A cidade e o brincar: análise de espaços públicos de brincar de Assis-SP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.170767

Palavras-chave:

Criança, Paisagens de Infância, Brincar, Cidade, Espaços de brincar

Resumo

Neste artigo, analisamos espaços públicos de brincar da cidade de Assis-SP considerando sua importância para as crianças. Fundamentada na Geografia da Infância e na Sociologia da Infância, a discussão envolve a relação da sociedade com as crianças ao definir os espaços de brincar na cidade. Ouvir a voz das crianças e reconhecê-las como sujeitos que devem participar da organização da cidade e que desenvolvem a espacialidade permitiu identificar seus desejos e quereres na constituição dos espaços de brincar. As crianças apresentaram como pontos positivos dos espaços de brincar a disponibilidade de áreas verdes e a oportunidade de fazer amizades e ponderaram sobre a necessidade de brinquedos, de sua manutenção e de condições adequadas de limpeza e segurança, evidenciando que as Paisagens de Infância da cidade de Assis-SP nem sempre correspondem a suas expectativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adaliza Meloni, Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Professora de Geografia no Programa de Ensino Integral do Estado de São Paulo. Tem graduação (Licenciatura e Bacharelado) em Geografia pela UNESP (2010), Mestrado (2013) e Doutorado (2018) em Educação pela UNESP. 

Fátima Aparecida Dias Gomes Marin, Universidade Estadual Paulista - Presidente Prudente

Professora assistente doutora da UNESP. Tem graduação (Licenciatura e Bacharelado) em Geografia pela UNESP (1989), Mestrado (1995) e Doutorado (2000) em Ensino na Educação Brasileira pela UNESP. 

Referências

ALMEIDA, M. T. P. O brincar das crianças em espaços públicos. 2012. 445 f. Tese de doutorado – Universidade de Barcelona.
BROUGÈRE, G. Brinquedos e companhia. Tradução de Maria Alice A. Sampaio Dória; revisão técnica de Gisela Wajskop. São Paulo: Cortez, 2004. p. 245 -270.
CORSARO, W. A. Sociologia da Infância. Tradução de Lia Gabriele Reis. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.
FRIEDMANN, A. O Papel do Brincar na Cultura Contemporânea. São Paulo, p.1-9, 2003. Disponível em: < http://www.nepsid.com.br/artigos/opapeldobrincart.htm>. Acesso em 08 mai. 2016.
LIMA, J. M.; APARECIDA, L. Brinquedo: elemento cultural e promotor de humanização. Revista Teoria e Prática da Educação, Universidade Estadual de Maringá, v.14, n.1, p.65-78, jan./abr. 2011.
LOPES, J. J. M. As crianças, suas infâncias e suas histórias: mas por onde andam suas geografias? Educação em Foco, UEMG, v.13, n.2, p.31-44, set. 2008.
______. Geografia da Infância: contribuições aos estudos das crianças e suas infâncias. Revista Educação Pública, Cuiabá, v. 22, n.49/1, p. 283-294, maio/ago. 2013.
LOPES, J. J. M; VASCONCELLOS, T. Geografia da Infância: Territorialidades Infantis. Currículo sem Fronteiras, v.6, n.1, p. 103-127, jan./jun.2006.
LOPES JUNIOR, W. M.; SANTOS, R. C. B. Reprodução do espaço urbano e a discussão de novas centralidades. RA´E GA, Curitiba, n. 19, p. 107-123, 2010.
LUZ, G. M.; KUHNEN, A. O uso dos espaços urbanos pelas crianças: explorando o comportamento do brincar em praças públicas. Psicologia: Reflexão e Crítica [online], vol.26, n.3, p.552-560, 2013.
MAIA, D. S. A rua e a cidade. 2007. Disponível em: <http://comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=25&id=277> Acesso em: 18 de maio de 2016.
MAIA, G. Z. A. Pesquisa etnográfica e estudo de caso. In: MACHADO, Lourdes Marcelino; MAIA, G. Z. A; LABEGALINI, A. C. F. B. (Orgs.). Pesquisa em Educação: passo a passo. Marília: Edições M3T Tecnologia e Educação, 2007.
Autora. ¬Título. 2018. 188 f. Tese de doutorado - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente.
MULLER, F.; NUNES, Brasilmar F. Infância e Cidade: um campo de estudo em desenvolvimento. Educação & Sociedade, Campinas, v.35, n.128, p.629-996, jul./set. 2014.
MULLER, F. Infância e cidade: Porto Alegre através das lentes das crianças. Educação & Realidade, Porto Alegre, v.37, n.1 p.295-318, jan./abr. 2012.
QUEIROZ, N. L. N.; MACIEL, D. A.; BRANCO, A. U. Brincadeira e desenvolvimento infantil: um olhar sociocultural construtivista. Paidéia, São Paulo, v.16, n.34, p. 169-179, 2006.
RHEINGANTZ, P. A. et. al. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Pós-Graduação em Arquitetura, 2009.
SANTOS, M. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo, Editora Hucitec, 1988.
SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. 3 reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.
SARAMAGO, S. S. S. Metodologias de pesquisa empírica com crianças. Sociologia, problemas e práticas. n. 35, p. 9-29, 2001.
SARMENTO, M. J. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. Instituto de Estudos da Criança. Universidade do Minho, p.01-22, 2003. Disponível em: <http://www.cedei.unir.br/submenu_arquivos/761_1.1_u1_as_culturas_na_infancia.pdf > Acesso em: 10 março 2016.
SARMENTO, M. J. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, V. M. R.; SARMENTO, M. J. (Orgs.). Infância (In)visível. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2007, p.25-49.
SILVA, J. L. B.; CARVALHO, J. P. F. Entrevista com Jader Janer Moreira Lopes. Olh@ares, Guarulhos, v.2, n.2, dez. 2014. p.301-334.
WAJSKOP, G. O brincar na educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.92, p.62-69, fev.1995.

Downloads

Publicado

2021-04-20

Como Citar

MELONI, A.; MARIN, F. A. D. G. A cidade e o brincar: análise de espaços públicos de brincar de Assis-SP. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 25, n. 1, p. e-170767, 2021. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.170767. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/170767. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos