O poder do corpo no espaço público: o urbano como privação e o direito à cidade

Autores

  • Ana Fani Alessandri Carlos Departamento de Geografia-FFLCH-USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.89588

Palavras-chave:

direito à cidade, corpo, espaço urbano, espaço público

Resumo

 Neste artigo parte da hipótese segundo a qual, a produção do espaço é um  elemento central para a compreensão do mundo moderno, tanto do ponto de vista da realização do processo acumulativo do capital, quanto da reprodução da vida social, na medida em que a produção do espaço é condição, meio e produto da reprodução social em sua totalidade.

As transformações da cidade são hoje marcadas pela contradição entre o que é necessário à realização da reprodução do capital e o que  necessecidade/desejo para a sociedade que faz dela o lugar dos conflitos posto que a práxis urbana repõe, continuamente a desigualdade resultado do processo de valorização que cria a cidade como segregação.

No Brasil de hoje, como em várias partes do mundo, vivemos o tempo das manifestações nas ruas e praças (como reafirmação do espaço público) tem-se  desdobrado em lutas pela cidade movidas pela necessidade de apropriação do espaço urbano para a realização de uma outra vida (que é, basicamente, urbana) aonde a privação vivida por uma parcela significativa da sociedade seja superada. As manifestações, serão entendidas como a forma que assumem os resíduos presentes no cotidiano contra o que se impõe como hegemônico. à realização da vida urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Fani Alessandri Carlos, Departamento de Geografia-FFLCH-USP

Professora Titular do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Possui Graduação e Licenciatura em Geografia pela Universidade de São Paulo (1975); título de Mestrado (1979), Doutorado (1987) e Livre-Docência (2000) em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo.

Referências

ARTEAUD, A. O teatro e seu duplo. São Paulo: Max Limonad, 1984.

BERNARD, M. Le corps. Paris: Seuil, 1995.

CARLOS, A. F. A. A representação arcaica do espaço e o espaço público para além da esfera pública e seu sentido atual. In: ______. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011. p. 125-140.

DRUMMOND DE ANDRADE, C. Antologia poética. São Paulo: Record, 2001.

FILLIEULE, O.; TRATTAKOWSKY, D. La manifestation. Paris: Presse de la Fondation de Sciences Po, 2008.

HELLER, A. A filosofia radical. São Paulo: Brasilense, 1983.

HOMERO. Ilíada. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

HORKHEIMER, M. Eclipse da razão. Rio de Janeiro: Labor do Brasil, 1976. JAEGER, W. Paideia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2003. LEFEBVRE, H. Le droit à la ville. Paris: Anthropos, 1968.

LIPOVETSKY, G. Espace privé, espace public à l’âge postmoderne. In: BAUDRILLARD, J. et al. Citoyenneté et urbanité. Paris: Esprit, 1991. p. 105-122.

MARTINS, J. S. A sociabilidade do homem simples. São Paulo: Contexto, 2010. PACQUOT, T. Homo urbanus. Paris: Félin, 1990.

PEREC, G. Espèces d’espaces. Paris: Galilée, 1974.

SIMÃO, J. Ueba! “BBB”, a Turma do Friboi! Folha de S.Paulo, 17 jan. 2014. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/josesimao/2014/01/1398877-ueba-bbb-a- -turma-do-friboi.shtml>. Acesso em: 18 jun. 2014.

SMITH, N. Contornos de uma política espacializada: veículos dos sem-teto e a produção da escala geográfica. In: ARANTES, A. A. (Org.). O espaço da diferença. São Paulo: Papirus, 2000.

Downloads

Publicado

2014-12-12

Como Citar

CARLOS, A. F. A. O poder do corpo no espaço público: o urbano como privação e o direito à cidade. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 18, n. 3, p. 472-486, 2014. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.89588. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/89588. Acesso em: 16 out. 2021.

Edição

Seção

Ensaio