Determinação de Morainas de Retração na Cordilheira Tres Cruces, Bolívia

Autores

  • Rafael R Ribeiro Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências
  • Jefferson Cárdia Simões Universidade Federal do Rio Grande, Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2010.74171

Palavras-chave:

Cbers, Geleiras tropicais, Sensoriamento remoto, Andes, Bolívia

Resumo

Os processos glaciais deixam importantes “registros” de sua atuação, tanto na modificação das formas do relevo previamente existentes como na deposição de material sedimentar. Muitas geleiras localizam-se em áreas remotas, o que torna as medidas no terreno muito caras e de grande dificuldade logística. Uma alternativa a esses métodos é a integração de dados obtidos em campo com dados de sensoriamento remoto.  Nosso estudo propõe levantar por técnicas de sensoriamento remoto uma área piloto (cordilheira Tres Cruces) da cobertura de gelo boliviana (67º22’ - 67º32’W e 16º47’- 16º09’S). A presença de morainas de retração, em todas as bacias delimitadas deixa claro que durante o Holoceno as geleiras da cordilheira Tres Cruces ocuparam áreas mais amplas do que no presente. Os controles climáticos são também claramente identificados ao examinar-se a altitude da frente da geleira de orientação leste-norte (c5250), cerca de 100–270 m mais elevada do que as geleiras de orientação oeste-sul. Este padrão provavelmente está relacionado com a diferente exposição solar das vertentes.   A ocorrência de morainas terminais, abaixo dos 4.500 m de altitude na Cordilheria Oriental, ou 3.500 m na Cordilheira Ocidental,  indica a extensão de antigas geleiras durante a Pequena Idade do Gelo (1200 – 1800 A.C).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-08-30

Como Citar

RIBEIRO, R. R.; SIMÕES, J. C. Determinação de Morainas de Retração na Cordilheira Tres Cruces, Bolívia. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 14, n. 2, p. 73-90, 2010. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2010.74171. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74171. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos