Espaços residenciais fechados: o acesso diferenciado e desigual à terra na cidade da Matola – Moçambique

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2022.192614

Palavras-chave:

Espaços residenciais fechados, terra urbana, cidade da Matola, Moçambique

Resumo

Busca-se a partir do artigo apresentar e caracterizar os espaços residenciais fechados (ERFs) na cidade da Matola tendo em conta o acesso diferenciado e cada vez mais desigual à terra para a sua implantação e ocupação. Com a intensificação de processos urbanos na cidade da Matola observa-se o crescimento da demanda por terra para a implantação dos ERFs que constituem um novo modo de habitar em Moçambique no geral e na cidade da Matola em particular, cuja produção tem fins meramente comerciais e lucrativos A análise torna-se relevante, primeiro, pelo fato dos ERFs serem elementos urbanos restritos às minorias devido aos valores monetários elevados para sua aquisição, tornando-os espaços de autossegregação. Segundo, pelo fato da terra ser propriedade do Estado em Moçambique, cuja venda é proibida, mesmo sendo sua posse considerada uma condição de produção e a propriedade privada valorizada no modo de produção capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Tomás Natal Ribeiro, Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologia

Ester Tomás Natal Ribeiro, nascida aos 25/12/1978, nacionalidade moçambicana, licenciada em Geografia pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM) em 2005, mestra em Ciências Geodésicas e Tecnologias de Geoinformação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2015, Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP – FCT em 2021, área de concentração – Produção do espaço geográfico, linha de pesquisa – Produção do espaço urbano. Funcionária do Instituto Nacional de Estatística (INE) – Moçambique.

Referências

BOLETIM DA REPÚBLICA. Publicação Oficial da República de Moçambique. 3° Suplemento. Imprensa Nacional de Moçambique. I SÉRIE – Número 51. 26 de Dezembro 2006.

COELHO, V. A. F. D. S. Cooperação descentralizada e participativa entre Portugal e Moçambique: o exemplo do município da Matola. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Instituto Superior de Economia e Gestão, Maio/2004.

CORRÊA, Roberto Lobato. Segregação residencial. “In” A cidade contemporânea: segregação espacial. Editora Contexto, 2013.

GOVERNO DA PROVÍNCIA DE MAPUTO. Matola: perfis distritais. 2017. Disponível em: www.pmaputo.gov.mz. Aceso: 07/11/2021.

INE. Estatísticas do distrito: cidade da Matola. Maputo, 2012.

INE. Manuel de instruções para atualização cartográfica, Censo 2017. Maputo, 2015.

MARRE, J. A. L. A Construção do Objeto Científico na Investigação Empírica. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1991.

MOÇAMBIQUE. Livro de ouro do mundo português. S/D.

MORANGE, Marianne; FOLIO, Fabrice; PEYROUX, Elisabeth; VIVET Jeanne. The spread of a transnational model: gated communities in three southern African cities (Cape Town, Maputo and Windhoek). International Journal of Urban and Regional Research, 2012.

MUNICIPIO DA CIDADE DA MATOLA. Vereação de obras e vias municipais: gabinete de endereçamento, posto administrativo da Matola Sede. S/D

RODRIGUES, Arlete Moysés. Loteamentos murados e condomínios fechados: propriedade fundiária urbana e segregação socioespacial. “In” A cidade contemporânea: segregação espacial. Editora Contexto, 2013.

VENTURA, A. G.; PAZERO, R.; HOELICH, S.; BENNATON, A.; LLOP, J. M. Perfil dos dados básicos das cidades de Moçambique. Projeto de melhora das capacidades institucionais em gestão do desenvolvimento e da consolidação de autoridades locais e redes de AL do Brasil e Moçambique como atores de cooperação descentralizada. Brasília, 2013.

Downloads

Publicado

2022-09-22

Como Citar

RIBEIRO, E. T. N. Espaços residenciais fechados: o acesso diferenciado e desigual à terra na cidade da Matola – Moçambique. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 26, n. 2, 2022. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2022.192614. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/192614. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos