Contato entre mundos: desenhos produzidos durante ritual ecumênico com plantas medicinais na Arca da Montanha Azul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185801

Palavras-chave:

Ayahuasca, Arte, Religião, Antropologia, Agência

Resumo

O artigo faz uma descrição etnográfica sintética, buscando explicitar os princípios do grupo Arca da Montanha Azul e a produção de desenhos realizada durante ritual ecumênico com plantas medicinais, prática inovadora quando comparada a outras casas semelhantes. Para tanto, o artigo contextualiza o espaço segundo seu aspecto social e político, faz uma explicação do processo ritual, do processo iniciático, sobre o conceito de cura e traz alguns trechos de entrevistas realizadas com praticantes da casa que falam sobre sua relação com os desenhos. Encerra-se o texto apresentando argumento a respeito do caráter agentivo presente nos desenhos produzidos durante as cerimônias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Romanoff do Vale, Universidade Federal do Rio de Janeiro

FREDERICO ROMANOFF DO VALE é Mestre em Sociologia (com concentração em Antropologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 2022). Cursou graduação em Ciências Sociais também na UFRJ. Atualmente, é licenciando em Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Tem interesse por Antropologia da Arte e Antropologia da Saúde. Integra o grupo de pesquisa “Núcleo de Artes, Imagem e Pesquisa Etnológica" - NAIPE, da UFRJ. E-mail: fredericoromanoff@gmail.com

Referências

Almeida, João Ferreira. 1753/2008. A Bíblia: Velho Testamento e Novo Testamento. Rio de Janeiro: King Cross Publicações.

Da Motta, Rodrigo Rougemont. 2016. A cura através do cipó: Reflexões sobre terapia e espiritualidade na Arca da Montanha Azul. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Da Silveira, Nise. 2017. Imagens do Inconsciente com 271 ilustrações. Petrópolis: Editora Vozes Limitada.

Deleuze, G. e Guatarri, F. 1972. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Lisboa: Assírio & Alvim.

Gell, Alfred. 1998/2020. Arte e agência. São Paulo: Ubu Editora.

Grof, Stanislav e Grof, Cristina. 1990. A tempestuosa busca do ser. São Paulo: Editora Cultrix.

Labate, Beatriz Caiuby. 2004. A reinvenção do uso da ayahuasca nos centros urbanos. Campinas: Editora Mercado de Letras

Labate, Beatriz; Rose, Isabel e Santos, Rafael Guimarães. 2008. Religiões ayahuasqueiras: Um balanço bibliográfico. Campinas: Mercado das Letras.

Lagrou, Els. 2007. A fluidez da forma: arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica (Kaxinawa, Acre). Rio de Janeiro: TopBooks.

Lagrou, Els. 2009. As artes ligando mundos: alteridade e autenticidade no mundo das artes. In Arte indígena no Brasil: agência, alteridade e relação. Belo Horizonte: ComArte.

Lagrou, Els. 2018. A diferença que faz desenhar para aprender a ver na Amazônia. Anais do II Seminário Imagem, Pesquisa e Antropologia (SIPA). https://www.sipa.ifch.unicamp.br/anais_do_evento (acessado em 12/11/2021).

Langdon, Esther Jean. 1992. A cultura Siona e a experiência alucinógena. In Grafismo indígena: estudos de antropologia estética. ed. Lux Vidal, 67 - 87. São Paulo: Editora Nobel.

Luna, Luis Eduardo; Amaringo, Pablo. 1999. Ayahuasca visions: The religious iconography of a Peruvian shaman. Berkeley: North Atlantic Books.

Reichel-Dolmatoff, Gerardo. 1971. Amazonian Cosmos: The Sexual and Religious Symbolism of the Tukano Indians. Chicago: The University of Chicago Press.

Romanoff, Frederico. 2021. A ciência do sagrado: desenhos produzidos durante ritual com plantas medicinais na Arca da Montanha Azul. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Souza, Mônica Dias de. 2006. Pretos-velhos: oráculos, crença e magia entre os cariocas. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Stengers, Isabelle. 1989. “Ciência é mais política do que cientistas imaginam”. Folha de São Paulo, 27 de outubro de 1989. https://acervo.folha.com.br/leitor.do?numero=10764&keyword=Stengers&anchor=4916183&origem=busca&originURL=&pd=2166ce80354ed3f79730c512a8cf7d51 (acessado em 12/11/2021).

Szekely, Edmond B. 1997. O Evangelho Essênio da Paz. São Paulo: Editora Pensamento.

Turner, Victor. 1967/2005. Floresta de símbolos: Aspectos do ritual Ndembu. Niterói: EdUFF.

Viveiros de Castro, Eduardo. 2002. O Nativo Relativo. Mana, vol. 08, no. 01: 113 - 148.

Publicado

2022-08-30

Como Citar

Vale, Frederico Romanoff do. 2022. “Contato Entre Mundos: Desenhos Produzidos Durante Ritual Ecumênico Com Plantas Medicinais Na Arca Da Montanha Azul ”. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia 7 (1). São Paulo, Brasil:e185801. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185801.

Edição

Seção

Dossiê Religiões (Artigos)

Dados de financiamento