Mapas digitais interativos como ferramenta de auxílio na gestão de projetos em design: uma análise da plataforma My maps

Autores

  • Karina Pereira Weber Universidade Federal de Santa Catarina
  • Larissa Fontoura Berlato Universidade Federal de Santa Catarina
  • Berenice Santos Gonçalves Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luiz Fernando Gonçalves de Figueiredo Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/gtp.v16i1.155748

Palavras-chave:

Design da Informação, Métodos de Mapeamento, Mapas Digitais Interativos, Gestão Estratégica de Design

Resumo

Inserido na temática de mapas digitais interativos, como interface de visualização da informação, este artigo tem como objetivo avaliar a plataforma My Maps da Google. A análise se deu a partir dos princípios de design da informação por meio das variáveis visuais de Mijksenaar (1997) e métodos de mapeamento (LOCH, 2006; ARCHELA; THÉRY, 2008), avaliando suas funcionalidades e condições para uso como ferramenta estratégica de gestão de projetos. Como resultados, pontua-se que a plataforma é um recurso que potencializa a visualização de cenários, atores de sistemas, bem como valorização territorial por meio de narrativas que podem ser contadas nas descrições dos projetos mapeados, ainda que seja um tanto limitada para explorar os diferentes tipos de métodos de mapeamento. Os mapas digitais interativos, pelo My Maps, podem contribuir no processo de gestão de design em nível estratégico, auxiliando na visualização da informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Pereira Weber, Universidade Federal de Santa Catarina

Atualmente é estudante de doutorado em Design pelo Programa de Pós-Graduação em Design da UFSC. Integrante e pesquisadora do Núcleo de Abordagem Sistêmica de Design (NASDesign). Foi professora substituta na Coordenadoria de Design, IFSUL, Campus Pelotas, dos cursos técnicos e Bacharelado, de 2015 até 2017. Mestre em Comunicação Social, pelo Programa de Pós-Graduação da Famecos, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Graduada em Design Gráfico pela Universidade Federal de Pelotas em 2012/2. Foi integrante do Programa de Educação Tutorial - Artes Visuais (PET-Artes Visuais) como colaboradora em 2010 e bolsista de 2011 até 2012/2. Enquanto graduanda, participava do grupo de pesquisa Memória Gráfica de Pelotas: 100 anos de Design como pesquisadora. Esteve em mobilidade acadêmica, 2010/2, em intercâmbio na La Salle College International, em Bogotá/CO. Foi monitora da disciplina de Fundamentos da Linguagem Visual durante um semestre. Formada em Programação Visual pelo CEFET-RS, atual Instituto Federal Sul-riograndense, em Programação Visual.

Larissa Fontoura Berlato, Universidade Federal de Santa Catarina

Atualmente é estudante de doutorado em Design pelo Programa de Pós-Graduação em Design da UFSC. Possuí mestrado em Design no Programa de Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica da Universidade Federal de Santa Catarina (2019) e graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001). Pesquisadora integrante  da equipe do NASDesign (Núcleo de Abordagem Sistêmica de Design) da UFSC, desenvolve pesquisas nas áreas de concentração de gestão de design, design de serviço, sustentabilidade, inovação social e abordagem sistêmica aplicadas ao design. Juntamente com seu orientador, ministra a disciplina de Design e Sustentabilidade para os cursos de graduação em Design e Design de Animação no CCE/ UFSC. Tem experiência de atuação nas áreas de Design Gráfico, Design de Produto e Direção de Criação em empresas como Trio Design (Designer Senior) e rede de lojas Imaginarium (Gerente de Criação e Curadoria de produtos em feiras nacionais e internacionais). 

Berenice Santos Gonçalves, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004), mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997) e graduação em Artes Visuais - Bacharelado e Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990). Atualmente exerce a função de professor Associado na Universidade Federal de Santa Catarina onde ministra disciplinas nas áreas de Teoria da Cor, Ergonomia e usabilidade e Design Digital para o curso de Graduação em Design. Atua no Programa de Pós-Graduação em Design [Mestrado e Doutorado]. Desenvolve pesquisas nas linhas de Mídia e Mídia e Tecnologia a partir dos seguintes eixos: " interação e Interface" " Design Editorial no contexto das tecnologias digitais" e " Hipermídia para Aprendizagem. É líder do grupo de pesquisa " Publicações digitais" e vice-líder do grupo de pesquisa " Ambientes Hipermídia para apoio ao processo ensino aprendizagem&quot.

