Revelando a performance ritual nos Goeku: narrativas fotográficas, fotografias narradas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185832

Palavras-chave:

Ritual de passagem, Culto Póstumo, Culto aos Antepassados, Fotografia, Performance

Resumo

Este artigo pretende revelar as nuances das cerimônias póstumas realizadas pela escola budista japonesa Honmon Butsuryu-shu (HBS), a primeira a se estabelecer no Brasil, no ano de 1908. O referido ritual de passagem, denominado “Goeku” (“Culto Póstumo” ou “Culto aos Antepassados”), é constituído por performances realizadas pelos sacerdotes/sacerdotisas e adeptos (fiéis), que abarcam um amplo espectro de relações entre humanos e não-humanos, além de um conjunto de elementos simbólicos composto por objetos sagrados, gestos, orações, posturas e instrumentos musicais. Portanto, pretendo elucidar tais cerimônias a partir das interlocuções estabelecidas junto com a HBS, que resultaram na confecção de cadernos de campo e em ricas narrativas orais. Além da verbalidade (oral e escrita), o intuito será o de dar a ver tais cerimônias por meio de fotografias, pelo fato das imagens destacarem-se pela capacidade de captar e expor, por uma via mais sensorial, as complexas formas de expressão presentes nos rituais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexsânder Nakaóka Elias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Alexsânder Nakaóka Elias é pós-doutorando em Antropologia Social na UFRGS, doutor em Antropologia e mestre em Multimeios pela Unicamp. Pesquisa temas relacionados com arte, imagem, Antropologia Audiovisual, rituais, narrativas e cultura japonesa. Atualmente, seu foco volta-se para as relações entre as noções de “experiência” e “experimentação” e nas reflexões acerca das potencialidades da “montagem” como metodologia na confecção do saber antropológico. É membro do “Núcleo de Antropologia Visual” (NAVISUAL/UFRGS), do “Laboratório Antropológico de Grafia e Imagem (LA’GRIMA/UNICAMP), do “Laboratório de Ensino, Pesquisa e Produção em Antropologia da Imagem e do Som” (LEPPAIS/UFPel) e da “Rede de Pesquisa em Antropologia Audiovisual” (RIAA). E-mail: alexdefabri@yahoo.com.br.

Referências

Bateson, Gregory. 2006/1936. Naven: Um esboço dos problemas sugeridos por um retrato compósito, realizado a partir de três perspectivas, da cultura de uma tribo da Nova Guiné. São Paulo: EdUSP.

Butsuryu-shu, Honmon. 2004. Revista Lótus, vol. 06, n. 57: 20.

Butsuryu-shu, Honmon. 2014. Revista Lótus, vol. 10, n. 90: 14.

Cardoso, Vânia. 2012. Marias: a individuação biográfica e o poder das estórias. In Etnobiografia: subjetivação e etnografia, ed. Marco Antônio Gonçalves, Roberto Marques e Vânia Cardoso. 37-60. Rio de Janeiro: 7 Letras.

Correia, Kyouhaku. 2008. O que é Primordial: Budismo 100 anos. São Paulo: Ed. Rmc.

Didi-Huberman, Georges. 2009/2002. La imagen superviviente. Historia del arte y tiempo de los fantasmas segun Aby Warburg. Madrid: Editorial Abada.

Didi-Huberman, Georges. 2014. Imágenes pese a todo. Barcelona: Miracle Paidós.

Douglas, Mary. 1976. Pureza e Perigo. São Paulo: Editora Perspectiva.

Elias, Alexsânder Nakaóka. 2018. Dupla imagem, duplo ritual: a Fotografia e o Sutra Lótus Primordial. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. DOI: https://doi.org/10.47749/T/UNICAMP.2018.1045479.

Elias, Alexsânder Nakaóka. 2019. Por uma etnografia multissensorial. Tessituras: Revista de Antropologia e Arqueologia, vol. 07: 266-293. DOI: https://doi.org/10.15210/tes.v7i2.16155.

Elias, Alexsânder Nakaóka. 2020. Mapa Visual: A (Des)Montagem como experimentação antropológica. Revista Iluminuras, vol. 21: 39-66. DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.100036.

Elias, Alexsânder Nakaóka. 2021. Glossário verbo-visual e suas múltiplas grafias. R@U: Revista de Antropologia Social dos alunos do PPGAS-UFSCAR, vol. 12: 156-187. DOI: https://doi.org/10.52426/rau.v12i2.352.

Evans-Pritchard, Edward. 2005/1937. Bruxaria, oráculos e magia entre os Azande. Rio de Janeiro: Zahar.

Favret-Saada, Jeanne. 1990. Être Affecté. Gradhiva: Revue d’Histoire et d’Archives de l’Anthropologie, vol. 08: 3-9.

Gell, Alfred. 1998. Art and Agency: an Anthropological Theory. Oxford: Clarendon.

Gonçalves, Marco Antonio. 2012. Etnobiografia: biografia e etnografia ou como se encontram pessoas e personagens. In Etnobiografia: subjetivação e etnografia, ed. Marco Antônio Gonçalves, Roberto Marques e Vânia Cardoso. 19-36. Rio de Janeiro: 7 Letras.

HBS do Brasil. Lista de sacerdotes. Disponível em: <http://budismo.com.br/bispos-e-sacerdotes-do-brasil/>. Acesso em: 25 jun. 2021.

Hertz, Robert. 2016/1909. A preeminência da mão direita: estudo sobre a polaridade religiosa. Sociologia religiosa e folclore. Petrópolis: Vozes, 97-121.

Lévi-Strauss, Claude. 1975/1949. Les Structures élémentaires de la parenté. Paris: Presses universitaires de France.

Malinowski, Bronislaw. 1978/1922. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural.

Maués, Heraldo. 2012. O Perspectivismo Indígena é Somente Indígena? Cosmologia, Religião, Medicina e Populações Rurais na Amazônia. Revista Mediações (UEL), vol. 17: 33-61.

Mauss, Marcel. 2003/1925. Ensaio sobre a Dádiva. São Paulo: Cosac Naify.

Nina, Ana Cristina Lopes. Ventos da Impermanência. São Paulo: EdUSP, 2006.

Santos, Alessandra Carla Baia dos et al. 2012. Antropologia da saúde e da doença: contribuições para a construção de novas práticas em saúde. Revista NUFEN, vol. 4, n. 2: 11-21.

Schumaker, Lyn. 2001. Africanizing Anthropology: Fieldwork, Networks, and the Making of Cultural Knowledge in Central Africa. Durham: Duke University Press.

Stark, Rodney. 1996. The rise of Christianity: A sociologist Reconsiders History. Nova Jersey: Princeton University Press.

Turner, Victor. 1967. The Forest of Symbols: Aspects of Ndembu Ritual. Cornell University Press.

Turner, Victor. 2008/1974. Dramas, Campos e Metáforas. Rio de Janeiro: Eduf, 2008.

Van Gennep, Arnold. 2011/1909. Os ritos de passagem. Petrópolis: Vozes.

Warburg, Aby. 2000/1929. Der Bilderatlas Mnemosyne (sob a direção de Martin Warnke e de Claudia Brink). Berlim: Akademie Verlag.

Publicado

2022-08-30

Como Citar

Elias, Alexsânder Nakaóka. 2022. “Revelando a Performance Ritual Nos Goeku: Narrativas fotográficas, Fotografias Narradas”. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia 7 (1). São Paulo, Brasil:e185832. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185832.

Edição

Seção

Dossiê Religiões (Artigos)

Dados de financiamento