Diferenciação e fragmentação socioespacial: a contradição campo-cidade como teoria e como método

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.177986

Palavras-chave:

Diferenciação, Fragmentação socioespacial, Contradição campo-cidade

Resumo

É analisada aqui a possível superação da contradição campo-cidade como uma tendência à diferenciação espacial, fruto da geografia do capitalismo em crise, e como elemento novo nas atuais relações entre espaço e sociedade, mediadas pela fragmentação socioespacial. São exploradas, em primeiro lugar, às principais colocações que tiveram essa contradição como objeto, para estabelecer assim os seus limites conceptuais. Em segundo lugar, propõe-se a urbanização planetária enquanto o desenvolvimento teórico da contradição campo-cidade, e a urbanização diferencial a modo de método, para depois traduzi-la empiricamente. Por fim, definem-se, em forma de considerações, as relações entre diferenciação espacial, fragmentação socioespacial e contradição campo-cidade, como variáveis ascendentes das atuais mudanças sociais.

   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alejandro Morcuende, Universidade Estadual Paulista-UNESP - Presidente Prudente

 

 

Referências

ARBOLEDA, M. La naturaleza como modo de existencia del capital: organización territorial y disolución del campesinado en el superciclo de materias primas de América Latina. Anthropolohica, nº38, 145-176, 2017. http://revistas.pucp.edu.pe/index.php/anthropologica/article/view/15207/19180

ARBOLEDA, M. Extracción en movimiento: circulación del capital, poder estatal y urbanización logística en el norte minero de Chile. Investigaciones Geografícas, 56, 3-26. 2018. http://urbantheorylab.net/site/assets/files/1236/arboleda_extracci_n_en_movimiento.pdf

ASSODOURIAN, C.S. ET AL. Modos de producción en América Latina. Buenos Aires: Siglo XXI, 1973.

ASTEGIANO, N. Objetos técnicos em la agricultura moderna: de la individuación al medio. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 2, p. 181-202, 2020. http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/144753/162798

BRENNER, N. Implosions-Explosions. Towards a study of planetary urbanization. Berlin: Jovis, 2014.

BRENNER, N.; SCHMID C. Towards a new epistemology of the urban? City, 19: 2-3, 151-182, 2015. https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/13604813.2015.1014712

BRENNER, N. Espaços da urbanização: o urbano a partir da teoria crítica. Rio de Janeiro: Letra Capital Editora LTDA, 356 p, 2018.

BRENNER, N. New urban spaces. Urban theory and the scale question. Oxford: Orxford University Press. 2019.

BRENNER, N, Katsikis, N. Operational landscapes: hinterland on the capitalocene. Architectural design, V. 90, p. 22-31. 2020. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/ad.2521

DEBORD, G. La société du spectacle. Paris: Buchet/Chastel, 1967.

DOMENECH, A. República y socialismo también para el siglo XXI. Sin Permiso Nº1. 2004.

GARCIA RICO, E; ALONSO DE LOS RIOS, C; 15 preguntas a Henri Lefebvre. Revista Tirunfo, Año XXIII, n. 341, p. 32-36.

HOBSBAWM, E. Del feudalismo al capitalismo. En: HILTON, R (ed.). La transición del feudalismo al capitalismo. Barcelona: Editorial Crítica. 1978.

JAMESON, F. Postmodernism or the Cultural Logic of Late Capitalism. Oxford: New Left Review, 1984.

LACLAU, E. Feudalismo y capitalismo en América Latina. En ASSODOURIAN, C.S. ET AL. Modos de producción en América Latina. Buenos Aires: Siglo XXI, 1973.

LEFEBVRE, H. La revolución urbana. Madrid: Alianza Editorial, 1976.

LEFEBVRE, H. La production de l'espace. Paris: Éditions Anthropos, 1974.

MARX, K. El Capital, Volumen I. México: Siglo XXI. 1975, [1867].

MERRINGTON, J. Ciudad y campo en la transición al capitalismo. En: HILTON, R (ed.). La transición del feudalismo al capitalismo. Barcelona: Editorial Crítica, 1978.

POLANYI, K. The Great Transformation. Boston: Beacon Press,1944.

SANTOS, M. Por uma outra globalização. São Paulo: Record, 2000.

SMITH, A. La riqueza de las naciones. Madrid: Alianza Editorial. 1994 [1776].

SMITH, N. Uneven Development: Nature, Capital and the Production of Space. Oxford: Basil Blackwell Publisher, 1984.

TOOZE, A; Crashed: How a Decade of Financial Crises Changed the World. London: Allen Lane and New York: Viking. 2018.

SPOSITO, M.E.B. Diferenças e desigualdades em cidades médias no Brasil: da segregação à fragmentação socioespacial. En: XXXVII Latin America Studies Association, 2019, Boston. LASA2019 Congress Papers. Boston: LASA, v. 1. p. 1-25, 2019.

SPOSITO, E. SPOSITO, M.E.B. Fragmentação socioespacial. Mercator, v. 19, e19015. 2020. http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e19015

WOOD, E. M. Los orígenes agrarios del capitalismo. Monthly Review. Selecciones en castellano, 3ª época, nº2, 2016 [1998].

Downloads

Publicado

2021-08-12

Como Citar

MORCUENDE, A. Diferenciação e fragmentação socioespacial: a contradição campo-cidade como teoria e como método. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 25, n. 2, p. e-177986, 2021. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.177986. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/177986. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos