Arquitetura performativa: o uso de materiais responsivos e fabricação digital em experiência de ensino

Autores

  • Gladys Ilka Klein Taparello Universidade Federal de Santa Catarina
  • Patrícia Turazzi Luciano Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carla Cristina Secchi Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carlos Eduardo Verzola Vaz Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/gtp.v16i2.165582

Palavras-chave:

Ensino de arquitetura, Higroscopia da Madeira

Resumo

A arquitetura pode ser definida como uma composição de espaço, eventos e movimento, influenciada pelo meio, usuários e acontecimentos (GÓMEZ, 2006). Nesse contexto insere-se a arquitetura performativa, abrangendo conceitos de desempenho e de apresentação artística (LENZ; CELANI, 2015), assistida por pesquisas técnicas sobre smart material, que relacionam a composição dos materiais com suas variações de comportamento às alterações nos ambientes (ADDINGTON; SCHODEK, 2005). Nesse viés, a madeira, com suas características de resposta ao ambiente, pode ser reavaliada como material responsivo (HENSEL, 2011), em pesquisas sobre componentes responsivos de duas camadas: uma passiva de material sintético, e outra ativa de madeira, para uso como recobrimento de fachadas (HOLSTOV; BRIDGENS; FARMER, 2015; REICHERT; MENGES; CORREA, 2015). Esta pesquisa explorou o uso de madeiras brasileiras como material responsivo em componentes de duas camadas; e investigou a introdução deste conteúdo como atividade prática sobre arquitetura performativa em ateliê de graduação, em uma oficina de curta duração, com base na pesquisa de Davidova e Sevaldson (2016). Uma estrutura de MDF possibilitou explorar o uso dos elementos responsivos de madeira, produzidos na oficina, como geradores de espaços transitórios e seu comportamento em ambiente real, que teve registro fotográfico, durante um mês, com variação de umidade entre 47% e 90%. Observou-se que, ao trabalhar manualmente com um material familiar, os alunos assimilaram a importância do entendimento do comportamento dos materiais e das tecnologias que se pretende aplicar no edifício, para conciliar as demandas do projeto com as características do local no qual se insere.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gladys Ilka Klein Taparello, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Possui especialização em Gestão de Obras e Projetos pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de compatibilização de projetos e como ministrante de cursos de curta duração relacionados à arquitetura performativa e prototipagem digital. Tem interesse nas áreas de Arquitetura Performativa, Tecnologias da Construção e no Processo de Projeto. Faz parte do Grupo de Modelagem Avançada (GMA), na UFSC.

Patrícia Turazzi Luciano, Universidade Federal de Santa Catarina

Participante do grupo de pesquisa GMA - Grupo de Modelagem Avançada, que tem como objetivo investigar diferentes sistemas generativos de projeto, estratégias computacionais e técnicas de automação aplicadas a problemas do campo do conhecimento da arquitetura e urbanismo. Participante do grupo ED3 ? Educação em Prototipagem, que objetiva o disseminar o conhecimento em prototipagem digital no âmbito da educação. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com pesquisa voltada para animação e processo de projeto na arquitetura com inserção de tecnologias de prototipagem digital. Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela UFSC (2008) e especialização em Cinema e Linguagem Audiovisual (Estácio). Foi professora na Faculdade Avantis (2014-2017) e Uniasselvi (2013-2014). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em docência, atuando principalmente nos seguintes temas: representação no projeto arquitetônico, processo de projeto, prototipagem e arquitetura performativa. Ministrante de cursos de curta duração em representação gráfica tridimensional com o auxílio da prototipagem digital. Também tem experiência desde 2008 com projetos cenográficos e coordenação de equipes e projetos de cenografia para audiovisual, atuando em um longa metragem de animação e diversas publicidades.

Carla Cristina Secchi, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - PósARQ, da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. É Técnica do Laboratório Pronto 3D, polo Chapecó, localizado na Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó. O Pronto 3D é um FABLAB de Prototipagem e Novas Tecnologias Orientadas ao 3D, possuindo quatro polos em Santa Catarina, buscando difundir o desenvolvimento e conhecimento de novas tecnologias em Prototipagem e Fabricação Digitais no estado. Atua como Arquiteta e Urbanista. Arquiteta e Urbanista pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó. Atua nas áreas de Arquitetura Open Source, Habitação, Ensino de Arquitetura e Urbanismo, Prototipagem Rápida, Fabricação Digital, Design de Produto, CAAD, BIM, Open Design e Programas Computacionais em Arquitetura.

Carlos Eduardo Verzola Vaz, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2003) e mestrado e doutorado em engenharia civil pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Foi professor adjunto II da Universidade Federal de Pernambuco, no departamento de Expressão Gráfica, e, atualmente, é docente no Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em conceituação e metodologia de projeto, atuando principalmente nos seguintes temas: a lógica no processo de projeto e estratégias computacionais aplicadas para a geração, simulação e fabricação em arquitetura e urbanismo. Desenvolve pesquisas relacionadas a utilização de tecnologias computacionais aplicadas ao ensino e projeto de arquitetura paisagística e análise pós-ocupação de espaços livres. Atualmente está vinculado ao projeto de pesquisa Living Campus, na Universidade de Melbourne (Pós doutoramento - ciências sem fronteiras). O objetivo da pesquisa é desenvolver uma plataforma de simulação na qual dados do ambiente construído, parâmetros ambientais e fatores humanos serão processados de modo a compreender o comportamento do campus como um sistema que constantemente se readapta, segundo diferentes métricas. Como resultado, busca-se gerar informações que promovam a melhoria da tomada de decisão durante o processo de planejamento e manutenção de um campus universitário de acordo com as necessidades do usuário (estudantes, docentes, funcionários e comunidade em geral). (palavras-chave: simulação, smart cities, avaliação pós-ocupação, sensoriamento remoto, internet of things).

Referências

ADDINGTON, D. Michelle; SCHODEK, Daniel L. Smart Materials and New Technologies: For the architecture and design professions. Burlington, MA: Elsevier, 2005.

ANDRADE, Max Lira Veras Xavier de. Projeto performativo na prática arquitetônica recente: Estrutura Conceitual. 2012. 472 f. Tese (Doutorado) - Curso de Pós-graduação da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

BARNUEVO, Thales. Superfícies Dinâmicas Funcionais: o potencial de tecnologias responsivas para a construção de fachadas. 2017. 142 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

BAROZZI, Marta et al. The Sustainability of Adaptive Envelopes: developments of kinetic architecture. Procedia Engineering, Bruxelas, v. 155, p. 275-284, 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.proeng.2016.08.029.

DAVIDOVÁ, Marie; SEVALDSON, Birger. 1:1: A Transdisciplinary Prototyping Studio. In: SłYK, Jan; BEZERRA, Lia (Ed.). Education for Research, Research for Creativity. Warszawa: Wydział Architektury Politechniki Warszawskiej, 2016. p. 302-308.

DERAKHSHI, Sareh Saeidi. Rethinking The Performance of Envelopes in Architecture. International Journal Of Design Sciences And Technology. Paris (França), p. 7-37. dez. 2017. Disponível em: <http://ijdst.europia.org/index.php/ijdst/article/view/1>. Acesso em: 20 mar. 2019.

DUIGOU, A. Le et al. 3D printing of wood fibre biocomposites: From mechanical to actuation functionality. Materials & Design, França, v. 96, p.106-114, abr. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.matdes.2016.02.018.

GADANHO, Pedro. Architecture as Performance. 2007. Disponível em: https://shrapnelcontemporary.wordpress.com/archive-texts/architecture-as-performance/. Acesso em: 05 maio 2020.

GÓMEZ, Liliana. A conversation with Bernard Tschumi: movements, positions, and moments of trans-lating/rotating in architectural thinking. Puntocero Magazine, [s.l.], v. 1, n. 1, p. 1-12, fev. 2006.