Luiz Fernando Gonçalves de Figueiredo, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Engenharia Sanitária pela Universidade Federal de Mato Grosso (1998), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Atualmente é professor efetivo da Universidade Federal de Santa Catarina e coordena o NASDESIGN-Núcleo de Abordagem Sistêmica do Design. Tem experiência na área de Design, com ênfase em Design e Inovação Social, especificamente com informação e sustentabilidade em produto e processo. Participa dos programas de pós-graduaçao em Design UFSC. Faz parte do grupo de avaliadores do INEP/MEC. É lider do grupo de pesquisa em Abordagem Sistêmica do Design e pesquisador CNPq. Pós-Doutorado na Universidade Federal de Mato Grosso Sul em Tecnologia Ambiental no Laboratório de Geoprocessamento para Aplicações ambientais com a utilização de VANTs.

Referências

ARCHELA, R. S.; THÉRY, H. Orientação metodológica para construção e leitura de mapas temáticos. In: Confins [Online], v. 3, 2008. Disponível em: http://journals.openedition.org/confins/3483. Acesso em: 03 maio 2018.
BERTIN, J. A neográfica e o tratamento gráfico da informação. Curitiba: UFPR, 1986. 273 p.
BRESSANE, T. Navegação e construção de sentido. In: FERRARI, Pollyana. Hipertexto, hipermídia: as novas ferramentas de comunicação digital. 1. Ed. São Paulo : Contexto, 2010. p. 149-163.
CARDOSO, R. Design para um mundo complexo. São Paulo: Cosac Naify, 2013.
DESIS. Disponível em: <http://desis-network.org/> Acesso em: 20 out. 2017.
DICK, M. E.; GONÇALVES, B. S.; VITORINO, E. V. Design da informação e competência em informação: relações possíveis. In: Infodesign. v. 17. n. 1. 2017. p. 1-13.
FALAT, D. R. Avaliação de mapas na web: questões relativas à interface e à interatividade.[dissertação]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, Pós-Graduação em Ciências Geodésicas. Departamento de Geomática, 2007. 134 p.
FREITAS, J. C. O design como interface de comunicação e uso em linguagem hipermidiática. In: LEÃO, L. O chip e o caleidoscópio. Reflexões sobre as novas mídias; São Paulo: SENAC, 2005. P. 183-196.
JOLY, M. P.; STRAIOTO, R. E FIGUEIREDO, L. F. Strategies in design for social innovation within Alto Vale Project. In: Strategic Research Design Journal. Porto Alegre: UNISINOS, 2015.
LOCH, R. E. N. Cartografia:representação, comunicação e visualização de dados espaciais. Florianópolis: Editora UFSC, 2006. 313 p.
MANZINI, E. et al. The DESIS Network: Design and social innovation for sustainability. In: Journal of Design Strategies, 2010. v. 4, n. 1, p. 68-76.
MARTINO, L. M. S. Teoria das Mídias Digitais: linguagens, ambientes, redes. Petrópolis: Vozes, 2014.
MOZOTA, B. B.de. Gestão do Design: usando o design para construir valor na marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman, 2011.
MURRAY, J. H. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú Cultural: Unesp, 2003.
OLIVEIRA, T. K. de. Descontruindo mapas, revelando espacializações: reflexões sobre o uso da cartografia em estudos sobre o Brasil colonial. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 34, n. 68, p.151-174, jul. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbh/v34n68/a08v34n68.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2018.
PRATES, R. O. Interação em sistemas colaborativos. In: PIMENTEL, M, FUCKS, H. Sistemas Colaborativos. RJ: Elsevier, 2011. p. 264-293.
QUINTÃO, F. Design de informação em plataformas colaborativas online baseadas na imagem cartográfica digital. [Dissertação]. Programa de Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica, Departamento de Design, 2013. 200 p.
REIS, L. E. dos. Garimpo V: desenvolvimento de interfaces gráficas para um aplicativo com informações geolocalizadas para o público vegano. 2017. 117 f. TCC (Graduação) - Curso de Design, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/177177>. Acesso em: 20 abr. 2018.
SOUSA, P. Criação de uma plataforma websig de equipamentos culturais e desportivos para a região autónoma dos açores: caso de estudo para a ilha de São Miguel. Disponível em: https://run.unl.pt/bitstream/10362/18430/1/TSIG0115.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

Weber, K. P., Berlato, L. F., Gonçalves, B. S., & de Figueiredo, L. F. G. (2020). Mapas digitais interativos como ferramenta de auxílio na gestão de projetos em design: uma análise da plataforma My maps. Gestão & Tecnologia De Projetos, 16(1), 109-126. https://doi.org/10.11606/gtp.v16i1.155748