CIDADES E METRÓPOLES: UMA PERSPECTIVA GEOGRÁFICA PARA A ANÁLISE DOS “PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS”

Autores

  • Ângelo Serpa Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2008.74079

Palavras-chave:

Problemas ambientais urbanos, Gestão de resíduos sólidos, Gestão de áreas verdes, Cidade, Região metropolitana.

Resumo

Parte-se do pressuposto de que os problemas ambientais urbanos são de ordem sobretudo ética, política e econômica e que a Geografia deve se debruçar sobre a problemática ambiental buscando desvendar essas dimensões no contexto urbano e metropolitano, a partir do entendimento das relações sociedade-natureza numa perspectiva ao mesmo tempo temporal e espacial. Assim, questões emblemáticas como a distribuição espacial dos espaços públicos de natureza nas cidades, por exemplo, deveriam ser o cerne de uma discussão acadêmica profunda, que pudesse fundamentar em outras bases a gestão de áreas assim nos territórios municipais e metropolitanos. Também a gestão dos resíduos sólidos no contexto urbano e metropolitano coloca as dimensões políticas, econômicas e éticas que permeiam os chamados “problemas ambientais” urbanos na contemporaneidade. Neste artigo aprofunda-se essa discussão, analisando-se as estratégias de gestão dos resíduos sólidos e das áreas verdes, a partir do exemplo da Região Metropolitana de Salvador.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Ângelo Serpa, Universidade Federal da Bahia

    Professor Associado Doutor do Departamento de Geografia da Universidade Federal da Bahia e Pesquisador do CNPq.

Referências

CARLOS, A. F. A. O Meio Ambiente Urbano e o Discurso Ecológico. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 08, p. 75-78, 1994.

EMELIANOFF, C. Les villes européennes face au développement durable: une floraison d’ini tiatives sur fond de désengagement politique. Cahiers du PROSES, n. 8, Sciences-Po, 2004.

GONÇALVES, C. W. P. Meio Ambiente, Ciência e Poder. In: SORRENT INO, Marcos (org .). Ambientalismo e par ticipação na contemporaneidade. São Paulo: EDUC/ FAPESP, 2001. p. 135-161.

JORNAL DA FACOM, “O Lixo de Cada Dia”, 15 de junho de 2007.

MENEZES, E. V. Reestruturação Urbana e Gestão Ambiental. 2002. 125 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2002.

PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO DE SALVADOR ESTUDOS AMBIENTAIS – RELATÓRIO FINAL. Salvador: SEPLAM/ PMS, 2004.

SANTOS, M. Espaço e Método. 3. ed. São Paulo: Livros Studio Nobel, 1992. 88 p.

SERPA, A . O Espaço Público na Cidade Contemporânea. 1 . ed. São Paulo: Editora Contexto, 2007. 208 p.

SERPA, A. O Trabalho de Campo em Geografia: Uma Abordagem Teórico-Metodológica. Boletim Paulista de Geografia, v. 84, p. 7-24, 2006.

SERPA, A. Fatores Sócio-Culturais na Avaliação de Impactos Ambientais: O Caso da Periferia de Salvador. Cadernos do Expogeo, Salvador-Bahia, v. 9, n. 9, p. 23-33, 1998.

SERPA, A. Ponto convergente de utopias e culturas: o Parque de São Bartolomeu. Revista Tempo Social, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 177-190,1996.

YÁZIG I , E . O Ambientalismo: Ação e Cientificidade em Dúvida . Revista do Departamento de Geografia, n. 08, p. 85-96, 1994. www.conder.ba.gov.br, acesso em junho de 2007. www.vega.com.br, acesso em junho de 2007.

Downloads

Publicado

2008-12-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SERPA, Ângelo. CIDADES E METRÓPOLES: UMA PERSPECTIVA GEOGRÁFICA PARA A ANÁLISE DOS “PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS”. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 12, n. 2, p. 30–43, 2008. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2008.74079. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74079.. Acesso em: 13 jul. 2024.