-1989). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História. Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade Federal de São Paulo, 2014.
KERGUILLEC, R. e PORTAL, C. Du Site Urbain au Patrimoine Gémorphologique: Évolution de la perception des reliefs urbains, Proposition de Typoligie et Exemples Nantais. Les Cahiers Nantais, 2015-2. p. 39-53.
LEMOS, C. A. C. O que é patrimônio histórico. São Paulo: Brasiliense, 2000, 1. reimpr. da 5. ed. de 1987 (Coleção Primeiros Passos; 51)
LEFEUVRE, J. C. De la Protection de la Nature à la Gestion du Patrimoine Naturel. In: Patrimoines en folie: [conférences du séminaire “Patrimoines” tenu en 1987-1988, au Collège International de Philosophie]/sous la dir. de Henri Pierre Jeudy. Paris: Éd.de la Maison des sciences de l´homme, 1990. p. 29-76.
MENESES, U. T. B de. O Patrimônio Cultural Entre o Público e o Privado. In: O Direito à Memória: Patrimônio Histórico e Cidadania. São Paulo (cidade). Secretaria Municipal de Cultura. Departamento do Patrimônio Histórico (DPH). São Paulo: DPH, 1992, p. 189-194.
______. Os “Usos Culturais” da Cultura: Contribuição para uma abordagem crítica das práticas e políticas culturais. In: YÁZIGI, E.; CARLOS, A. F. A.; CRUZ, R. C. A. da. (org.). Turismo: Espaço, Paisagem e Cultura. Editora Hucitec: São Paulo, 1996. p. 88-99.
PEREIRA, P; PEREIRA, D e ALVES, M. I. C. Património Geomorfológico: Da Actualidade Internacional do Tema ao Caso Português. In: Actas do Congresso da Geografia Portuguesa, V, Guimarães, 2004.
RODRIGUES, M. Imagens do passado: a instituição do patrimônio em São Paulo (1969-1987). São Paulo: Editora UNESP: Imprensa Oficial do Estado: Condephaat: FAPESP, 2000, 181 p.
SÃO PAULO (ESTADO). Unidades Básicas de Compartimentação do Meio Físico (UBC) do Estado de São Paulo. São Paulo: Instituto Geológico/Coordenadoria de Planejamento Ambiental, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, 2014.
SCIFONI, S. A construção do Patrimônio Natural (Livro). São Paulo: FFLCH, 2008, 199 p.

Downloads

Publicado

2020-03-03

Como Citar

DETONI, S. F. Bases teórico-metodológicas do patrimônio natural: o papel da Geografia e da Geomorfologia na criação de áreas naturais tombadas. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 1, p. 153-171, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.159968. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/159968. Acesso em: 23 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos