Petrografia e química do Granito Aripuanã, sul do Cráton Amazônico

  • Antonio Misson Godoy Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP http://orcid.org/0000-0002-7827-2327
  • Otávio Augusto Ruiz Paccola Vieira Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP http://orcid.org/0000-0002-5516-7196
  • Jesué Antonio da Silva Companhia Matogrossense de Mineração - METAMAT
  • Jefferson Cassu Manzano Mineração Rio Tinto
  • Larissa Marques Barbosa de Araújo Universidade Federal de Uberlândia - UFU
  • Antônio Ferreira de Mello Júnior Votorantim Metais S.A.
Palavras-chave: Granito Aripuanã, Petrografia, Geoquímica, Cráton Amazônico

Resumo

O termo Granito Aripuanã refere-se a um conjunto de corpos graníticos circunscritos não deformados, intrusivos em rochas da sequência metavulcanossedimentar do Grupo Roosevelt, reconhecidos na porção sul do Cráton Amazônico. O corpo granítico principal constitui um batólito ovalado com diâmetro menor que 15 km, que ocorre a norte da cidade de Aripuanã, no noroeste do estado do Mato Grosso. É constituído de hornblenda-biotita sieno a monzogranitos porfiríticos grossos, de coloração cinza ou vermelha e localmente com texturas rapakivi. Nas áreas marginais é observada uma redução de granulação das feições porfiríticas com predomínio da fácies equigranular fina, associada a resfriamento rápido. As fácies tardias comuns são constituídas de diques equigranulares de cor cinza, aplitos róseos e cinza e veios pegmatíticos. Ocorrem veios pós-magmáticos de quartzo, fluorita, muscovita em zonas de deformação rúptil, em que as rochas mostram intensa alteração hidrotermal. Esse hidrotermalismo afeta de forma heterogênea as rochas encaixantes e as rochas magmáticas, facilitando a circulação de fluidos e favorecendo a concentração de sulfetos de zinco disseminados, sempre relacionados ao fraturamento. Os granitos hospedam xenólitos de rochas paraderivadas encaixantes, de granodioritos, quartzo dioritos e rochas micáceas. Nas bordas, ocorrem veios e apófises graníticas, além de metamorfismo de contato nas rochas encaixantes. Os monzogranitos são peraluminosos e pertencem à série de alto potássio a shoshonítica, similares a granitos “ferroan”, apresentando assinatura de granito tipo A, pós-colisionais a anorogênicos e associado à evolução do Arco Magmático Jamari.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-04-25
Como Citar
Godoy, A., Vieira, O. A., Silva, J., Manzano, J., Araújo, L., & Mello Júnior, A. (2019). Petrografia e química do Granito Aripuanã, sul do Cráton Amazônico. Geologia USP. Série Científica, 19(1), 213-226. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v19-141383
Seção
Artigos