HENRIQUES, Gonçalo Castro; "Sistemas responsivos: relevância, estado da arte e desenvolvimentos", p. 200-206 . In: . São Paulo: Blucher, 2015. ISSN 2318-6968, ISBN: 978-85-8039-136-7 DOI 10.5151/despro-sigradi2015-60042

HENSEL, Michael Ulrich. Performance-oriented Architecture and the Spatial and Material Organisation Complex. Rethinking the Definition, Role and Performative Capacity of the Spatial and Material Boundaries of the Built Environment. Formakademisk, Oslo, v. 4, n. 1, p.3-23, 8 mar. 2011. Oslo and Akershus University College of Applied Sciences. http://dx.doi.org/10.7577/formakademisk.125.

HOLSTOV, Artem; BRIDGENS, Ben; FARMER, Graham. Hygromorphic materials for sustainable responsive architecture. Construction And Building Materials, Reino Unido, v. 98, p.570-582, nov. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.conbuildmat.2015.08.136.

HOLSTOV, Artem; FARMER, Graham; BRIDGENS, Ben. Sustainable Materialisation of Responsive Architecture. Sustainability, Suíça, v. 9, n. 3, p.435-455, 16 mar. 2017. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/su9030435

KOLAREVIC, Branko. Towards the performative in architecture. In: KOLAREVIC, Branko; MALKAWI, Ali (Ed.). Performative architecture: beyond instrumentality. New York, NY: Spon Press, 2005. Cap. 15. p. 203-213.

LELIEVELD, Charlotte. Smart Materials For The Realization Of An Adaptive Building Component. 2013. 146 f. Tese (Doutorado) - Faculty Of Architecture, Delft University Of Technology, Delft, 2013. Disponível em: <https://repository.tudelft.nl/islandora/object/uuid%3A21ba183b-450e-45a1-bc89-24799586735c>. Acesso em: 12 fev. 2019

LENZ, Daniel; CELANI, Gabriela. Performative architecture: Uma arqueologia tecnológica. Vitruvius: Arquitextos, São Paulo, v. 186, n. 04, p.1-10, nov. 2015.

NAHUZ, Marcio Augusto Rabelo (Org.). Catálogo de madeiras brasileiras para a construção civil. São Paulo: IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, 2013.

NISENBAUM, Marcio; "O conceito de Performance e sua apropriação no campo do Design Computacional", p. 101-106. In: XX Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital [=Blucher Design Proceedings, v.3 n.1]. São Paulo: Blucher, 2016. ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-sigradi2016-595

REICHERT, Steffen; MENGES, Achim; CORREA, David. Meteorosensitive architecture: Biomimetic building skins based on materially embedded and hygroscopically enabled responsiveness. Computer-aided Design, [s.l.], v. 60, p.50-69, mar. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.cad.2014.02.010.

SECCHI, Carla Cristina. ARQUITETURA OPEN SOURCE: capacitação, criação e materialização com suporte da fabricação digital. 2019. 165 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019. Cap. 3.

SKAAR, Christen. Wood-Water Relations. Syracuse, NY: Springer, 1988. 263 p.

WALKER, John C. F. Primary Wood Processing: Principles and Practice. 2nd. ed. Dordrecht: Springer, 2006. 603 p.

VAILATI, C. et al. An autonomous shading system based on coupled wood bilayer elements. Energy And Buildings, [s.l.], v. 158, p.1013-1022, jan. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.enbuild.2017.10.042.

VIDAL, Jackson Marcelo et al. PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS NO BRASIL: HISTÓRICO, CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 1, p.257-271, mar. 2015.

ZULUAGA, David Correa; MENGES, Achim. 3D Printed Hygroscopic Programmable Material Systems. Mrs Proceedings, [s.l.], v. 1800, p.1-8, 2015. Cambridge University Press (CUP). http://dx.doi.org/10.1557/opl.2015.644.

Downloads

Publicado

2021-03-12

Como Citar

Taparello, G. I. K., Luciano, P. T., Secchi, C. C., & Vaz, C. E. V. (2021). Arquitetura performativa: o uso de materiais responsivos e fabricação digital em experiência de ensino. Gestão & Tecnologia De Projetos, 16(2), 21-40. https://doi.org/10.11606/gtp.v16i2.165582