REGIÃO SUL DE GOIÂNIA: UM LUGAR VALORIZADO NA METRÓPOLE*

Autores

  • Clorisnete Borges Marinho Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2006.73993

Palavras-chave:

valorização, segregação, produção do espaço, urbano, moradia e mercado imobiliário.

Resumo

Entre os temas que envolvem o urbano, a questão da produção de espaços valorizados segregados nas metrópoles tem sido objeto de estudo de vários profissionais da Geografia e áreas afins. A valorização do espaço urbano é ocasionada pela sua localização na cidade e pela sua qualidade de urbanização. Dessa forma, o mercado imobiliário controla o valor da terra e a questão da moradia fica submetida à capacidade financeira do citadino. Nesse sentido, a desigualdade sócioespacial é uma expressão do preço da terra urbana, sendo representada pela segregação, a qual revela-se na paisagem urbana. Conforme estudiosos na área, a estrutura das classes sociais tem determinado a estruturação espacial das metrópoles contemporâneas, sendo que a segregação espacial tem constituído um aspecto comum das metrópole brasileiras. Em Goiânia, esse fenômeno se manifesta desde a fundação da cidade, em 1933, nos contrastes norte-sul. A faixa sul da cidade apresenta peculiaridades sócioespaciais perante a expansão urbana da capital, especialmente por comportar uma concentração de investimentos públicos, de serviços e de camadas de elevado poder aquisitivo. A partir dessa problemática, o presente trabalho analisou o processo de valorização e produção da Região Sul de Goiânia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clorisnete Borges Marinho, Universidade Federal de Goiás

Instituto de Estudos Sócio-Ambientais, IESA - Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Publicado

2006-12-30

Como Citar

MARINHO, C. B. REGIÃO SUL DE GOIÂNIA: UM LUGAR VALORIZADO NA METRÓPOLE*. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 10, n. 2, p. 113-129, 2006. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2006.73993. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/73993. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos