Os negócios da lenha: indústria, desmatamento e desertificação no Cariri paraibano

Autores

  • Ibrahim Soares Travassos Universidade Federal da Paraíba
  • Bartolomeu Israel de Souza Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.84536

Palavras-chave:

Extrativismo vegetal, desmatamento, desertificação, Polo Gesseiro, Cariri paraibano.

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo analisar a dinâmica existente na cadeia social e econômica da atividade extrativista vegetal e o seu papel como um agente potencial responsável pelo crescimento de áreas desertificadas no Cariri paraibano. A diminuição das áreas florestais no Brasil, em particular da Caatinga, está intrinsecamente relacionada à forma de ocupação territorial e ao modelo de produção estabelecido no Brasil rural desde o início da era colonial. Na região Nordeste, historicamente, há uma grande dependência da população, principalmente as de baixa renda, em relação ao produto florestal como fonte de energia, tanto no consumo doméstico quanto para fins econômicos. Nesse caso, a comercialização desses produtos ganha forte contorno, visando atender o mercado interno (estadual), mas também o mercado externo, com destaque para o vizinho estado de Pernambuco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ibrahim Soares Travassos, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Geografia (UFPB).

Bartolomeu Israel de Souza, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Geografia (UFRGS), Professor (DGEOC/PPGG/UFPB)

Downloads

Publicado

2014-09-20

Como Citar

TRAVASSOS, I. S.; DE SOUZA, B. I. Os negócios da lenha: indústria, desmatamento e desertificação no Cariri paraibano. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 18, n. 2, p. 329-340, 2014. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.84536. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/84536. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos