Ensaio sobre o signo: troca, linguagem, espaço e um trabalho de Nuno Ramos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2021.175853

Palavras-chave:

Nuno Ramos, Signo, Poesia e artes visuais, Troca, Virada ontológica

Resumo

Em Ensaio sobre a dádiva (2014/2015), Nuno Ramos parte do ensaio homônimo de Marcel Mauss e atinge um ponto de acumulação e virada que remete a um modo de agenciamento decisivo em sua poética: a produção de planos de articulação entre elementos heterogêneos. Ao pôr em ato uma problemática da troca, reenuncia um espaço de remissões estéticas-históricas central para certas passagens entre artes modernas e contemporâneas, relançado em torno das relações entre linguagem e espaço. Assim, partindo da leitura do signo enquanto entidade elementar dos estruturalismos linguístico e antropológico por Patrice Maniglier, o artigo explora um campo possível de traduções recíprocas entre artes visuais e poesia, antropologia e filosofia, circulando ainda, com Jacques Rancière, entre Stéphane Mallarmé e Marcel Broodthaers, e com Lévi-Strauss, Saussure e certas linhas de debate sobre as artes contemporâneas, entre a problemática dos meios em artes visuais e um horizonte ontológico de pensamento com as artes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Goldfeder, Universidade Estadual de Campinas. Departamento de Teoria e História Literária

ANDRÉ GOLDFEDER é Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP, 2009) e Mestre (2012) e Doutor (2018) em Teoria Literária e Literatura Comparada pela mesma instituição. Atualmente é pesquisador de Pós-Doutorado junto ao Departamento de Teoria e História Literária da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). E-mail: goldfeder.andre@gmail.com

Referências

Agamben, Giorgio. 1999. Ideia da prosa. Trad. João Barrento. Lisboa: Cotovia.

Agamben, Giorgio. 2002. O Fim do Poema. Cacto, n. 1. São Paulo: Edições Alpharrábio.

Almeida, Mauro. 1999. Simetria e Entropia: Sobre a Noção de Estrutura em Lévi-Strauss. Revista de Antropologia v. 42, n. 1-2: 142-149

Foster, Hal. 1996. The return of the real: the avant-garde at the end of the century. Cambridge: MIT Press.

Giufrida, Guilherme. 2015. A origem dos objetos. Notas sobre as Dádivas de Nuno Ramos. Revista do centro, n. 0. On-line. http://revistacentro.org/index.php/nuno.

Greenberg, Clement. 2001. Pintura modernista. In Clement Greenberg e o debate crítico, G. Ferreira; C. Cotrim (Orgs.), Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Krauss, Rosalind. 1999. A voyage on the North Sea: art in the age of the post-medium condition. Londres: Thames & Hudson.

Krauss, Rosalind. 2000. Richard Serra: sculpture. In Richard Serra, Hal Foster; Gordon Hughes (orgs.), Massachusetts: The MIT Press.

Lévi-Strauss. 2003. Introdução à obra de Marcel Mauss. In Sociologia e antropologia, Marcel Mauss, Trad. Paulo Neves, São Paulo: Cosac & Naify.

Mallarmé, Stéphane. 2010. Divagações. Trad. Fernando Scheibe. Florianópolis: Editora da UFSC.

Mallarmé, Stéphane. 2013. Um lance de dados. Trad. Álvaro Faleiros. In Um lance de dados, A. Faleiros, São Paulo: Ateliê Editorial.

Mammì, Lorenzo. 1997. Nuno Ramos. In Nuno Ramos, Nuno Ramos, São Paulo: Ática.

Mammì, Lorenzo. 2014. O tempo e o lixo. In Cem anos de Iberê, Luiz Camillo Osório, São Paulo: Cosac Naify.

Mammì, Lorenzo. 2015. Proteu e os houyhnhnms. In Houyhnhnms, Nuno Ramos, 8-29, São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Mammì, Lorenzo. 2017. O guia para perplexos. In Os desenhos, Waltercio Caldas, São Paulo: Bei Comunicação.

Maniglier, Patrice. 2005. Surdétermination et duplicité des signes: de Saussure à Freud. Savoirs et Clinique, n. 6: 149-160.

Maniglier, Patrice. 2006. La Vie énigmatique des signes: Saussure et la naissance du structuralisme. Paris: Éditions Léo Scheer.

Maniglier, Patrice. 2008. A bicicleta de Lévi-Strauss. Cadernos de campo, n. 17: 275-292.

Maniglier, Patrice. 2012. Manifesto para um comparatismo superior em filosofia. Veritas, v. 58, n. 2: 226-271.

Maniglier, Patrice. 2013. De Mauss a Lévi-Strauss, cinquenta anos depois: por uma ontologia Maori. Trad. Ian Packer. Cadernos de campo, n. 22: 163-179.

Marchal, Bertrand. 1988. La religion de Mallarmé: Poesie, mythologie et réligion. Paris: José Corti.

Mauss, Marcel. 2003. Ensaio sobre a dádiva. In Sociologia e antropologia, op. cit.

Naves, Rodrigo. 2007. O vento e o moinho: Ensaios sobre arte moderna e contemporânea. São Paulo: Companhia das letras.

Oliveira, Eduardo Jorge de. 2017. ‘Vender alguma coisa, dar certo na vida’. A passagem do poema ao objeto na obra de Marcel Broodthaers. Remate de Males, v. 37, n. 1.

Potts, Alex. 2000. The sculptural imagination: figurative, modern, minimalist. New Haven, Londres: Yale University Press, 261-284.

Ramos, Nuno. 1993. Cujo. São Paulo: Editora 34.

Ramos, Nuno. 2001. O velho em questão. In O Pão do Corvo, São Paulo: Editora 34.

Ramos, Nuno. 2004. Entrevista de Nuno Ramos a Vanda Klabin. In Frank Stella, Nuno Ramos: afinidades e diversidades, Vanda Mangia Klabin (org.), Rio de Janeiro: 3Plus.

Ramos, Nuno. 2006. Nuno Ramos. São Paulo: Instituo Tomie Ohtake, Fundação Carlos Chagas.

Ramos, Nuno. 2008. Ó. São Paulo: Iluminuras.

Ramos, Nuno. 2010. Nuno Ramos. Rio de Janeiro: Cobogó.

Ramos, Nuno. 2011. Junco. São Paulo: Iluminuras.

Ramos, Nuno. 2017. Adeus, cavalo. São Paulo: Iluminuras.

Rancière, Jacques. 2011. Mallarmé: the politics of the siren. Trad. Steven Corcoran. Londres, Nova York: Continuum.

Rancière, Jacques. 2018. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34.

Rancière, Jacques. 2020. O espaço das palavras: de Mallarmé a Broodthaers. Trad. Marcela Vieira e Eduardo Jorge de Oliveira. Belo Horizonte: Relicário.

Tassinari, Alberto. 1985. Entre passado e futuro. 18a Bienal Internacional de São Paulo (Publicação para exposição).

Tassinari, Alberto. 1997. Gestar, justapor, aludir, duplicar. In Nuno Ramos, Nuno Ramos, São Paulo: Ática.

Publicado

2021-06-28

Como Citar

Goldfeder, André. 2021. “Ensaio Sobre O Signo: Troca, Linguagem, espaço E Um Trabalho De Nuno Ramos”. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia 6 (1). São Paulo, Brasil:e-175853. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2021.175853.

Edição

Seção

Artigos