José e a cidade: uma incursão geográfica na poesia política de Carlos Drummond de Andrade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.172545

Palavras-chave:

Drummond, José, Modernidade, Cidade, Geografia e Literatura

Resumo

Este artigo se insere nos estudos que relacionam geografia e literatura e tem como objetivo analisar a obra “José” (1942), de Carlos Drummond de Andrade, que é parte da fase mais politizada do autor (a primeira metade da década de 1940), que inclui ainda os livros Sentimento do mundo (1940) e A rosa do povo (1945). Para tanto, fizemos uma leitura crítica dos poemas, com enfoque geográfico, articulando a questão da política à vivência urbana na modernidade. Do ponto de vista teórico-metodológico, procuramos estabelecer um genuíno diálogo entre os versos e o pensamento geográfico, em que não há hierarquia entre os dois saberes e o discurso do poeta e do geógrafo se imiscuem. Por isso, também produzimos material cartográfico dialogando com o conteúdo literário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Cabañas da Silva, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Graduado, mestre e doutor em geografia pela Universidade de São Paulo. Com experiência nos temas relacionando geografia e literatura, história do pensamento geográfico e geografia cultural. Professor de geografia na educação básica desde 2011 e tradutor francês-português desde 2001.

Referências

ADORNO, T. W. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2003.

ANDRADE, C.D. Confissões de Minas. Rio de Janeiro: Americ-Edit, 1944.

ANDRADE, C.D. Nova Reunião: 19 livros de poesia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1983.

ANDRADE, C.D. Alguma Poesia. Rio de Janeiro: Record, 2002.

ANDRADE, C.D. Sentimento do mundo. 23ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2007.

BAUDELAIRE, C. O esplim de Paris: pequenos poemas em prosa. São Paulo: Martin Claret, 2010.

BOSI, A. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BROSSEAU, M. Des romans géographes. Paris: L’harmattan, 1996.

CÂNDIDO, A. Formação da literatura brasileira. 3 ed. São Paulo: Martins, 1969.

CÂNDIDO, A. Inquietudes na poesia de Drummond. In: CANDIDO, A. Vários Escritos. 5ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2011, p. 69-99

CALVINO, I. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CORRÊA, R. L. Da Nova Geografia à Geografia Nova. In: CORREA, R.L. Geografia e sociedade: os novos rumos do pensamento geográfico. Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, Ano 74, v. LXXIV, 1980, p. 5-12.

DARDEL, E. O Homem e a Terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2015.

GLEDSON, J. Poesia e poética de Carlos Drummond de Andrade. São Paulo: Duas Cidades, 1981.

LAFAILLE, R. Départ: Géographie et poésie, The Canadian Geographer 33, n. 2, p. 118-130, 1989

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: EDUFMG, 2002.

LUKÁCS, G. El asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. Mexico: Fondo de Cultura Economica, 1959.

MARTON, S. Nietzsche e Hegel, leitores de Heráclito. In: ___________. Extravagâncias: ensaios sobre a filosofia de Nietzsche. São Paulo: Discurso Editorial e Editora Barcarolla, 2009, pp. 119-142.

NIETZSCHE, F. Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

NIETZSCHE, F. Genealogia da Moral. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SANT’ANNA, A. R. Drummond: o gauche no tempo. Rio de Janeiro: Lia/Editor, 1972.

SIMON, I. M. Drummond: uma poética do risco. São Paulo: Ática, 1978.

Publicado

2021-08-12

Como Citar

SILVA, F. C. da . José e a cidade: uma incursão geográfica na poesia política de Carlos Drummond de Andrade. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 25, n. 2, p. e-172545, 2021. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.172545. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/172545. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos