OBJECTILE E AS “NOVAS PRETENSÕES” DO PROJETO PARAMÉTRICO EM ARQUITETURA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/gtp.v12i3.134297

Palavras-chave:

Objectile, Projeto Paramétrico, Gilles Deleuze, Modulado, Projeto Digital

Resumo

Na década de 1980, Deleuze e Cache produzem um novo conceito encapsulado em uma “palavra bárbara”, o objectile, um tipo de objeto variável, no qual, segundo Deleuze, a flutuação da norma substitui a permanência de uma lei, a produção de um contínuo por variação. Às vezes, uma palavra bárbara é necessária para dar conta de uma “pretensão nova”, um vetor de saída de territórios conhecidos. Quais “pretensões novas” poderiam revelar esse conceito sobre o processo de projeto arquitetônico na era digital? Nesta investigação, propomos pensar o que aconteceria se tomássemos o objectile como objeto do processo de projeto arquitetônico para revelar tais pretensões; se trocássemos um objeto fixo por outro variável, um molde por outro modulado. Apresentamos três níveis de reflexão sobre o projeto paramétrico digital na arquitetura: (a) o objectile e sua relação no processo como ferramenta da variabilidade: caminho para o meta-design; (b) o objectile na questão da escolha dentro do processo projetual: um controle modulado; e (c) o objectile no impacto sobre novas formas de pensar o projeto por dentro: amnésia e inconsciência algorítmica. Por fim, buscamos entender a perturbadora mudança conceitual trazida por essa ideia de projeto baseada em um “contínuo por variação”, afetando formas de pensar e conceitos como processo, controle, liberdade e escolha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rovenir Bertola Duarte, Universidade Estadual de Londrina

Professor do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Professor nas áreas de projeto arquitetonico e teoria da arquitetura.

Malu Magalhães Sanches, Suzuki Arquitetura e Universidade Estadual de Londrina

Arquiteta na empresa Suzuki Arquitetura. Pesquisadora colaboradora em projeto pesquisa "Objectile".

Louisa Savignon Lepri, UABI Arquitetura

Arquiteta Sócia na empresa UABI Arquitetura. Pesquisadora colaboradora em projeto pesquisa "Objectile".

Referências

BAUDRILLARD, J. O sistema dos objetos. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

CACHE, B. Earth moves: the furnishing of territories. Cambridge, MA: The MIT Press, 1995.

______. Projectiles. London: Architectural Association, 2011.

CACHE, B.; GIRAD, C. Objectile: the pursuit of philosophy by other means? Introduction: a conversation between Bernard Cache and Christian Girard. In: FRICHOT, H.; LOO, S. (Eds.). Deleuze and architecture. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2013. p. 96-110.

CARPO, M. Del alfabeto al algoritmo: sobre la autoría digital y el diseño paramétrico. Arquitectura viva, Madrid, n. 140, p. 112-114, 2011a.

______. The alphabet and the algorithm. Cambridge, MA: The MIT Press, 2011b.

CHOKHACHIAN, A. Parametric design thinking: a paradigm shift for architecture design process. Saarbrücken: Lambert Academic Publishing, 2014.

DELEUZE, G. A dobra: Leibniz e o barroco. Campinas: Papirus, 1991.

______. Post-Scriptum, sobre as sociedades de controle. In: ______. Conversações: 1972-1990. São Paulo: Editora 34, 1992. p. 219-226.

______. Pintura: el concepto de diagrama. Buenos Aires: Cactus, 2007.

DELEUZE, G.; PARNET, C. L’abécédaire de Gilles Deleuze. Produção de Pierre-André Boutang. Entrevista. Tradução para fins acadêmicos de Tomaz Tadeu. Paris: Vidéo Éditions Montparnasse, 1996. Disponível em: <https://goo.gl/LD91bp>. Acesso em: 10 nov. 2017.

DUARTE, R. B. El diagrama arquitectónico despues de Deleuze: estudio de casos holandeses. 2015. 386 f. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Universitat Politècnica de Catalunya, Barcelona, 2015.

ETHERINGTON, R. 10 Hills Place by Amanda Levete Architects. Dezeen, London, 10 set. 2009. Disponível em: <https://goo.gl/xqPC4D>. Acesso em: 13 nov. 2017.

FISCHER, G. End user development and meta-design: foundations for cultures of participation. In: DWIVEDI, A.; CLARKE, S. (Eds.). End-user computing, development, and software engineering: new challenges. Hershey: IGI Global, 2012. p. 202-226. Disponível em: <https://goo.gl/Tm7fxm>. Acesso em: 1º nov. 2017.

GANE, V. Parametric design: a paradigm shift? 2004. 98 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, MA, 2004.

GELI, E. R. Media-tic/Enric Ruiz Geli. Archdaily, [S.l.], 9 fev. 2010. Disponível em: <https://goo.gl/z74B3N>. Acesso em: 13 nov. 2017.

GARCÍA ALVARADO, R.; JOFRE MUÑOZ, J. The control of shape: origins of parametric design in architecture in Xenakis, Gehry and Grimshaw. METU Journal of Faculty of Architecture, Ankara, v. 29, n. 1, p. 107-118, 2012.

GIACCARDI, E. Principles of metadesign: processes and levels of co-creation in the new design space. 2003. 436 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Faculty of Science and Technology, University of Plymouth, Plymouth, UK, 2003.

GROSS, M. D. Design as exploring constraints. 1986. 147 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, MA, 1986.

HARTOONIAN, G. Crisis of the object: the architecture of theatricality. London: Routledge, 2006.

ITALIAN Architect Reimagines Peroni’s Nastro Azzurro Bottle Design with 3D Printing. Microfabricator, Norfolk, 24 jul. 2014. Disponível em: <https://goo.gl/yHjsCy>. Acesso em: 13 nov. 2017.

KOLAREVIC, B. Architecture in the digital age: design and manufacturing. New York: Taylor & Francis, 2005. Disponível em: <https://goo.gl/Xw81Gh>. Acesso em: 1º nov. 2017.

KWINTER, S. ¿Quién teme al formalismo? In: ZAERA-POLO, A. (Org.). Filogénesis: las especies de Foreign Office Architects. Barcelona: Actar, 2003. p. 96-99.

LACERDA, T. M. Leibniz: matéria extensa e corpo orgânico. Especiaria: Cadernos de Ciências Humanas, Ilhéus, v. 16, n. 28, p. 153-166, 2016.

MONTANER, M. J. Crisis del objeto. In: ______. Sistemas arquitectónicos contemporáneos. Barcelona: Gustavo Gili, 2008. p. 10-25.

MONTEFAMEGLIO, A. Thauma – #3 objectile: Deleuze, Leibniz and Bernard Cache. Momus: the culutural magazine, [S.l.], 30 maio 2016. Disponível em: <https://goo.gl/SJPbMn>. Acesso em: jun. 2017.

MORAES, D. Metaprojeto: o design do design. Rio de Janeiro: Blucher, 2010.

NILSSON, F. Architectural objectiles: architecture, form, meaning and experience in the digital era. In: ARCHITECTURE & PHENOMENOLOGY INTERNATIONAL CONFERENCE, 1., 2007, Haifa. Proceedings CD. Gothenburg: Chalmers Publication Library, 2007. p. 1-13. Disponível em: <https://goo.gl/XX3FTX>. Acesso em: 1º nov. 2017.

NOX. HtwoOexpo. NoxArch, [201-?]. Projects. Disponível em: <http://www.nox-art-architecture.com/>. Acesso em: 13 nov. 2017.

NYAWARA, B. Aqua Tower, a Water Sculpture in the Chicago Sky by Studio Gang Architects. Archute, [S.l.], 28 out. 2015. Disponível em: <https://goo.gl/Qp9zV1>. Acesso em: 13 nov. 2017.

ROWE, C.; KOETTER, F. Crisis of the object: predicamento of texture. Perspecta, Cambridge, MA, v. 16, p. 108-141, 1980.

SANDERS, E. B.; STAPPERS P. J. Co-creation and the new landscapes of design. CoDesign, Abingdon, v. 4, n. 1, p. 5-18, 2008. DOI: 10.1080/15710880701875068

SAVAT, D. Deleuze’s Objectile: from discipline to modulation. In: SAVAT, D.; POSTER, M. Deleuze and new technology. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2005. p. 45-61. Disponível em: <https://goo.gl/ZBJGBe>. Acesso em: 1º nov. 2017.

SCHWARTZ, B. Paradox of choice: why more is less. New York: Harper Collins, 2009.

TRUMMER, P. Associative design: from type to population. In: MENGES, A.; AHLQUIST, S. (Eds.). Computational design thinking: computation design thinking. London: Wiley AD Reader, 2011. p. 179-194.

Downloads

Publicado

2017-11-22

Como Citar

Duarte, R. B., Sanches, M. M., & Lepri, L. S. (2017). OBJECTILE E AS “NOVAS PRETENSÕES” DO PROJETO PARAMÉTRICO EM ARQUITETURA. Gestão & Tecnologia De Projetos, 12(3), 59-76. https://doi.org/10.11606/gtp.v12i3.134297

Edição

Seção

Artigos