IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS À MARGEM DO RIO SÃO FRANCISCO: RESULTADO DA FALTA DE CONSIDERAÇÃO DA ÁREA DE INFLUÊNCIA REAL

Autores

  • Regnaldo Gouveia dos Santos Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74143

Palavras-chave:

Impacto socioambiental, Área de influência no EIA/Rima, Políticas públicas, Previsão de impactos, Relação homem-natureza.

Resumo

O tema em epígrafe levanta uma questão relevante aos debates atuais acerca das recentes preocupações do homem, tendo em vista sua relação com a natureza. Da análise de tal relação parte o eixo de discussão que enfatiza o contexto de impacto socioambiental e sua previsão quanto às fases de realização e operação de empreendimentos hidroelétricos. O direcionamento da discussão trata, dentre outras circunstâncias, do entorno da barragem hidrelétrica Xingó passível de impactos sejam ambientais ou sociais, como o recorte espacial estudado, município de Porto da Folha/SE, à margem do rio São Francisco. Além disso, o presente trabalho questiona a área de influência considerada pelo Estudo de Impacto Ambiental / Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) de Xingó, o que fez denotar alguns aspectos que caracterizam faltas de ações de governo, em termos de políticas públicas, assim como políticas de mitigação de impactos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Regnaldo Gouveia dos Santos, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
    Mestre em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Universidade de São Paulo. Orientadora: Profª Drª Neli Aparecida de Mello – Universidade de São Paulo (USP).

Referências

AB’SABER, Aziz Nacib. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. 160 p.

AB’SABER, Aziz Nacib & PLANTENBERG, Clarita Muller (org). Previsão de impactos. 2ª edição. São Paulo: Edusp, 2006. 573 p.

ALMEIDA, Lúcia M. Alves de; RIGOLIN, Tércio B. A Questão ambiental: natureza, sociedade e tecnologia. In: Geografia: série - novo ensino médio. São Paulo: Editora Atica, 2002. p. 07-186.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (CONAMA/IBAMA). Para efeito desta Resolução considera-se impacto ambiental... Resolução Conama, nº 01, 23 de janeiro de 1986. Resoluções, Brasília, fevereiro de 1986.

BRASIL. Dispõe sobre o licenciamento ambiental de obras do setor de geração de energia elétrica. Resolução Conama, nº 6, 16 de setembro de 1987. Resoluções, Brasília, outubro de 1987.

BRASIL. Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo I – memorial descritivo do empreendimento. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1993. 113 p.

BRASIL. Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo II – diagnóstico ambiental, volume 01 – meio físico. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1993. 282 p.

BRASIL. Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo II – diagnóstico ambiental, volume 02 – meio biótico. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1993. 201 p.

BRASIL. Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo II – diagnóstico ambiental, volume 03 – meio antrópico. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1993. 208 p.

BRASIL. Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo III – prognóstico ambiental. Rio de Janeiro:[s.n.]. 1993. 86 p.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (CONAMA/IBAMA). Usina hidrelétrica de Xingó: Estudo de Impacto Ambiental – EIA. Tomo IV – programas ambientais. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1993. 64 p.

BRASIL. Relatório de Impacto Ambiental – RIMA: Usina Hidrelétrica de Xingó – UHE XINGÓ. Rio de Janeiro, [s.n.], [1993 ou 1994]. 108 p.

BRASIL. Aspectos gerais do empreendimento. In: Usina hidrelétrica de Xingó. Projeto Básico Ambiental – PBA: programa de manejo e conservação da fauna aquática. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1994. 1-10 p.

BRASIL. Projeto de manejo e conservação da fauna aquática. In: Usina hidrelétrica de Xingó. Projeto Básico Ambiental –PBA: projeto de manejo e conservação da fauna aquática. Rio de Janeiro: [s.n.]. 1994. 11-62 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censos econômicos: agrícola, industrial, comercial e dos serviços –

recenseamento geral do Brasil (1º de setembro de 1940), série regional – parte XI – Sergipe. Rio de Janeiro: IBGE, 1952.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Produção agrícola: discriminada por município – 1953 – Sergipe. Rio de Janeiro: IBGE, 1954.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo ag rícola de 1960: VII recenseamento geral do Brasil – série regional – Alagoas – Sergipe. Volume II – tomo VII – 1ª Parte. Rio de Janeiro: IBGE, 1960.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Produção agrícola: discriminada por município – 1974-1990 –Sergipe. Rio de Janeiro: IBGE, (17 vols.).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário de 1980 : IX recenseamento geral do Brasil –Sergipe. Volume II – tomo III – nº 14. Rio de Janeiro: IBGE, 1983.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Produção Agrícola Municipal – PAM, SIDRA. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acessado em: 04 de abril de 2009.

REBOUÇAS, Aldo da Cunha. Água doce no mundo e no Brasil. In: REBOUÇAS, Aldo da Cunha; BRAGA, Benedito; TUNDISI, José Galízia (orgs.). Águas doces no Brasil : capital ecológico, uso e conservação. São Paulo: Escrituras, 1999. p. 1-38.

SÁNCHEZ, Luis E. Conceitos e Definições. In: Avaliação de Impac to Ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2006. Capítulo 01. p. 17-43.

SANTOS, Regnaldo Gouveia dos. Impactos socioambien tai s à ma rgem do rio São Francisco: um estudo de caso. 2008. 193 f. Dissertação de Mestrado – DPGEO/FFLCH-USP, São Paulo, 2008.

Downloads

Publicado

2009-12-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SANTOS, Regnaldo Gouveia dos. IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS À MARGEM DO RIO SÃO FRANCISCO: RESULTADO DA FALTA DE CONSIDERAÇÃO DA ÁREA DE INFLUÊNCIA REAL. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 13, n. 3, p. 81–92, 2009. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74143. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74143.. Acesso em: 17 jul. 2024.