Os guardadores de carro e a apropriação de espaço na Cidade de Maputo, Moçambique

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2022.175959

Palavras-chave:

Economia urbana, Territorialidade, Guardadores de carro, Cidade de Maputo

Resumo

A produção do espaço urbano na cidade de Maputo é resultado de uma ação combinada dos dois circuitos da economia urbana. É, a partir do circuito inferior, que as famílias precariamente incluídas no sistema capitalista se (re)produzem. O foco do artigo é entender como o desenvolvimento de determinadas atividades, como as de guardar carro, se tornam parte importante para a (re)produção social de segmentos da população debilmente incluídas na dinâmica urbana. Procura-se, igualmente, compreender como a partir dos processos de apropriação de espaços esboçam-se formas de (re)existência. Apreender-se-á essas dinâmicas tendo como base teórico-metodológica a abordagem da produção dos “territórios do território”, associados aos dois circuitos da economia urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, A. P. Sector Informal, Microfinanças e Empresariado Nacional em Moçambique. Cadernos de Estudos Africanos, 11/12 |, p.39-54, 2007.

AMARAL, I. do. Importância do sector informal da economia urbana em países da África Subsariana. Revista Finisterra, Lisboa, XL, 79, p.53-72, 2005.

ARAÚJO, M. G. M. Cidade de Maputo – Espaços Contrastantes: Do Urbano ao Rural, Revista Finisterra, Lisboa, XXXIV (6768), p.175-190, 1999.

ARAÚJO, M. G. M. Os Espaços Urbanos em Moçambique. GEOUSP Espaço e Tempo, São Paulo, n° 14, p. 165-182, 2003.

CHARMES, J. O sector informal na África: um crescimento que não significa marginalização. Ensaios FEE, Porto Alegre, v.18, n.2, p.64-69, 1997

CMR. Resumo de política II: género, classe e espaço em Maputo, Moçambique. CMR, Volume 12, n.7, p.1-4, 2013.

FERNANDES, B. M. Sobre a tipologia dos territórios. In: SAQUET, M. A.; SPOSITO, E. S. (Orgs.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. 1. Ed. São Paulo: Expressão Popular: UNESP. Programa de Pós-Graduação em Geografia, 2009, p.197-215.

FERNANDES, B. M. Entrando nos territórios do Território. In: PAULINO, E. T.; FABRINI, J. E. (Orgs.). Campesinato e territórios em disputa. São Paulo: Expressão Popular, 2008. p. 273-302.

FRANCISCO, A. A. da S.; PAULO, M. Impacto da economia informal na protecção social, pobreza e exclusão: a dimensão oculta da informalidade em Moçambique. Maputo: Cruzeiro do Sul; Centro de Estudos Africanos, 2006.

HAESBAERT, R.O mito da desterritorialização: do "fim dos territórios" à multiterritorialidade. 7ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

HARVEY, D. O novo imperialismo. 6ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. 2ª edição. São Paulo: Annablume, 2006.

HEIDRICH, Á. L. Conflitos territoriais na estratégia de preservação da natureza. In: SAQUET, M. A.; SPOSITO, E. S. (Orgs.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. 1. Ed. São Paulo: Expressão Popular: UNESP. Programa de Pós-Graduação em Geografia, 2009, p.271-290.

MATTOS, R. B. de; RIBEIRO, M. A. C. Territórios da prostituição nos espaços públicos da área central do Rio de Janeiro. Revista Geográfica, no.120, p.59-78, 1994.

LATOUCHE, S. A África pode contribuir para resolver a crise do ocidente? Espaço Plural. Ano XIV. No 28. 1º semestre, p.175-197, 2013.

MORGADO, P. Estratégias de sobrevivência Songhay-Zarma (Níger): trajectórias económicas de uma outra modernidade. E-cadernos CES [Online], 12 | 2011, posto online no dia 01 junho 2011, consultado o 05 maio 2020. URL: http://journals.openedition.org/eces/690; DOI: https://doi.org/10.4000/eces.690

MOSCA, J. Pobreza, economia 'informal', informalidades e desenvolvimento. In: II Conferência do IESE. Dinâmicas da pobreza e padrões de acumulação econômica em Moçambique. Maputo: Conference Paper no. 34, 2009.

PAULO, M.; ROSÁRIO, C.; TVEDTEN, I. “Xilungo”: relações sociais da pobreza urbana em Maputo, Moçambique. AUSTRALCOWI; UEM; CMI, s/d.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993

SACK, R. D."O significado de territorialidade". In: DIAS, L. C.; FERRARI, M. (Org). Territorialidades humanas e redes sociais. Florianópolis: Insular. 2011. p.63-89.

SANTOS, M. Os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. 2ª ed. São Paulo, 2004.

SANTOS, M. O retorno do território. In: SANTOS, Milton; SOUZA, Maria A. A. de; SILVEIRA, Maria L. (Org.). Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Editora Hucitec, 1994, p.15-20.

SILVA, T. C. e. Determinantes globais e locais na emergência de solidariedades sociais: o caso do sector informal nas áreas periurbanas da cidade de Maputo. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63, p.75-89, 2002.

SOUZA, M. L. O Território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, I. E. de et al. (Orgs.). Geografia: conceitos e temas. 10ª Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007, p.77-116.

Downloads

Publicado

2022-04-28

Como Citar

MATOS, E. A. C. Os guardadores de carro e a apropriação de espaço na Cidade de Maputo, Moçambique. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 26, n. 1, p. e-175959, 2022. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2022.175959. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/175959. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos