O mapeamento colaborativo e a mobilização de Conhecimentos Geográficos Poderosos na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2023.204972

Palavras-chave:

Cartografia colaborativa, Ensino de Geografia, Conhecimento poderoso

Resumo

Esse artigo apresenta reflexões de um estudo de caso que contou com a participação de 225 estudantes de Ensino Médio de uma escola pública do interior do Paraná, com os quais foram desenvolvidas sequências didáticas com a plataforma Google My Maps. Através delas analisamos as potencialidades didáticas do mapeamento colaborativo no que diz respeito à mobilização de conhecimento geográfico poderoso na escola, por meio do balizamento teórico-metodológico oferecido na tipologia de Alaric Maude. Nessa perspectiva, o conhecimento geográfico é visto como um conjunto de referências capazes aprofundar as formas pelas quais os estudantes veem o mundo e a si mesmos e  de oferecer condições para a promoção de uma maior consciência para a ação social. Concluiu-se que as técnicas de mapeamento colaborativo mobilizadas e estudadas ao longo da investigação contribuíram para a construção das diferentes dimensões do conhecimento geográfico poderoso, evidenciando o seu potencial para a promoção de diferentes saberes ligados ao pensamento geográfico na educação básica.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • TAYLENE MARCELE GANZ, UNICENTRO - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE

    Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2003), Especialização na área de Ensino de História(2005) e em Mídias e Tecnologias Aplicadas à Educação(2015), ambas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste. Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2022). Professora do Quadro Próprio do Magistério da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, atuante nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio desde 2003.Entre 2016 e 2020 atuou na área de Gestão Escolar no Colégio Estadual Santo Antonio em Imbituva/PR.  Atualmente é gestora no Colégio estadual do Campo Jeocondo Waldemar Bobato em Imbituva/Pr.

  • Daniel Luiz Stefenon, Universidade Federal do Paraná

    Professor no Departamento de Teoria e Prática de Ensino da Universidade Federal do Paraná - UFPR, atuando na área de Ensino de Geografia. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unicentro (PPGE) e do Mestrado Profissional em Ensino de Geografia (ProfGeo), Polo IFC/Brusque. Doutor pela Faculdade de Educação da USP e Mestre em Geografia pela UFPR (2009), possui especialização em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2005), Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2003) e Bacharelado em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2005). Membro da Comissão Científica da Revista Brasileira de Educação em Geografia. Atuou como Professor de Ensino Fundamental e Médio em colégios particulares e da Rede Pública de Ensino do Estado do Paraná.

Referências

ACSELRAD, Henri (Org.). Cartografia social e dinâmicas territoriais: marcos para o debate. Rio de Janeiro: IPPUR/UFRJ, 2010.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini. VALENTE, José Armando. Integração currículo e tecnologias e a produção de narrativas digitais. Currículo sem Fronteiras. V.12, n. 3, p 57-82. 2012.

ANDRÉ, Marli. O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. Salvador, v. 22, n. 40, p. 95-103, jul./dez. 2013

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018.

BRAVO, J. V. M.; SLUTER, C. R. O Mapeamento Colaborativo: seu surgimento, suas características e o funcionamento das plataformas. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 11, p. 1902-1916, 2018.

CANTO, Tânia Seneme. A nova forma da mediação da cartografia no ciberespaço: Notas sobre o projeto Post Urbano. Ar@cne: Revista electrónica de recursos en Internet sobre Geografía y Ciencias Sociales, nº 152. Barcelona: Universidad de Barcelona, 2011.

CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella; PAULA, Igor Rafael. O papel do pensamento espacial na construção do raciocínio geográfico. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, v. 10, n. 19, p. 294-322, jan./jun.2020.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia escolar, formação e práticas docentes: percursos trilhados. In: CASTELLAR, Sonia; MUNHOZ, Gislaine. Conhecimentos escolares e caminhos metodológicos. São Paulo: Xamã, 2012 p. 89-100.

GIRARDI, Giseli; COELHO, Patrícia Silva Leal. Mapeamento colaborativo com uso de tecnologias de informação e comunicação acessíveis: elementos para releituras e atualizações do “leitor crítico de mapas” e “mapeador consciente”. Ciência Geográfica. Bauru - XXV - Vol. XXV - (5): Janeiro/Dezembro – 2021.

GOMES, Marquiana de Freitas Villas Boas. Cartografia social e Geografia Escolar: aproximações e possibilidades. Revista Brasileira De Educação Em Geografia, Vol. 7, n. 13, pp. 97–110. Campinas: Unicamp, 2017.

JACKSON, Peter. Thinking geographically. Geography, v. 91, n. 3, s/d, 2006.

LAMBERT, David. SOLEM, Michael. Rediscovering the Teaching of Geography with the Focus on Quality. Geographical Education, Volume 30, p 8-15, 2017.

MAACK, Reinhard. Geografia Física do Estado do Paraná. Curitiba: Editora José Olympio/Imprensa Oficial do Paraná, 1981.

MACHADO, Adriana Alexandria; CAMBOIM, Silvana Philippi. Mapeamento colaborativo como fonte de dados para o planejamento urbano: desafios e potencialidades. URBE: Revista Brasileira de Gestão Urbana, N. 11, pp. 1-21, 2019.

MAUDE, Alaric. What might powerful geographical knowledge look like? Geography. Vol. 101, Part 2. London: s/d, 2016.

NASCIMENTO, Lisângela Keiti. O Lugar no Ensino de Geografia: um estudo em escolas públicas do Vale do Ribeira/SP. Tese (doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2012.

O’REILLY, Tim. What is Web 2.0: Design patterns and business models for the next generation of software. Communications & Strategies, n. 65, pp.17-37, 2007.

PETSCH, Carina; BATISTA, Natalia Lampert; HABOWSKI, Jhennifer Taís Vieira; ALTERMANN, Francisco Augusto; SILVA, Guilherme Moreira. Mapeamento colaborativo como estratégia de ensino de cartografia: um relato de experiência com o aplicativo Canvis. Revista Ensino de Geografia, vol. 5, n. 1, pp. 96-114. Recife: UFPE, 2022.

RIBEIRO, José Carlos Santos; LIMA, Leonardo Branco. Mapas colaborativos digitais e (novas) representações sociais do território: uma relação possível. Ciberlegenda, n. 25, 2011

SEEMANN, Jorn. Subvertendo a cartografia escolar no Brasil. Geografares, n. 12, p. 138-174. Vitória: UFES, 2012.

SILVEIRA, Maria Laura. Uma situação geográfica: do método à metodologia. Revista Território, ano IV, nt1 6, p 21 a 28. jan./jun. 1999.

SIMIELLI, Maria Elena Ramos. Cartografia no ensino fundamental e médio. A geografia na sala de aula. São Paulo: Contexto, 1999.

TAVARES, Gislleidy Uchôa; EVANGELISTA. Ana Nery Amaro; SANTOS, Jader de Oliveira, GORAYEB, Adryane. Mapeamento colaborativo: uma interação entre cartografia e desenvolvimento sustentável no campus do PICI -Universidade Federal do Ceará. ACTA Geográfica, Boa Vista, Ed. Esp. VCBEAGT, p.44-56, 2016.

YOUNG. Michael. Para que servem as escolas? Educação & Sociedade. Campinas, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, 2008.

YOUNG. Michael. O futuro da educação em uma sociedade do conhecimento: o argumento radical em defesa de um currículo centrado em disciplinas. Revista Brasileira de Educação. Vol. 16, no. 48, p. 609-623. S/d, 2011.

YOUNG. Michael. Teoria do currículo: o que é e por que é importante. Cadernos de Pesquisa v.44 n.151 p.190-202 jan./mar. 2014

YOUNG. Michael. Por que o conhecimento é importante para as escolas do século XXI? Cadernos de Pesquisa v.46 n.159 p.18-37, jan./mar. 2016.

Publicado

2023-12-21

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

GANZ, TAYLENE MARCELE; STEFENON, Daniel Luiz. O mapeamento colaborativo e a mobilização de Conhecimentos Geográficos Poderosos na escola. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 27, n. 3, 2023. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2023.204972. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/204972.. Acesso em: 20 abr. 2024.