CAMPESINATO, ENSINO DE GEOGRAFIA E ESCOLAS DO CAMPO: O CONHECIMENTO GEOGRÁFICO COMO UM SABER EM CONJUNTO

Autores

  • Alexandra Maria Oliveira Universidade Federal do Ceará. Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2011.74232

Palavras-chave:

Campesinato, Escola do campo, Ensino de Geografia.

Resumo

 

Esta pesquisa tem como objetivo apresentar uma leitura sobre a contribuição da Geografia, como disciplina escolar, na leitura da realidade no semiárido. Aborda-se no texto um momento de socialização de professores e alunos na escola do Assentamento 25 de Maio, Madalena, Ceará. No diálogo, a escola foi vista como lugar de construção de conhecimentos em conjunto com aprendizagens significativas, e a Geografia como disciplina fundamental na compreensão das relações sociais do semiárido. Sua inserção na escola do campo tem acontecido no caminho da proposta dos movimentos camponeses na construção da política educacional para o campo. Essas são interpretações relevantes na compreensão da realidade que envolve a geografia escolar e a escola do campo, que se encontram no processo de espacialização da luta camponesa no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-30

Como Citar

OLIVEIRA, A. M. CAMPESINATO, ENSINO DE GEOGRAFIA E ESCOLAS DO CAMPO: O CONHECIMENTO GEOGRÁFICO COMO UM SABER EM CONJUNTO. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 15, n. 3, p. 62-75, 2011. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2011.74232. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74232. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos